Jurassic Park (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jurassic Park
Parque Jurássico (PT)
Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (BR)
Cartaz original de divulgação
 Estados Unidos
1993 • cor • 126 min 
Direção Steven Spielberg
Produção Kathleen Kennedy
Gerald R. Molen
Roteiro Michael Crichton
David Koepp
Baseado em Jurassic Park, de Michael Crichton
Elenco Sam Neill
Laura Dern
Jeff Goldblum
Richard Attenborough
Joseph Mazzello
Ariana Richards
Samuel L. Jackson
Wayne Knight
Bob Peck
Martin Ferrero
B.D. Wong
Gênero Aventura
Ficção Científica
Idioma Inglês
Música John Williams
Direção de fotografia Dean Cundey
Efeitos especiais Industrial Light & Magic
Stan Winston Studio
Edição Michael Kahn
Estúdio Amblin Entertainment
Distribuição Universal Studios
Lançamento Estados Unidos 09 de junho de 1993
Brasil 13 de junho de 1993
Orçamento US$ 63 milhões[1]
Receita US$ 1.029.153.882[1]
Cronologia
Último
Último
The Lost World: Jurassic Park
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Jurassic Park (no Brasil, Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros; em Portugal, Parque Jurássico) é um filme estadunidense de ficção científica e aventura dirigido por Steven Spielberg e baseado no livro homônimo escrito por Michael Crichton. É estrelado por Sam Neill, Laura Dern, Jeff Goldblum, Richard Attenborough, Ariana Richards, Joseph Mazzello, Samuel L. Jackson e Bob Peck. O filme é centrado na fictícia Isla Nublar, onde um filantropo bilionário e uma pequena equipe de geneticistas criam um parque temático em uma ilha, onde as principais atrações são variadas espécies de dinossauros recriados através da engenharia genética.

Antes mesmo do livro de Crichton ser publicado, muitos estúdios tentaram adquirir os direitos de imagem. Spielberg, juntamente com a Universal Studios, adquiriu-os por US$ 1.500.000 antes da publicação em 1990, e Crichton recebeu um adicional de US$ 500.000 para adaptar o romance para as telas. David Koepp escreveu o roteiro final, que deixou de fora grande parte da exposição do romance e violência e fez numerosas mudanças nos personagens. As filmagens ocorreram na Califórnia e no Havaí.

O filme foi aclamado como um marco na indústria de efeitos especiais, que no filme, foram produzidos pela Industrial Light & Magic (com efeitos criados através de computação gráfica) e pela Stan Winston Studios (com efeitos produzidos através de animatrônica).

Jurassic Park recebeu críticas altamente positivas, apesar de ressalvas à falta de desenvolvimento da história e personagens em oposição aos efeitos. Arrecadou mais de novescentos milhões de dólares em todo o mundo, tornando-se o filme de maior sucesso lançado até então (sendo ultrapassado somente quatro anos depois por Titanic), e sendo atualmente, a décima terceira maior bilheteria de todos os tempos.

A adaptação venceu três Óscars, sendo eles de Melhor som, Melhor edição de som e Melhores efeitos especiais.

O filme originou três sequências — The Lost World: Jurassic Park, Jurassic Park III e Jurassic World —, sendo as duas primeiras lançadas em 1997 e 2001 respectivamente, e a terceira, ainda em produção, tendo seu lançamento marcado para 2015.

Jurassic Park foi relançado em 3D nos cinemas em 5 de abril de 2013 e, neste relançamento, arrecadou mais de quarenta milhões de dólares nos Estados Unidos e mais de cinquenta na China. Com seu relançamento, Jurassic Park se tornou o primeiro filme da Universal Pictures e também de Steven Spielberg a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão de arrecadação nos cinemas mundiais. Tornou-se também o segundo filme a passar essa marca depois do relançamento em 3D, sendo o primeiro Star Wars Episode I: The Phantom Menace, relançado em fevereiro de 2012.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

