Joseph Smith Jr.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Joseph Smith Jr)
Ir para: navegação, pesquisa
Joseph Smith
Joseph Smith em 1833
Nome completo Joseph Smith, Jr.
Nascimento 23 de dezembro de 1805
Sharon, Vermont
 Estados Unidos
Morte 27 de junho de 1844 (38 anos)
Carthage, Illinois
 Estados Unidos
Nacionalidade Estadunidense
Ocupação Religioso, político
Assinatura
Joseph Smith Jr Signature.svg

Joseph Smith Jr. (1805-1844) nascido na cidade de Sharon, nos Estados Unidos da América.[1] Foi um religioso, empreendedor e político norte-americano. E primeiro presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias - conhecida também como Igreja Mórmon - que hoje conta com dezenas de milhões membros em mais de 100 países pelo mundo.

Quando tinha apenas 14 anos de idade, Smith afirma ter sido respondido a uma oração, cuja pergunta era: "Qual de todas as igrejas estava certa?"[2] Ele foi respondido com uma visão, da qual Deus lhe orientou, dizendo que não deveria se unir a nenhuma das igrejas, mas que logo a mesma igreja que fora criada durante o ministério pessoal de Cristo, voltaria para terra.[2]

Em 1829 aos 24 anos, Joseph Smith afirma ter sido chamado como profeta de Deus, assim como Moisés, Abraão e muitos outros na Bíblia, servindo como um instrumento nas mãos de Deus para restaurar a Igreja primitiva de Jesus Cristo, e todos seus ensinamentos que foram perdidos. Depois ele termina e publica a tradução do Livro de Mórmon (Outro testamento de Jesus Cristo), que de acordo com Joseph, foi um registro escrito no continente americano em placas de metal, que começou a ser escrito no ano 600 AC, e que foi encontrado por ele através de revelação divina. Com bem pouco estudo formal, ele traduziu esse registro do Egípcio reformado para o Inglês, através do poder de Deus, sendo assim o seu principal fruto como profeta de Deus. 

Joseph testifica que Deus organizou sua Igreja novamente na terra, com a mesma organização existente na igreja primitiva de Jesus, isto é, com profetas e 12 apóstolos (I Corintios 12:28, Efésios 2:20).

Os membros da Igreja de Jesus Cristo consideram Joseph Smith como um profeta. Título semelhante é carregado por todos aqueles que o sucederam na presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Os membros da Igreja também consideram como textos sagrados, todas as suas revelações, publicadas em livro denominado Doutrina e Convênios. Essas revelações tem a mesma autoridade e importância às contidas na Bíblia e no Livro de Mórmon. Os membros da Igreja testificam, que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre (Hebreus 13:8), logo, Cristo irá chamar profetas hoje e sempre, todos participando de uma linhagem de profetas que ensinam continuamente o evangelho, sem discordâncias entre si.[3]

Entre 1830 até 1844, Joseph e os membros da Igreja foram muito perseguidos, pois a igreja crescia muito rápido e os religiosos mais influentes da época estavam atemorizados. Os mórmons estavam apenas pregando o evangelho de Jesus Cristo. Porém, a perseguição foi tão grande que eles foram forçados a fugir para Kirtland e posteriormente para Nauvoo. Em 1844, Joseph declara estar perto o dia de sua morte. Nesta época, por causa de muitos pedidos, Joseph Smith foi candidato a Presidente dos Estados Unidos, mas foi morto dias antes das eleições[4] . Ele foi morto juntamente com seu irmão, Hyrum, quando uma multidão anti-mórmon invadiu a Cadeia de Carthage, onde ele se encontrava preso.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fazenda da família Smith, em Manchester, estado de Nova Iorque (1907).

