Joseph Franklin Rutherford

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Editar Índice
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Religião Cristã Não Trinitária
Definição Básica | Doutrinas e Teologia
Estrutura Mundial | Congregações Locais
História das Testemunhas de Jeová
Testemunhas de Jeová em Portugal
Sociedades Usadas pelas Testemunhas
Sociedade Torre de Vigia - Definição
Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados
Sociedade Torre de Vigia de Tratados de Sião
Edições Notáveis
A Sentinela | Despertai! | Notícias do Reino
Tradução do Novo Mundo
Estudos das Escrituras
Fotodrama da Criação | Anuário
Proclamadores do Reino de Deus
Cancioneiro das Testemunhas de Jeová
Estudo Perspicaz das Escrituras
A Verdade Que Conduz à Vida Eterna
O Que a Bíblia Realmente Ensina?
Artigos Directamente Relacionados
com as Testemunhas de Jeová
Escatologia | Cronologia | Neutralidade
Normas de Moral | Questão do Sangue
Escravo Fiel e Discreto | Corpo Governante
Comemoração da Morte de Cristo
Posições Controversas | Perseguição religiosa
Salão do Reino
Programas Educacionais | Serviço Voluntário
Estudantes da Bíblia | Triângulos Roxos
Outros Artigos que Referem Crenças
das Testemunhas de Jeová
Tetragrama Sagrado YHVH
Arcanjo | O Arcanjo Miguel
Seol | Hades | Inferno | Geena
Biografias
Charles Russell | Joseph Rutherford | Nathan Knorr
Frederick Franz | Milton Henschel | George Gangas
Karl Klein | Grant Suiter | Daniel Sydlik
Don Adams | Max Larson | Alexander Macmillan
August Dickmann | Leopold Engleitner
Simone Arnold Liebster | Raymond Victor Franz
Influências Formativas
William Miller | Henry Grew
George Storrs | Nelson H. Barbour
Joseph F. Rutherford em 1910

Joseph Franklin Rutherford (8 de Novembro de 1869 - 8 de Janeiro de 1942) foi o 2.º Presidente da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados (dos EUA), personalidade jurídica usada pelas Testemunhas de Jeová. Foi precedido por Charles Taze Russell, e sucedido na presidência por Nathan Homer Knorr. Foi casado com Mary, e tiveram um filho. Rutherford, faleceu com 72 anos, na Califórnia, na residência oficial da Sociedade Torre de Vigia que ele chamara de Bete-Sarim.

Sua formação pessoal[editar | editar código-fonte]

Rutherford em 1917

Filho de pais batistas, nasceu numa fazenda no Condado de Morgan, Missouri, EUA. Quando tinha 16 anos, seu pai permitiu que cursasse a Faculdade de Direito, na condição de que arcasse com as despesas para isso. Depois de concluir seu curso, passou 2 anos sob tutela do Juiz E. L. Edwards. Aos 20 anos, tornou-se Escrivão Oficial do Tribunal da 14.ª Jurisdição Judicial de Missouri. Em 5 de maio de 1892, obteve da Ordem dos Advogados do Missouri licença para exercer advocacia em Boonville. Em 1894, teve o seu primeiro contato com os escritos de Charles Taze Russell. Serviu ainda durante 4 anos como Promotor Público. Mais tarde, tornou-se Juiz Especial da 8.ª Jurisdição do Tribunal de Missouri. Os registos do Tribunal provam que Rutherford serviu em mais de uma ocasião como Juiz substituto.

Em 1906, Rutherford foi batizado como Estudante da Bíblia, e no ano seguinte, tornou-se consultor jurídico da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados (dos EUA). Ele tornou-se bastante popular entre os seus companheiros de crença porque, como advogado, travou diversas batalhas em Tribunal em defesa de Charles Russell. Também, debateu publicamente em defesa das doutrinas dos Estudantes da Bíblia como orador viajante da Sociedade. Em 24 de maio de 1909, obteve licença para advogar perante o Supremo Tribunal de Justiça dos EUA.

Foi a habilidade de Rutherford, sua retórica dinâmica e a sua disposição firme de lidar com os adversários dos Estudantes da Bíblia que fez dele um sucessor lógico de Russell. Não resta dúvida de que Rutherford era um homem de fortes convicções. Ele falava francamente e com vigor, e sem abrir mão, em defesa daquilo que ele cria ser a verdade. Mas era genuinamente humilde diante do Deus que adorava. Conforme escreveu mais tarde Karl Klein, que se tornou membro do Corpo Governante em 1974: “As orações do irmão Rutherford, na adoração matutina . . . o tornaram muito querido para mim. Embora tivesse uma voz tão forte, quando ele se dirigia a Deus, parecia um garotinho conversando com seu querido pai. Que excelente relacionamento revelava ter ele com Jeová!”