John Hammond criou recentemente o Jurassic Park, um parque temático habitado por dinossauros clonados a partir do DNA extraído de insetos preservados em âmbar pré-histórico. O parque está localizado na Ilha Nublar, próxima à Costa Rica. Depois que um operário do parque é atacado por um velociraptor, os investidores de Hammond, representados pelo advogado Donald Gennaro, exigem que especialistas visitem o parque e verifiquem se ele é seguro. Gennaro convida o matemático Ian Malcolm, enquanto Hammond convida o paleontólogo Alan Grant e a paleobotânica Ellie Sattler, que se juntam na ilha aos dois netos de Hammond, Tim e Lex Murphy. Enquanto o grupo, em dois carros, faz um passeio pelo parque, Hammond observa-os, juntamente com Ray Arnold e Robert Muldoon, técnico-chefe e guarda-florestal do parque, respectivamente. O passeio não sai de acordo com os planos de Hammond: os Dilofossauros e o T. Rex não aparecem, e um Tricerátops fica doente. A maioria dos funcionários do parque partem em um barco para o continente antes de uma tempestade tropical que obriga o cancelamento da turnê. Todos voltam para os veículos de passeio elétricos, exceto Ellie, que fica com o veterinário do parque, a fim de estudar melhor o Tricerátops.

Réplica do modelo do Centro de Visitantes.

O programador-chefe do parque, Dennis Nedry, está secretamente a serviço de uma das empresas rivais da InGen, e foi pago para roubar embriões de dinossauros fertilizados. Durante o roubo, Nedry desativa o sistema de segurança do parque, permitindo-lhe acesso ao armazenamento de embriões. O resto do grupo, devido ao desligamento do sistema, ficam presos no meio do parque, com as cercas elétricas desligadas. Isso permite que o Tiranossauro Rex escape de seu cercado, e ataque os carros, matando Gennaro e ferindo Ian gravemente. Grant consegue salvar a si e as crianças graças ao seu conhecimento quanto às limitações visuais do T. Rex. Enquanto isso, Nedry, a caminho das docas da ilha, bate seu jipe e encontra um Dilofossauro, que cospe veneno em seus olhos, cegando-o, e depois o mata.

Ellie e Muldoon tentam encontrar sobreviventes, conseguindo apenas encontrar Malcolm, ainda vivo. Enquanto tentam encontrar Grant e as crianças dentro da selva, Ian percebe que o Tiranossauro ainda está por perto, e quando o animal aparece, eles fogem rapidamente em um jipe. Incapaz de decifrar o código de Nedry para reativar as cercas de segurança, Arnold recomenda uma reinicialização total dos sistemas do parque. Ele, juntamente com Ellie, Hammond, Muldoon e Malcolm, desliga a energia do parque e vai para o abrigo de segurança, de onde poderá reiniciar todos os sistemas, mas, como ele não volta, Muldoon e Ellie se dirigem ao abrigo. Ao mesmo tempo, Grant e as crianças descobrem um ninho de Velociraptor cheio de ovos quebrados, indicando que os dinossauros estão procriando por conta própria, o que Hammond julgava ter impossibilitado. Enquanto Muldoon e Ellie seguem para o abrigo de manutenção, Muldoon percebe que eles estão sendo caçados por três Velociraptores, sendo morto por um deles. Ellie chega ao abrigo em segurança e reinicia os sistemas parque, porém em seguida, descobre restos mutilados de Arnold e também é atacada por um raptor, mas consegue escapar. Ao mesmo tempo, Tim, Lex e Grant escalam uma cerca eletrificada para fora da zona dos animais no parque e Tim quase é morto quando a eletricidade é reativada.