Joseph Smith Jr. nasceu em 23 de dezembro de 1805, em Sharon, Vermont. Seus pais eram Joseph Smith Sr. e Lucy Mack Smith, um casal de fazendeiros migrantes. De família numerosa, tinha dez irmãos e irmãs. Viveu sua infância em fazendas nos estados de Nova Iorque, Vermont e New Hampshire.[5] De origem pobre, a família Smith era religiosa e quase todos os seus membros eram alfabetizados.[6] Entre 1816 e 1817, a família Smith mudou-se para oeste de Nova Iorque, até à vila de Palmyra.[6] A área em que moravam possuía repetidos renascimentos religiosos durante este período. Apesar de nunca ter se tornado adepto a uma das igrejas existentes em sua adolescência, Smith participou de reuniões de todas as igrejas com sua família, como exemplo a Presbiteriana, onde estudavam a Bíblia.[7]

Convivia com sua família na zona rural de Palmyra, quando supostos movimentos evangélicos levaram a um despertar religioso na região manifestação religiosa conhecida como “O Grande Despertar” (Religious Awakening), o que o levou a sérias reflexões pessoais. Ele desejava saber qual daquelas igrejas era correta. Um dia, leu uma passagem na Bíblia que dizia: “ Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5). Joseph decidiu aceitar o convite e perguntar a Deus.

Na primavera de 1820, Joseph foi a um bosque próximo a sua casa e orou para saber a qual igreja deveria unir-se. Em resposta à sua oração, o Pai Celestial e Seu Filho, Jesus Cristo, lhe apareceram. Joseph escreveu: “Quando a luz pousou sobre mim, vi dois Personagens cujo esplendor e glória desafiam qualquer descrição, pairando no ar, acima de mim. Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: — Este é Meu Filho Amado. Ouve-O!” Foi respondido a Joseph que não deveria unir-se a nenhuma das igrejas existentes naquele tempo pois estas estavam todas erradas. E que seus líderes se aproximavam de Deus com a boca mas não com o coração.[8]

A Primeira Visão - Deus, o Pai, e Jesus Cristo, aparecem ao menino Joseph Smith Jr. na primavera de 1820

Em 1823, Joseph foi visitado por um mensageiro celestial chamado Morôni, que o guiou a um monte, onde mostrou a Joseph, placas de ouro, que continham a história de uma antiga civilização vinda de Jerusalém, que estabeleceu-se nas Américas por indicação divina. Em 1827, Joseph teve autorização do mensageiro para retirar as placas, e traduziu-as para o inglês com o auxílio do Urim e Tumim. A obra traduzida recebeu o nome de Livro de Mórmon, por causa de um dos profetas do livro chamado Mórmon, que foi quem resumiu e organizou todos os registros desde o começo.

Restauração da religião (1827 - 1830)[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1827, Smith e Emma Smith, sua esposa, mudaram-se de Palmyra a Harmony (agora Oakland), Pensilvânia, com a ajuda de Martin Harris.

Em 6 de Abril de 1830, Joseph e alguns convertidos organizaram a A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. As denominações evangélicas passam a perseguir Joseph e a igreja. Assim, todos os membros da igreja, liderados por Joseph e outros líderes, mudaram-se para Nova Iorque. O primeiro templo é estabelecido em Kirtland, Ohio, em 1836. Apesar da saída dos santos dos últimos dias de Fayette, a perseguição aos religiosos continuou. Sendo assim, novamente os santos dos últimos dias saíram de Ohio e mudaram-se para o Missouri, e depois para Illinois, onde em 1839 surge a comunidade de Nauvoo.

Joseph Smith fundou a cidade de Nauvoo e implementou por revelação moderna, várias leis, como por exemplo, a lei da consagração, onde os membros da recém-restaurada igreja deveriam dispor seus bens ao bispo da Igreja e esses bens eram divididos entre os membros de forma igualitária. Esse modo de organização econômica deu a eles muita prosperidade e rapidamente a cidade cresceu e todos tinham uma altíssima qualidade de vida.

Vida em Ohio[editar | editar código-fonte]

Quando Smith se mudou para Kirtland, Ohio, em janeiro de 1831, sua primeira tarefa era trazer a congregação de Ohio para dentro de sua própria autoridade religiosa por anulação de exposição aos novos convertidos, com "exuberantes dons espirituais". A congregação, liderada por Sidney Rigdon, incluía uma profetisa que Smith declarou ser indigna. Antes da conversão, a congregação também tinha praticado uma forma de comunismo cristão, e Smith adotou um sistema comunal dentro de sua própria igreja, chamando-a de Ordem Unida de Enoch. Por revelação de Deus, Smith começou uma revisão da Bíblia em abril de 1831, no qual ele trabalhava esporadicamente até a sua conclusão em 1833. Assim, na Conferência Geral da Igreja em junho de 1831, ele apresentou a maior autoridade de hierarquia da igreja, o Sacerdócio de Melquisedeque, ou Sacerdócio Maior.

