Juca Chaves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juca Chaves
Nascimento 22 de outubro de 1938 (75 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Compositor, músico, humorista

Jurandyr Czaczkes, mais conhecido como Juca Chaves (Rio de Janeiro, 22 de outubro de 1938), é um compositor, músico e humorista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Com formação em música erudita, começou a compor ainda na infância. Iniciou sua carreira no fim da década de 1950, tocando modinhas e trovas num estilo suave.

Nos anos 60 montou um circo nas proximidades da Lagoa Rodrigo de Freitas, do Corte de Cantagalo. Ali apresentou seu show Menestrel Maldito. Conforme o próprio Juca, o nome do circo era uma sigla: S de "snob", D de "divino Dener", R de "ralé", U de "uanderful", W de "water-closet", S de "Sdruws mesmo".

O humorista costumava contar a seguinte história sobre o Sdruws, perto do qual ficava uma favela. Juca convidara para o circo políticos, empresários e também pessoal da alta-sociedade carioca, e antes da primeira apresentação resolveu reunir os líderes da favela para lhes falar com franqueza, indo direto ao assunto: "Vim aqui para saber como vai ficar o negócio do roubo!" - Uma mulher baixinha, morena, (líder da favela), foi logo respondendo com firmeza: "Olha aqui seu Juca, nós entendemos a sua preocupação e lhe agradecemos pela sinceridade, mas pode o senhor ficar tranqüilo, porque a nossa comunidade já se garantiu, e pediu proteção à polícia!".[1]

Muitas de suas piadas ficaram famosas, marcando época. Exemplo dentre elas:

  • "a hiena é um animal que come fezes dos outros animais, só tem relações sexuais uma vez por ano e ri… mas ri de quê?"
  • "Escotismo: um bando de garotos vestidos de idiotas, comandados por um idiota vestido de garoto" (Juca teria pedido desculpas por esta frase).

Juca foi um crítico do Regime Militar, da grande imprensa e do próprio mercado fonográfico. Chegou a ser exilado em Portugal na década de 1970 mas, ao incomodar o governo de Salazar com suas sátiras que então ganhavam espaço nas rádios e televisão locais, transferiu-se para a Itália.

De volta ao Brasil, apresentou programas de televisão. Na década de 1980, lançou sua gravadora independente, a Sdruws Records. Um de seus bordões mais conhecidos é: "Vá ao meu show e ajude o Juquinha a comprar o seu caviar", seguido de sua risada característica.

Dentre suas canções mais conhecidas estão "A Cúmplice", "Menina", "Que Saudade", "Por Quem Sonha Ana Maria" (interpretada no filme Marido de Mulher Boa de 1960) e "Presidente Bossa Nova".

Em 2003 outro sucesso de Juca Chaves nos anos 70 - a canção "Take me Back to Piauí" - foi editado na coletânea "Brazilian Beats Volume 4" da gravadora britânica Mr. Bongo, especializada em música popular brasileira.

Juca Chaves tem duas filhas adotadas e reside na Bahia. Também é conhecido por ser um fanático torcedor do São Paulo Futebol Clube.[2]

Em 2006 lançou-se candidato a senador na Bahia pelo PSDC,[3] ficando em 4º lugar, com 19.603 votos (0,35% do total). Suas propagandas em formato de poesias distinguiam-no dos demais candidatos.[4]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Juca Chaves
Década de 1950
  • 1957 Nós Os Gatos / Chapéu de Palha com Peninha Preta (78 RPM Chantecler)
  • 1957 Por Quem Sonha Ana Maria? / Nasal Sensual (78 RPM)
  • 1957 Presidente Bossa Nova / Menina (78 RPM Chantecler)
Década de 1960
  • 1960 As Duas Faces de Juca Chaves (LP RGE)
  • 1961 A Personalidade Juca Chaves (LP RGE)
  • 1962 As Músicas Proibidas de Juca Chaves (LP Odeon)
  • 1963 O Senhor Juca Chaves (Modinhas) (LP Polygran)
  • 1965 Exmo Sig Juca Chaves-Italiano (LP Fonecetera)
  • 1966 Il Vostro Affmo.Juca-Italiano (LP Fonecetera)
  • 1966 Per Chi Sogna Ana Maria / Ó Naso Mio (45 RPM Fonecetera)
  • 1966 Pavana Per La Contessa Alessandra (45 RPM Fonecetera)
Década de 1970
  • 1970 Juca Chaves Ao Vivo (Ou Morto) (LP Polygran)
  • 1970 Take Me Back To Piauí / Vou Viver Num Arco Íris (33 RPM RGE/Sdruws)
  • 1972 I Love You Bicho (LP RGE)
  • 1974 Ninguém Segura Este Nariz (LP Polygran)
  • 1977 Juca Bom De Câmara (LP Som Livre/Sdruws)
  • 1979 O Pequeno Notável (LP Warner/Sdruws)
Década de 1980
  • 1980 Marchinha do São Paulo (LP Continental)
  • 1985 O Menestrel do Brasil-Enfim (Quase)Livre (LP Sdruws)
  • 1986 O Incrível Juca Chaves (LP Sdruws/Polygran)
  • 1989 Sentir-se Jovem (LP - Sdruws/BMG)
Década de 2000
  • 2000 Protesto da Criança Inteligente / Humor e Música (CD Sdruws)
  • 2001 O Menestrel do Brasil / Sátira/Humor/Modinhas (CD Sdruws)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.