Grant e as crianças dirigem-se para o centro de visitantes, onde Grant deixa as crianças sozinhas na cozinha. Enquanto ele se reúne com Ellie e os outros, as crianças escapar de dois raptores antes de se encontrarem com Grant e Ellie. Lex consegue ativar os sistemas de segurança do parque e da sala de controle, e Grant avisa a Hammond e o diz para chamar o resgate, mas os dois raptores encontram o grupo e os atacam. O grupo foge pelas aberturas, mas são encurralados pelos raptores na saída. Quando estes se preparam para atacar, o Tiranossauro aparece no salão principal, mata os raptores, e solta um grande rugido. Assim, o quarteto escapa e é resgatado por um helicóptero. Enquanto todos estão voando para fora da ilha, Grant observa um bando de aves — descendentes diretas dos dinossauros — voando sobre o mar, e sorri para si mesmo.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Sam Neill interpreta Alan Grant, um paleontólogo que no início do filme trabalha em escavações num deserto de Montana. Ele não gosta de crianças, em particular, mas protege os netos de Hammond no decorrer da história. Neill foi a primeira escolha de Spielberg para o papel, mas ele não aceitou porque estava ocupado na época. Spielberg então convindou o ator William Hurt, mas ele recusou sem nem mesmo ler o roteiro, e até mesmo Harrison Ford não aceitou a proposta.[3]
  • Laura Dern interpreta Ellie Sattler, uma paleobotânica e aluna graduada de Grant.
  • Jeff Goldblum interpreta Ian Malcolm, um matemático e teórico do caos.
  • Richard Attenborough interpreta John Hammond, o bilionário, diretor executivo da InGen e criador do Jurassic Park.
  • Ariana Richards interpreta Lex Murphy, neta de Hammond. Cria laços com Grant durante o decorrer da história.
  • Joseph Mazzello interpreta Tim Murphy, irmão mais novo de Lex. Também cria laços com Grant.
  • Wayne Knight interpreta Dennis Nedry, o insatisfeito controlador de sistemas do Jurassic Park. Na verdade é um espião da BioSyn.
  • Bob Peck interpreta Robert Muldoon, o guarda-florestal do parque.
  • Martin Ferrero interpreta Donald Gennaro, um advogado que representa os investidores de Hammond.
  • Samuel L. Jackson interpreta Ray Arnold, o engenherio-chefe do parque e responsável por desligar a energia do parque para reiniciar o sistema bloqueado por Nedry, liberando os raptores de suas instalações.
  • B.D. Wong interpreta Henry Wu, o geneticista-chefe do parque e responsável para que os exemplares geneticamente modificados sejam devidamente registrados.
  • Cameron Thor interpreta Lewis Dodgson, gerente da empresa rival da InGen, que forneceu a Nedry um recipiente onde ele guardaria os embriões roubados.
  • Gerald R. Molen interpreta Gerry Harding, o veterinário do parque.
Elenco principal
SamNeill08TIFF.jpg Laura Dern at the 2010 Independent Spirit Awards.jpg JeffGoldblum07TIFF.jpg RichardAttenborough07TIFF.jpg Samuel L Jackson at San Diego ComicCon 2008.jpg Bob Peck.JPG BDWongNYCJune08.jpg
Sam Neill Laura Dern Jeff Goldblum Richard Attenborough Samuel L. Jackson Bob Peck B.D. Wong
Alan Grant Ellie Sattler Ian Malcolm John Hammond Ray Arnold Robert Muldoon Henry Wu

Dublagens no Brasil[editar | editar código-fonte]

No total, o filme teve três dublagens feitas. A primeira delas, foi feita pelos estúdios Herbert Richers, quando o filme estreou na programação da Rede Globo, em 1996.[4] A segunda, foi feita pela Álamo, para o lançamento do DVD do filme em 2000.[5] A dublagem mais recente, foi feita para o relançamento de Jurassic Park em 3D, em 2013. Esta, foi produzida pela Delart, sendo traduzida e dirigida por Manolo Rey, editada por Henrique Caldas e Raphael Carestiato e tendo como técnico de gravação, Rodrigo Oliveira.[6] O elenco da Delart é o seguinte:

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Michael Crichton concebeu originalmente um roteiro sobre um estudante graduado que recria um dinossauro, ele continuou lutando com sua fascinação por dinossauros e clonagem até que começou a escrever o romance Jurassic Park.[7] Antes mesmo de ser publicado, Spielberg ficou sabendo do romance em outubro de 1989 enquanto ele e Crichton estavam discutindo um roteiro que se tornaria a série de televisão ER.[8] Antes de publicar o livro, Crichton exigiu uma remuneração de US$ 1,5 milhões além de uma porcentagem substancial da receita bruta. Tim Burton e Warner Bros., Richard Donner e Sony Pictures Entertainment, e Joe Dante e 20th Century Fox tentaram obter os direitos; mas no final a Universal adquiriu-os para Spielberg em maio de 1990.[8] A Universal pagou ao autor um adicional de US$ 500.000 para ele adaptar seu próprio romance,[9] que ficou pronto no momento em que Spielberg filmava Hook. Crichton observou que, como o livro foi "bastante longo" seu roteiro tinha apenas cerca de 10 a 20 por cento do conteúdo do romance, muitas cenas foram retiradas por razões práticas e orçamentais.[10] Depois de concluir Hook, Spielberg queria filmar A Lista de Schindler. O presidente Sid Sheinberg da então Music Corporation of America deu sinal verde para o filme com uma condição: que Spielberg fizesse Jurassic Park primeiro. Depois Spielberg disse: "Ele sabia que quando eu tivesse dirigido Schindler não seria capaz de fazer Jurassic Park.".[8]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