A igreja crescia à medida que novos convertidos chegavam em Kirtland. No verão de 1835 havia quinze congregações para dois mil mórmons que viviam nos arredores de Kirtland. Joseph Smith levou a Oliver Cowdery a responsabilidade pregar o evangelho aos indígenas que viviam na região. Embora a missão de converter os índios tenha sido um fracasso, Oliver Cowdery mandou dizer que havia encontrado o local para a Nova Jerusalém no Condado de Jackson, Missouri. Depois de ter visitado o local, em julho de 1831, Smith concordou e pronunciou ao concelho que aquele deveria ser o lugar central de "Sião". Smith continuou a viver em Ohio, mas visitou o Missouri novamente no início de 1832, a fim de evitar uma rebelião dos Santos proeminentes, incluindo Cowdery, que acreditava que Sião estava sendo negligenciada. A viagem de Smith foi acelerada por um grupo de moradores liderados por ex-Santos, que indignaram-se com a Ordem Unida e o poder político de Smith. A multidão agrediu ferozmente Joseph Smith e Rigdon, que foram cobertos de piche e penas de aves.[9]

Em 1832, uma multidão agrediu ferozmente Joseph Smith Jr. e Sidney Rigdon, quem foram cobertos de piche e penas de ave.

Muitos dos não-mórmons que viviam na região do condado de Jackson ressentiam os recém-chegados mórmons por razões políticas e religiosas, temendo uma dominação da região por parte dos mórmons. Muitos ataques contra mórmons começaram em julho de 1833. Smith aconselhou os mórmons a agirem pacientemente e suportar as opiniões contrárias. No entanto, uma vez que os ataques começaram a se agravar, muitos mórmons começaram a se defender, muitas vezes reagindo aos ataques. Porém, muitos deles foram brutalmente expulsos do condado. Smith reuniu todos os santos expulsos do condado e voltaram para o Missouri, em uma expedição paramilitar, mais tarde chamado de Acampamento de Sião. Quando o campo se encontrava em desvantagem numérica, Smith retirou-se e deu uma revelação de que agora não era o tempo para construir a nova jerusalém e deram continuidade a construção do Templo de Kirtland.

Joseph organiza todas as revelações e as coloca em um livro, hoje chamado de Doutrina e Convênios. Smith também traduziu um papiro encontrado, mais tarde publicado como o Livro de Abraão. O Santos construíram o Templo de Kirtland a grande custo, e na dedicação do templo, em março de 1836, eles participaram da doação profetizada, uma cena de visões, visitas de anjos e outras experiências espirituais. Durante o período 1834-1837, os mórmons viveram em paz nos Estados Unidos.

Em 1839 a perseguição na região de Ohio aumentou e eles foram expulsos para o Missouri. Perdendo a posse do Templos recentemente construído.

Vida no Missouri[editar | editar código-fonte]

Depois de deixar o Condado de Jackson, no Missouri, o Santos criaram a cidade de Far West. Também foi iniciada a construção de um novo templo. Durante esta época, milhares de santos dos últimos dias foram guiados por Joseph Smith Jr e Sidney Rigdon para Far West. Porém, a grande maioria dos que seguiram Smith para Far West foram expulsos da região por nativos não mórmons e de outras religiões, inclusive o próprio Smith.

Ainda em 1838, Joseph Smith Jr. tomou por decisão que os mórmons deveriam ser candidatos a cargos políticos, como uma forma de defesa dos anti-mórmons. Em 4 de julho, Sidney Rigdon produziu um discurso atacando os anti-mórmons. Esse discurso foi publicado em diversos jornais de Missouri. Em contra ataque, muitos anti-mórmons de todo o país se uniram para ataca-los, centenas de não mórmons mataram cerca de 40 mórmons, incluindo crianças, no Massacre de Haun's Mill, efetivamente acabando com os conflitos.

