Julie Bishop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Julie Bishop
Nome completo Jacqueline Wells
Outros nomes Diane Duval
Nascimento 30 de agosto de 1914
Denver, Colorado
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Morte 30 de agosto de 2001 (87 anos)
Mendocino, California
Ocupação atriz
Cônjuge William F. Bergin (1968-2001) (morte da atriz)
Clarence A. Shoop (1944-1968) (morte dele) 2 filhos
Walter Booth Brooks III (1936-1939) (divórcio)
Atividade 1923 - 1957
Outros prêmios
WAMPAS Baby 1934
IMDb: (inglês)

Julie Bishop (30 de agosto de 191430 de agosto de 2001) foi uma atriz de cinema e de televisão estadunidense, que iniciou sua carreira ainda criança, na era do cinema mudo, tendo continuado a carreira plenamente após o início da era sonora. Ela atuou em 92 filmes entre 1923 e 1957.

Pode ser considerada uma raridade entre as estrelas de cinema, pois iniciando ainda criança no cinema mudo, facilmente adaptou-se ao cinema sonoro. Além disso, mesmo mudando os nomes inteiramente, ela continuou conhecida e atuando. Tendo iniciado a carreira em criança como Jacqueline Wells, mais tarde mudou seu nome artístico para Diane Duval, por um curto período, e depois para Julie Bishop, nome pelo qual se tornou mais conhecida.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Denver, Colorado, filha de um rico banqueiro, ela cresceu no Texas e, eventualmente em Los Angeles, após o divórcio de seu pais. Bishop nasceu com o nome Jacqueline Wells e usou esse nome profissionalmente até 1941. Quando se aventou mudar seu nome artístico, considerado pelos diretores “muito longo”, ela atuou em apenas um filme como Diane Duval, e depois mudou o nome para Julie Bishop.

Foi uma criança artista, iniciando sua carreira em 1923. Seu primeiro filme foi Children of Jazz[1] , pela Famous Players-Lasky Corporation em 1923. Um dos primeiros créditos de importância de Jacqueline Wells foi um seriado silencioso, The Bar-C Mystery, em 1926[2] . Atuou em Heroes of the West, em 1932, um dos primeiros seriados sonoros da Universal Pictures. Foi nessa época que aventou-se sobre a mudança de nome, e foi pensado no nome Diane Duval, mas só foi mantido por pouco tempo[2] , voltando a usar Jacqueline Wells.

O seriado Clancy of the Mounted, em 1933, se seguiu, ao lado de Tom Tyler, e o Western Square Shooter, em 1935, estrelado por Tim McCoy.

Atuou em vários filmes de Laurel and Hardy, tais como Any Old Port![3] , em 1932, e The Bohemian Girl[4] , em 1936.

Trabalhou na Paramount Pictures no início dos anos 1930, na Columbia Pictures durante vários anos, na Republic Pictures, na Warner Brothers. O nome pelo qual é lembrada aconteceu quando lhe foi oferecido um contrato pela Warner Bros., na condição de que ela mudass seu nome, que estava associado com ela quase exclusivamente em atuações em filmes-B através de 1941 (totalizando quase 50 filmes em 17 anos). Ela escolheu o nome porque combinou monogramas (tinha sido casada com Walter Booth Brooks III, um escritor). Segundo a atriz, "Jack Warner disse que meu nome real, Jacqueline Wells, era muito longo; precisávamos de um nome mais curto. (...) Foi Steve Trilling, cabeça da Warner, que veio com Julie Bishop. Eu adotei e gosto do nome Julie Bishop, assim saiu tudo certo no final. Apesar de quatro letras mais curto, tem as mesmas quatro consoantes que Jacqueline Wells tem!"[2]

Fez 16 filmes para a Warner Brothers, incluindo Princess O'Rourke [5] , de 1943, ao lado de Olivia de Havilland e Robert Cummings. Enquanto estava filmando, conheceu seu segundo marido, Clarence Shoop, um piloto. Ela atuou também ao lado de Humphrey Bogart em Action in the North Atlantic [6] , em 1943, e interpretou a esposa de Ira Gershwin no filme biográfico Rhapsody in Blue[7] , em 1945, terminando com a Warner em 1946, com Cinderella Jones.

Julie Bishop atuou em vários westerns. Em Kansas Terrors[8] Julie personificava uma garota mexicana. Trabalhou depois em Wild Bill Hickok Rides[9] , em 1942, e em Last of the Redmen[10] , em 1947. O último western de Julie foi The Big Land [11] , em 1957, que foi seu último filme.

Bishop atuou ao lado de John Wayne em Sands of Iwo Jima[12] , em 1949, em Westward the Women[13] , em 1951, dirigido por William Wellman, e The High and the Mighty[14] , em 1954.

Entre 1952 e 1953, participou de 21 episódios da série de televisãoMy Hero”, com Robert Cummings,[15] [16] personificando Julie Marshall.

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Ela também se apresentou no teatro, nas peças "Hamlet" e "The Merchant of Venice".

Era também piloto privado licenciado, além de pintora de naturezas mortas, tendo se apresentado em várias exposições em seus anos de pós-carreira.

Vida familiar[editar | editar código-fonte]

Casada três vezes, Julie Bishop teve um filho, médico e piloto, e uma filha, a atriz Pamela Susan Shoop[17] , ambos do segundo casamento, com o General Clarence A. Shoop, um piloto de teste que voou para Howard Hughes e depois se tornou vice-presidente da Hughes Aircraft; eles foram casados de 1944 até a morte dele, em 1968. Casou ainda uma terceira vez.

Morte[editar | editar código-fonte]

Julie Bishop morreu de pneumonia em seu 87º aniversário, em 30 de agosto de 2001, em Mendocino, Califórnia[18] .

Filmografia seleta[editar | editar código-fonte]

Poster do filme Tarzan the Fearless, de 1933.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Julie Bishop