Após 25 meses de pré-produção, as filmagens começaram em 24 de agosto de 1992, na ilha havaiana de Kauai.[11] As gravações nessa ilha envolviam várias cenas durante o dia. Em 11 de setembro, o furacão Iniki passou diretamente sobre Kauai, o que causou a perda de um dia de filmagem para a equipe.[12] Várias das cenas de tempestade do filme são imagens reais filmadas durante o furacão. A cena da perseguição dos Galimimos foram feitas em Oahu e algumas partes tiveram que ser criadas digitalmente e acrescentadas ao cenário.[13] A equipe então voltou aos Estados Unidos para filmar nos estúdios da Universal a cena dos raptores na cozinha.[14] A equipe também gravou em estúdio as sequencias envolvendo o fornecimento de energia, antes de irem ao parque Red Rock Canyon gravar a cena de escavação num deserto de Montana.[15] Em seguida, voltaram aos estúdios da Universal para gravar as cenas de Grant salvando Tim, utilizando um suporte de quinze metros com rodas hidráulicas para a queda do carro, e o encontro com os Braquiossauros. Mais tarde, continuaram com as gravações das cenas do laborátorio e da sala de controle, que usaram animações para computadores criadas pelas empresas Silicon Graphics e Apple.

A equipe foi então para os estúdios da Warner Bros. filmar a cena do tiranossauro atacando os veículos na estrada.[16] Essa gravação deu um grande trabalho, pois como era uma cena de chuva o dinossauro animatrônico criado por Winston tinha que ficar sendo enxugado.[17] Os círculos concêntricos no copo d'água causados pelos passos do tiranossauro, foram inspirados por Spielberg ouvindo Earth, Wind & Fire em seu carro, e as vibrações que o ritmo baixo fazia. Lantieri não sabia como criar a tomada até o dia anterior à filmagem, quando ele colocou um copo d'água sobre um violão e tocou uma corda, a vibração fez os círculos na água que Spielberg queria. Na manhã seguinte, cordas de violão foram colocadas dentro do carro e um homem no chão tocou-as para produzir o efeito.[18]

Efeitos especiais[editar | editar código-fonte]

Spielberg contratou Stan Winston para criar os dinossauros animatrônicos, Phil Tippett para criar dinossauros em go motion para long shots, Michael Lantieri para supervisionar a interação desses elementos com atores e cenários, e Dennis Muren para fazer a composição digital. O paleontólogo Jack Horner supervisionou os modelos, para realizar o desejo de Spielberg de retratar os animais mais como dinossauros do que monstros. Horner descartou um animatic de Thippet em que os raptores colocavam a língua para fora, queixando-se: "Não! Eles nunca poderiam fazer isso."[18] Aceitando o conselho de Horner, Spielberg insistiu que Tippet tirasse a língua.[19]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

John Williams
Foi, e sempre será uma das obras-primas mais impressionantes de John Williams [...] Com Jurassic Park, Williams teve a oportunidade de combinar cada um de seus estilos de composição predominantes nos anos 1990 em uma única trilha sonora. E nesse processo, ele conseguiu criar um material com um núcleo magicamente coesivo que é extremamente poderoso no filme.
Filmtracks[20]

No final de Fevereiro de 1993, John Williams começou a compor a trilha sonora de Jurassic Park. A direção musical de suas composições ficou a cargo, um mês depois, de John Neufeld e Alexander Courage, sendo gravada na Sony Scoring Stage, em Culver City, California.[21] [22] A gravação foi supervisionada por George Lucas, sendo concluída ao final de abril.[23] A estreia da trilha, ocorreu em 25 de maio do mesmo ano e é composta por 16 músicas, que são listadas abaixo:[24] [22] [25]