Em 1 de novembro de 1838, o Santos, incluindo Joseph Smith Jr., se renderam aos 2.500 soldados do Missouri, e concordaram em perder suas propriedades e deixar o estado. Smith foi submetido a corte marcial e quase executado por traição. Porém, Alexander Doniphan, um advogado mórmon, provavelmente salvou a vida de Smith, insistindo em que ele era um civil. Smith foi enviado a um tribunal do Missouri para uma audiência preliminar, onde vários de seus antigos aliados, incluindo o comandante Danite Sampson Avard, viraram-se contra ele. Smith e outros cinco mórmons, incluindo Sidney Rigdon, foram acusados de "atos de traição evidente", e transferidos para a cadeia de Liberty, na região noroeste do Missouri, para aguardar julgamento.

Joseph Smith Jr. viveu quatro meses na cadeia de Liberty.

Joseph Smith Jr. e Sidney Rigdon viveram presos por quatro meses. Brigham Young levantou-se em destaque como defensor de Smith. Sob a liderança de Young, cerca de 14 000 jovens Santos dos Últimos Dias viajaram até ao Illinois em busca de terras à venda. Smith passou grande parte de seu tempo na cadeia de Liberty escrevendo textos e declarações aos santos dos últimos dias.

Smith e seus companheiros tentaram escapar pelo menos duas vezes durante os quatro meses de prisão, mas em 6 de abril de 1839, a caminho de uma prisão diferente após a audição do júri, eles foram liberados da pena. E mais tarde a justiça dos Estados Unidos pediu desculpas formais pela pena injustamente imposta sobre eles.

Vida em Nauvoo, Illinois[editar | editar código-fonte]

Ao contrário do Missouri, Joseph Smith e os mórmons foram bem recebidos em Illinois. Joseph Smith Jr. e os [santos dos últimos dias [SUDs]] ocuparam uma região pantanosa do Illinois e fundaram a cidade de Nauvoo. A imagem que a população do Illinois tinha dos santos dos últimos dias era a de um povo trabalhador e muito determinado a servir a Deus. Smith pediu ao governo federal para ajudar na obtenção de reparações. Durante uma epidemia de malária, Joseph Smith e os apóstolos ungiu os doentes com óleo e os abençoou, e muitos milagres e curas foram relatados. Foi vivendo no Illinois que ele enviou Brigham Young e outros membros do Quórum dos Doze Apóstolos para missões na Europa. Estes missionários encontraram muitos convertidos disposto na Grã-Bretanha, iniciando o crescimento da Igreja pelo mundo.

Em dezembro de 1843, sob a autoridade do Quórum Cristo, Smith solicitou o Congresso a fazer de Nauvoo um território independente, com o direito de convocar as tropas federais em sua defesa. Então, Smith anunciou sua candidatura própria para Presidente dos Estados Unidos. O Quórum dos Doze Apóstolos e milhares de outros missionários mórmons e não-mórmons apoiaram com a alegria a candidatura política de Smith. Em março de 1844, na sequência de uma disputa com um burocrata federal, Smith organizou o Conselho dos Setenta. O Conselho serviu para pregar o evangelho para todo o país.

Dissidência em Nauvoo[editar | editar código-fonte]

Devido à várias acusações, Joseph Smith e seus companheiros mais próximos acabaram presos. Em 24 de junho de 1844, Smith e seu irmão, Hyrum Smith, foram levados para a cadeia de Carthage, acusados de fraude. Claramente, Joseph Smith havia ganhado uma grande influência não só entre os santos dos últimos dias, e devido a esse fato, pretendia lançar-se candidato à Presidência dos Estados Unidos. Historiadores acreditam que esse fato tenha contribuído para o assassinato de Joseph Smith Jr. e seu irmão Hyrum Smith em 27 de junho de 1844. Para os membros da igreja, não importa a causa exata de assassinarem ele, mas que assim como os profetas do velho testamento, o própio Cristo e seus apóstolos, também foram assassinados por defenderem a Deus, e com Joseph, não deveria ser diferente.

