Joviano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Dezembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Joviano
Imperador romano
154 Jovianus.jpg
Siliqua (moeda) com efígie de Joviano, ca 363
Governo
Reinado 363-364
Consorte Cárito
Antecessor Juliano, o Apóstata
Sucessor Valentiniano I
Vida
Nome completo Flavius Iovianus
Nascimento 331
Singidunum
Morte 18 de abril de 364 (33 anos)[1]
Dadastana
Sepultamento Igreja dos Santos Apóstolos, Constantinopla
Filhos Varroniano
Pai Varroniano

Flávio Joviano (em latim: Flavius Iovianus; 33117 de fevereiro de 364) foi um soldado eleito imperador romano pelo exército em 363, após a morte do imperador Juliano.

Juliano havia lutado contra os sassânidas e obtido várias vitórias, tendo devastado a Síria e acampado em Ctesifonte, porém, ao retornar, foi morto pelo inimigo, no dia 26 de junho, no sexto ano de seu reinado e aos trinta e dois anos de idade.[2]

Joviano, um dos guarda-costas de Juliano, que o acompanhou na expedição, foi eleito pelos soldados para ocupar o trono. Joviano era mais famoso por seu pai do que por ele mesmo.[3]

O exército estava com falta de provisões, e após ser derrotado duas vezes pelos persas, Joviano foi forçado a fazer a paz com Sapor II do Império Sassânida. A paz era necessária, mas foi feita em condições vergonhosas, porque Joviano teve que ceder partes do Império Romano, uma desgraça que nunca havia ocorrido antes, desde a fundação de Roma, 1118 anos antes.[Nota 1] [3]

Segundo Eutrópio, um dos motivos de Joviano ter aceito esta humilhação foi que, estando no leste, ele temia o surgimento de algum rival com dignidade imperial, e não pensou em sua glória. Marchando de volta, na direção de Ilírico, Joviano morreu de morte súbita, na Galácia.[3]

Alguns supuseram que ele morreu por um ataque de indigestão, porque ele havia se excedido na alimentação, outros que ele morreu por causa do odor da câmara em que ele estava, porque havia sido recentemente pintada e era perigosa, e outros que ele morreu pelos efeitos do carvão, que ele tinha ordenado que fosse queimado em grande quantidade por causa do frio.[1]

Ele morreu no ano 1119 ab urbe condita, no ano em que ele era cônsul, junto com seu filho Varroniano, no sétimo mês do seu reinado, no dia 18 de abril, aos trinta e três anos de idade, e, por gentileza dos imperadores que o sucederam, foi enumerado entre os deuses, pois ele era inclinado a igualdade, e liberal por natureza.[1]

Joviano era cristão, diferentemente de seu antecessor apóstata, Juliano, que havia promovido um retorno ao paganismo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Joviano
Precedido por
Juliano
SPQRomani.svg
Imperador romano
363 - 364
Sucedido por
Valentiniano I



Notas e referências

Notas

  1. Eutrópio se refere à fundação do Império romano como tendo ocorrido 1118 antes, no terceiro ano da sexta olimpíada

Referências

  1. a b c Eutrópio, Resumo da História Romana, 10.18
  2. Eutrópio, Resumo da História Romana, 10.16 {{la}}{{en}}
  3. a b c Eutrópio, Resumo da História Romana, 10.17
Ícone de esboço Este artigo sobre Roma Antiga e o Império Romano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.