N.º Título Duração
1. "Opening Titles"   0:33
2. "Theme From Jurassic Park"   3:27
3. "Incident At The Island"   5:20
4. "Journey To The Island"   8:45
5. "The Raptor Attack"   2:48
6. "Hatching Baby Raptor"   3:20
7. "Welcome To Jurassic Park"   7:54
8. "My Friend, The Brachiosaurus"   4:16
9. "Dennis Steals The Embryo"   4:55
10. "A Tree For My Bed"   2:11
11. "High-Wire Stunts"   4:08
12. "Remembering Petticoat Lane"   2:47
13. "Jurassic Park Gate"   2:03
14. "Eye To Eye"   6:32
15. "T-Rex Rescue And Finale"   7:39
16. "End Credits"   3:25

Dinossauros[editar | editar código-fonte]

Apesar de o título do filme se referir ao período Jurássico, a maioria dos dinossauros que aparecem nele perteciam ao Cretáceo.[26] O roteiro reconhece isso quando o Dr. Grant descreve a ferocidade do Velociraptor a um garoto, dizendo: "Tente se imaginar no período Cretáceo..."

Réplica do modelo de Tyrannosaurus Rex utilizado em Jurassic Park.
  • O Tiranossauro é o principal antagonista do filme, e de acordo com Spielberg, foi a razão pela qual ele reescreveu o final, por medo de o público se decepcionar.[18] Antes, um final muito menos surpreendente foi escrito, onde um dos raptores foi morto a tiros e o outro pela queda de um fóssil. O suporte animatrônico criado por Winston pesava 13000 quilos, e media 12 metros de comprimento.[16] [27] O paleontólogo Jack Horner disse que ao estar perto deste suporte, foi "o mais próximo que eu já estive de um dinossauro vivo".[27] O sistema de visão do T. Rex foi representado com base em movimentos, ele só enxerga o que se move. Seu rugido é representado pelo som de um filhote de elefante misturado com um tigre e um jacaré, e sua respiração é um golpe de uma baleia.[21] O som de um cão brincando com uma corda foi usado para representar o ruído do Tiranossauro atacando o Galimimo.[18]
  • O Velociraptor também tem um papel importante e é retratado como antagonista secundário do filme, depois do Tiranossauro. A descrição do animal não foi baseada no gênero de dinossauro em questão (que em si era significativamente menor), e sim no Deinonico, que já foi chamado de Velociraptor antirrhopus por alguns cientistas.[28] Pouco antes do lançamento do filme, foi descoberta uma espécie parecida com os raptores do filme, denomida Utahraptor, e Stan Winston brincou: "Nós o fizemos, e eles o descobriram."[27] Os velociraptores que atacam Robert Muldoon, eram dublês vestidos de dinossauros.[29] Gritos de um golfinho, berros de uma morsa, assobios de um ganso e gruidae foram utilizados para reproduzir o som dos raptores.[18] Segundo descobertas feitas após o lançamento do filme, a maioria dos paleontólogos concluíram que dromeossauros como o velociraptor e o deinonico tiveram penas.[30]
Réplica do modelo de Dilophosaurus.
  • O Dilofossauro foi criado com dimensões menores, no que diz respeito ao seu tamanho real, para evitar que o público o confundisse com os raptores.[31] Além disso, sua capacidade de cuspir veneno, retratada no filme, é fictícia. Seus sons foram feitos através da combinação de um cisne, um gavião, um alouatta e uma cascavel.[18] [21]
  • O Braquiossauro é o primeiro dinossauro visto pelos visitantes do parque. É erroneamente descrito como um animal que mastiga seu alimento e se apóia nas patas traseiras para alcançar os galhos mais altos das árvores. Apesar das evidências científicas de terem capacidades vocais limitadas, o designer de som Gary Rydstrom decidiu misturar o som causado pelo canto das baleias com o de um asno para trazer, em suas próprias palavras, uma sensação melódica de admiração.[21]
  • O Tricerátops é mostrado quando Alan encontra uma fêmea doente durante o passeio. Sua aparência foi um pesadelo para Stan Winston, quando Spielberg pediu para filmar o animatrônico da criatura antes do esperado.[32] Winston também criou um filhote de Tricerátops para Ariana Richards, mas a cena foi cortada do filme por razões práticas.[33]
  • O Galimimo é apresentado apenas em uma cena onde um bando deles fogem de um Tiranossauro, e um deles é morto.
  • O Parassaurolofo aparece em segundo plano durante o primeiro encontro do grupo com o Braquiossauro.
  • O Proceratossauro, o Estegossauro e o Metriacantossauro não aparecem no filme, mas sugere-se que são parte das atrações do parque, pois seus nomes estão nos tubos de armazenagem de embriões quando Nedry rouba algumas amostras.