Morte[editar | editar código-fonte]

O assassinato de Joseph Smith Jr. e Hyrum Smith

Na primavera de 1844 uma fissura se desenvolveu entre Smith e alguns de seus colaboradores mais próximos, mais notavelmente em William Law e Robert Foster, um general da Legião Nauvoo. William Law e Robert Foster discordaram de Smith sobre como gerenciar a economia teocrática de Nauvoo. Após a organização dos dissidentes, Smith excomungou-os em 18 de abril de 1844. Os dissidentes formaram uma igreja concorrente e, no mês seguinte, Smith enfrentou a justiça do Illinois sendo acusado de fraude bancária. Em resposta à igreja criada pelos dissidentes, Smith e seus seguidores defenderam-se dos argumentos apresentados por grande parte dos líderes dos dissidentes, e, em um discurso, Smith negou veementemente que praticava a poligamia. Após os dissidentes publicarem um novo jornal que tinha como título "auto-composição monarca", o Conselho dos Cinqüenta decidiu não processar os dissidentes e manter a situação da forma como estava.

Assim, em 7 de junho de 1844, os dissidentes propuseram uma reforma dentro da igreja. O jornal criado pelos dissidentes denunciou a poligamia e argumentou apresentar a realidade de Smith, prometendo mostrar provas de suas alegações em sucessivas edições. Em uma reunião do conselho da cidade de Nauvoo, Smith voltou a negar que a igreja estava praticando a poligamia. Sobre a teoria de que o jornal não possuía provas contra os mórmons, o Conselho ordenou à Legião Nauvoo denunciar o jornal como uma perturbação da ordem pública.

Smith aceitou a decisão do Conselho dos Cinquenta. O jornal encerrou suas atividades, e isso gerou tumultos em toda a cidade. Mesmo com a ordem de encerrar as atividades, várias publicações ainda foram feitas pelo jornal contra os Santos dos Últimos Dias, principalmente contra Smith. O movimento dissidente era liderado por Thomas C. Sharp, editor do Warsaw Signal. Temendo uma revolta , Smith mobilizou a Legião Nauvoo, em 18 de junho e declarou a lei marcial. Porém, Thomas Ford reapareceu e ameaçou formar um movimento ainda maior contra Smith, o Conselho dos Cinquenta e seus seguidores. Smith fugiu através do rio Mississippi. No entanto, sob pressão de Emma Hale Smith, sua esposa, e de outros santos, ele retornou à Nauvoo e se rendeu a Thomas Ford. Em 23 de junho, Smith e seu irmão, Hyrum, foram levados para a Cadeia de Carthage para serem julgados. A Família Smith permaneceu sob custódia, após a prisão de Joseph Smith Jr.

Smith e Hyrum permaneceram na cadeia de Carthage, juntamente com outros mórmons que também haviam sido presos injustamente. Na manhã do dia 27 de junho de 1844 Smith enviou uma carta ordenando à Legião Nauvoo que o libertasse da cadeia, mas o comandante em exercício calmamente desobedeceu essa ordem. No mesmo dia um grupo armado com os rostos pintados de preto invadiu a cadeia de Cartaghe e assassinaram Hyrum Smith instantaneamente com um tiro na face. Joseph Smith reagiu e disparou sobre elementos do grupo ferindo pelo menos cinco deles, mas foi baleado enquanto saltava de uma janela, e em seguida, assassinado. Hyrum Smith e Joseph Smith Jr. foram enterrados em Nauvoo. Cinco homens foram julgados pelo assassinato de Joseph Smith, Hyrum Smith e outros cinco mórmones, e todos foram absolvidos.

Referências

  1. a b Joseph Smith Jr. - Basics fats LDS Church. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  2. a b Joseph Smith History página 15
  3. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith Pg 85
  4. Doutrina e Convenios
  5. Joseph Smith Jr. - Biograpy PBS. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  6. a b Joseph Smith Jr. Try County. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  7. The Life of Joseph Smith Religion facts. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  8. Joseph Smith History (pagina 15)
  9. Roberts, B. H. (1904) - História de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Volume 2.
Precedido por
Restaurador
Lista de presidentes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
1830 - 1844
Sucedido por
Brigham Young


Precedido por
Restaurador
Presidente da Comunidade de Cristo
1830 - 1844
Sucedido por
Joseph Smith III

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Joseph Smith Jr.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Joseph Smith Jr.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]