Rutherford estava plenamente convencido que Jeová Deus tinha uma organização visível, e ele procurou assegurar que nenhum homem ou grupo de homens impedisse os estudantes da bíblia de receber a nível local o pleno benefício do que chamava de alimento espiritual e a direção de Deus sobre eles.

Segundo presidente da Sociedade Torre de Vigia[editar | editar código-fonte]

Joseph F. Rutherford, que sucedeu a Charles Taze Russell como presidente da Sociedade Torre de Vigia (dos EUA) em 1917, começou suas observações no serviço fúnebre de Russell por dizer: “Charles Taze Russell foi leal a Deus, leal a Cristo Jesus, leal à causa do reino do Messias. Foi totalmente leal — sim, leal até a morte.”- A Sentinela 1996 15/3, pg.10

Após a morte de Charles Russell, durante os meses novembro e dezembro de 1916, a presidência da Sociedade foi entregue a uma Comissão Executiva. Esta provisão havia sido criada em harmonia com o Testamento de Russell. Era formada por três membros: A. I. Ritchie, o Vice-presidente, William Van Amburgh, Secretario-tesoureiro, e Joseph Rutherford, o advogado da Sociedade. Esta se manteria em funcionamento até à realização da reunião anual da Assembleia-geral da Sociedade Torre de Vigia, em 6 de janeiro de 1917.

Na reunião anual da Assembleia-geral de 1917, Joseph Rutherford é eleito como o 2.º Presidente da Sociedade (por unanimidade), A. N. Pierson como Vice-presidente (por maioria) e William Van Amburgh como Secretario-tesoureiro (por unanimidade). (Ref.ª A Torre de Vigia de 15/3/1955, pág. 175, ed. inglesa; A Torre de Vigia de 1917, pág. 22, ed. inglesa; The New York Times de 7/1/1917, Secção 1, pág. 9)

Nesse ano, ocorreu uma grande cisma na Diretoria da Sociedade. Quatro diretores - A. I. Ritchie, J. D. Wright, Issac F. Hoskins, e Robert H. Hirsh, foram demitidos dos seus cargos por Rutherford e expulsos da Sede. O seu Vice-presidente, A. N. Pierson, acabou por ser afastado da Diretoria devido à sua vacilação durante o cisma. Parte deste cisma foi causado por uma luta pela presidência e parte por oposição ao Volume VII da série Estudos das Escrituras, intitulado O Mistério Consumado. Embora tenha sido compilado por Clayton J. Woodworth e George H. Fisher, foi apresentado como "obra póstuma do Pastor Russell", uma vez que, falando sobre seu interesse na publicação de um sétimo volume, Russell teria dito: "Quando encontrar a chave, escreverei o Sétimo Volume, e, se o Senhor der a chave a outrem, ele pode escrevêlo". Basicamente constituído de comentários e pensamentos de Russell sobre os livros bíblicos de Revelação, O Cântico de Salomão e Ezequiel, o livro apresentava relações proféticas entre os textos de um modo até então não abordado. Anuário das Testemunhas de Jeová 1976, de 1975, pág. 90, ed. inglesa.

O Mistério Consumado explicava várias ideias teológicas novas que os seus críticos consideravam contrárias à Bíblia e ao ensino de Russell e à revelia dos restantes membros da Diretoria da Sociedade. Foi assim que se desenvolveu a oposição a esse livro. Este grupo - que incluia quatro diretores da Sociedade, nomeados por Russell, mas ainda não efetivado em Assembleia-geral da Sociedade - pretendia impedir que Rutherford controlasse a Diretoria da Sociedade até à realização da Assembleia-geral da Sociedade, em 1918. Temendo prejuízo para a unidade da organização, Rutherford por fim os demitiu quando começaram uma intensa campanha de cartas e discursos dissidentes. De acordo com o conceito atual das Testemunhas de Jeová, aprimorado por outros estudos do livro bíblico de Revelação no decorrer de sua história, o conteúdo do livro O Mistério Consumado mostra-se obsoleto, pouco condizendo com o correto entendimento das profecias bíblicas. Não Haverá Mais Demora, de 1971, pág. 252, ed. inglesa.