Marketing[editar | editar código-fonte]

A Universal gastou US$ 65 milhões na campanha de marketing para o Jurassic Park, fazendo acordos com cem empresas para comercializar 1000 produtos.[34] Esses incluíram três jogos eletrônicos desenvolvidos pelas empresas Sega e Ocean Software,[35] uma linha de brinquedos Kenner que foi distribuída pela Hasbro,[36] e uma romantização voltada para as crianças.[37] A trilha sonora lançada incluía material inédito.[38] Os trailers divulgados do filme davam apenas uma noção fugaz de dinossauros, uma tática que o jornalista Josh Horowitz descreveu como "aquele velho costume de Spierlberg de nunca revelar muito" quando Spielberg e o diretor Michael Bay fizeram o mesmo para a produção de Transformers em 2007.[39] O filme foi comercializado com a tagline "Uma aventura que levou 65 milhões de anos para ficar pronta."[40]

Atração relacionada ao filme no Islands of Adventure, da Universal Studios.

O filme estreou no Museu Nacional da Construção em 9 de junho de 1993, Washington, D.C.,[41] em apoio a duas instituiçoes de caridade infantis.[42] Seu debute em VHS e Laserdisc ocorreu no dia 4 de outubro de 1994,[43] e foi lançado pela primeira vez em DVD no dia 10 de outubro de 2000.[44] Também foi lançado num pacote com O Mundo Perdido: Jurassic Park.[45] O DVD foi relançado com as duas continuações em 11 de dezembro de 2001 como Jurassic Park Trilogy.[46] Em 29 de novembro de 2005 foi lançado o pacote Jurassic Park Adventure Pack.[47]

Durante o período de comercialização dos formatos de vídeo, Steve Englehart escreveu uma série de histórias em quadrinhos que continuam o enredo de Jurassic Park.[48] A série consiste em um total de 19 edições divididas em quatro volumes: Raptor, Raptors Attack, Raptors Hijack e Return to Jurassic Park. Todas as edições foram republicadas pela Topps Comics com o título único de Jurassic Park Adventures nos Estados Unidos e Jurassic Park no Reino Unido.[49] A Ocean Software lançou uma continuação do jogo intitulada Jurassic Park 2: The Chaos Continues em 1994 para as plataformas Super Nintendo e Game Boy.[35]

A atração Jurassic Park: The Ride começou a ser desenvolvida em novembro de 1990[50] e estreou no parque de diversão da Universal Studios Hollywood em 15 de Junho de 1996,[51] a um custo de US$ 110 milhões.[50] O parque temático Islands of Adventure em Orlando, Flórida, tem uma seção inteira dedicada ao Jurassic Park que inclui o passeio principal, batizado de Jurassic Park River Adventure, e muitas outros passeios e atrações menores baseados na série.[52] Os passeios no parque temático da Universal Studios foram projetados para apoiar o enredo do filme, com Hammond supostamente sendo contactado para reconstruir o parque no local.[51]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Comercial[editar | editar código-fonte]

Jurassic Park tornou-se o filme mais bem sucedido financeiramente na época de seu lançamento, superando E.T. - O Extraterrestre de Spielberg, que detinha o título anteriormente.[53] O filme arrecadou US$ 47 milhões em seu primeiro fim de semana[54] e chegou aos US$ 81,7 milhões em sua primeira semana.[55] Ficou em primeiro lugar durante três semanas, arrecadando US$ 357 milhões nos Estados Unidos e no Canadá.[54] O filme também se saiu muito bem nos mercados internacionais, quebrando recordes no Reino Unido, Japão, Coreia do Sul, México e Taiwan, totalizando finalmente, cerca de $ 914 milhões em todo o mundo.[56] No mundo inteiro, Jurassic Park permaneceu no topo durante quatro anos sendo ultrapassado por Titanic de James Cameron em 1997.[57]

Com seu relançamento, Jurassic Park se tornou o primeiro filme da Universal Pictures e também de Steven Spielberg a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão de arrecadação nos cinemas mundiais.[58] Só no relançamento em 3D, o filme arrecadou US$ 108,8 milhões.[59] Atualmente, o filme é a décima terceira maior bilheteria de todos os tempos.