Na reunião anual da Assembleia-geral da Sociedade em 5 de janeiro de 1918, é eleita uma nova diretoria formada por: Joseph Rutherford, C. H. Anderson, William Van Amburgh, Alexander Hugh Macmillan, W. E. Spill, J. A. Bohnet, and George H. Fisher. Os três principais diretores Joseph Rutherford como Presidente, C. H. Anderson como Vice-presidente, e William Van Amburgh como Secretario-tesoureiro.

Prisão da diretoria[editar | editar código-fonte]

Rutherford e seis de seus colaboradores, foram condenados por interferência no esforço de guerra dos EUA. Foram sentenciados a 20 anos na Penitenciária Federal de Atlanta, por 4 enquadramentos em delitos, mas com sentenças concomitantes. A Primeira Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918, e então, em 25 de março de 1919, acabam por ser soltos sob pesada fiança. Mais tarde, os réus receberam um atestado de erro na condução do julgamento e o Estado entendeu não ter interesse na pretensão de um novo julgamento.

Entrando na história do rádio[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1920, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados (dos EUA) foi pioneira em estabelecer uma das primeiras estações de rádio - a WBBR, e os Estudantes da Bíblia entraram na história do rádio no domingo, 24 de julho de 1927, quando J. F Rutherford falou por uma rede de cinquenta e três estações desde Toronto, Ontário, Canadá — a maior cadeia de rádio já criada naquele tempo.

Assim aconteceu que, quando Rutherford falou a uma assistência de congresso de cerca de 15.000 pessoas em Toronto, milhões de outros ouviram-no por meio de uma cadeia de radiodifusão até então sem igual. Numa carta dirigida à Sociedade pela “National Broadcasting Company”, declarava-se: “Imagino que o Juiz Rutherford dispôs de uma assistência tão grande, ontem à tarde, como nenhum homem vivo jamais teve pelo rádio.”

Os Estudantes da Bíblia estavam envolvidos em outro notável acontecimento pelo rádio em 1928. Em Detroit, Michigan, no domingo, 5 de agosto, quando J. F. Rutherford proferiu o discurso público “O Dominador do Povo” a uma assistência de 12.000 pessoas, foi irradiado por uma cadeia de radiodifusão que ligou 107 estações, exigindo cerca de 53.000 quilômetros de linhas telefônicas e 147.000 quilômetros de linhas telegráficas, e foi retransmitido por ondas curtas para a Austrália e a Nova Zelândia. Os programas de rádio ocupavam grande parte do tempo de Rutherford.

Em 1931, a Sociedade decidiu apresentar, programas gravados. Organizaram-se duzentas e cinquenta estações para apresentar estas gravações de quinze minutos feitas por Rutherford segundo sua conveniência, e tocada pelas estações de rádio nas horas que quisessem. Em 1933, ano-auge, 408 estações eram usadas para levar a mensagem a seis continentes, e 23.783 discursos bíblicos separados foram irradiados, a maioria deles sendo estas gravações elétricas de quinze minutos. Naqueles dias poder-se-ia girar o dial do rádio e sintonizar as irradiações da Torre de Vigia provenientes de estações amplamente espalhadas, ao mesmo tempo.

Em 1957, depois de 33 anos de transmissões, a Sociedade Torre de Vigia vendeu a WBBR. visto que a estação e os programas envolviam mão-de-obra e dinheiro que poderiam ser melhor empregados de outros modos, especialmente no campo missionário.

Viagens de serviço da Sociedade Torre de Vigia[editar | editar código-fonte]

A lista apresentada usa a abreviatura da publicação respectiva, seguida da data e ano da publicação (se necessário) e da página onde se encontra a informação. As abreviaturas usadas correspondem às seguintes publicações da Sociedade Torre de Vigia:

Rutherford veio a falecer aos 72 anos, em sua residência na Califórnia, em 8 de janeiro de 1942, depois de passar por duas cirurgias devido a um câncer do cólon. Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino de Deus-pag.86

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Documentário em DVD - Testemunhas de Jeová, Fé em Ação, parte 1. Watchtower Bible and Tract Society of PA. Publicado em 2010.

ANUÁRIO das Testemunhas de Jeová 1976. New York: Watchtower Bible And Tract Society of New York, INC, 1975.

NÃO Haverá Mais Demora. New York: Watchtower Bible And Tract Society of New York, INC, 1971.