Crítica[editar | editar código-fonte]

Jurassic Park tem aclamação por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 93% em base de 110 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “Jurassic Park é um espetáculo de efeitos especiais e animatronics realistas, com algumas das melhores seqüências de Spielberg de temor sustentado e puro terror desde Jaws”. Tem 90% de aprovação por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[60]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1994 (EUA) - 3 vitórias e 3 indicações

Ano Categoria Resultado
1994 Melhores Efeitos Especias Venceu
1994 Melhor Som Venceu
1994 Melhor Edição de Som Venceu

BAFTA[desambiguação necessária] 1993 (Reino Unido) 1 vitória e 2 indicações

Ano Categoria Resultado
1994 Melhores Efeitos Especiais Venceu
1994 Melhor Som Indicado

Prêmio Saturno 1993 (EUA) - 4 vitórias e 11 indicações

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Filme de Ficção Científica Venceu
1994 Melhor Direção - Steven Spielberg Venceu
1994 Melhores Efeitos Especias Venceu
1994 Melhor Escritor - Michael Crichton e David Koepp Venceu
1994 Melhor Atriz - Laura Dern Indicado
1994 Melhor Atuação de um Ator Jovem - Joseph Mazzello Indicado
1994 Melhor Atuação de uma Atriz Jovem - Ariana Richards Indicado
1994 Melhor Trilha Sonora - John Williams Indicado
1994 Melhor Figurino Indicado
1994 Melhor Ator Coadjuvante - Jeff Goldblum Indicado
1994 Melhor Ator Coadjuvante - Wayne Knight Indicado
2012 Melhor Coleção de DVDs Indicado

MTV Movie Awards 1994 (EUA) - 3 indicações

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Filme Indicado
1994 Melhor Sequência de Ação Indicado
1994 Melhor Vilão - Tiranossauro Indicado

Young Artist Awards 1994 (EUA) - 3 vitórias e 3 indicações

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Ator Jovem Co-estrelando em um Filme Dramático - Joseph Mazzello Venceu
1994 Melhor Atriz Jovem em um Filme Dramático - Ariana Richards Venceu
1994 Melhor Filme Familiar de Ação/Aventura Venceu

People's Choice Awards 1994 (EUA) - 1 vitória e 1 indicação

Ano Categoria Resultado
1994 Filme Favorito Venceu

Grammy Awards 1994 (EUA) - 1 indicação

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Composição Instrumental para um Filme ou para a TV Indicado

Awards of the Japanese Academy 1994 (JAP) - 1 vitória e 1 indicação

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Filme Estrangeiro Venceu

Motion Picture Sound Editors 1994 (EUA) - 1 vitória e 1 indicação

Ano Categoria Resultado
1994 Melhor Edição de Som Venceu

Legado[editar | editar código-fonte]

O Instituto Americano do Cinema nomeu Jurassic Park o 35º melhor thriller de todos os tempos em 13 de junho de 2001,[61] e o canal de televisão a cabo Bravo escolheu a cena em que Lex e Tim são perseguidos por dois raptores na cozinha como a 95º mais assustadora de todos os tempos em 2005.[62] Em 2008, uma votaçao com leitores da Empire, cineastas e críticos também o classificaram como um dos 500 melhores filmes de todos os tempos.[63] Em 2006, o portal de entretenimento IGN classificou Jurassic Park como a 19º maior franquia de filmes de todos os tempos.[64]

Conversão 3D e relançamento[editar | editar código-fonte]

A Universal Studios confirmou o relançamento de Jurassic Park em 3D.[65] Inicialmente, a data do relançamento estava marcada para 19 de julho de 2013, mas a data foi antecipada, e Jurassic Park foi lançado em 3D em 5 de abril de 2013 nos cinemas. O diretor do filme, se pronunciou a respeito:

Jurassic Park (filme) "Eu sempre disse que 'Jurassic Park', o primeiro filme, seria um bom material para a conversão em 3D. Acho que James Cameron fez o melhor filme em 3D da história do cinema com Avatar. Acredito que James vai nos ensinar uma lição (com a conversão de Titanic para 3D). Se seguirmos seus passos, mais filmes serão convertidos, mas o único filme que tenho interesse em converter é o primeiro 'Jurassic Park'". Jurassic Park (filme)

 — Steven Spielberg, em entrevista à MTV[66]

Com seu relançamento, Jurassic Park se tornou o primeiro filme dirigido por Steven Spielberg a ultrapassar US$ 1 bilhão nas bilheterias dos cinemas mundiais.

O Romance[editar | editar código-fonte]

O roteiro original de Michael Crichton foi baseado diretamente em seu romance. No entanto, Crichton decidiu escrevê-lo em uma versão muito mais curta que sua história original, eliminando muitos segmentos do livro por motivos práticos e orçamentais.Malia Scotch Marmo e David Koepp fizeram várias alterações nos elementos da narrativa descritos por Crichton, criando um argumento menos escuro e sombrio do que o original, uma vez que o romance tem uma tendência mais "escura e sombria" que o filme em tom e conteúdo, para apresentar uma violência mais gráfica e mortes no contexto.

Um dos temas principais da obra e suas consequências é sobre dinossauros homeotérmicos. A introdução fornece um breve relatório sobre as consequências do "incidente InGen" que supostamente aconteceu em agosto de 1989. Essa "ficção como apresentação fato" havia sido anteriormente utilizada por Crichton em Devoradores de Mortos e O Enigma de Andrômeda. Logo depois, um grupo de cientistas, incluindo o paleontólogo Alan Grant e o matemático Ian Malcolm, são convidados para a pré-visualização do Jurassic Park; um parque de diversões criado pelo empresário milionário John Hammond, fundador da InGen, na Ilha Nublar perto da Costa Rica. Hammond quer ouvir as opiniões de cientistas e, finalmente, obter a aprovação do parque, Malcolm expressa suas dúvidas desde o início.

Nos capítulos seguintes, o romance descreve que o parque é habitado por dinossauros clonados a partir do DNA extraído de insetos preservados em âmbar pré-histórico. Hammond e seus cientistas, liderados pelo Dr. Henry Wu, mostram uma grande satisfação para explicar o processo que levou ao renascimento dos dinossauros. Os cientistas monstram-se apreensivos quando descobrem que as espécies que foram criadas por eles estão procriando por si mesmas, apesar dos esforços da InGen para mantê-los estéris.

O clímax ocorre quando Dennis Nedry, o programador principal do parque, tenta roubar um par de embriões de dinossauros para entregar a Lewis Dodgson, que trabalha para uma concorrente de John Hammond, a empresa Biosyn. Para alcançar esse objetivo, Nedry desliga os sitemas de segurança do parque que mantêm a eletricidade, isso significa que cercas perdem reforço da segurança e, portanto, os dinossauros começam a fugir e teem encontros fatais com os funcionários do parque e os visitantes, com as espécies carnívoras.

Finalmente, alguns dos principais personagens conseguem escapar e fugir da ilha, enquanto as instalações do parque são destruídos pela Força Aérea da Costa Rica (descreve-se que a ilha foi totalmente destruída). A óbvia preocupação entre os especialistas reside no fato de que vários velociraptores podem ter escapado, e uma série de procompsognatos. O governo da Costa Rica decidiu deter os sobreviventes do incidente, por tempo indeterminado. Nota-se que a Costa Rica não tem exército desde 1949 e nunca teve Força Aérea. Além disso, San José está localizado na costa, quando na verdade se encontra no Centro-Oeste. Também é mostrado uma população de estilo mexicano, o que é totalmente errado.

Diferenças com a adaptação[editar | editar código-fonte]

Existem algumas diferenças substanciais entre o livro e o filme. Algumas das mais notáveis ​​são a eliminação de alguns personagens, a alteração da cronologia, assim como alguns personagens principais são modificados em relação a suas contrapartes no romance.

  • A relação entre Alan Grant e Ellie Sattler no livro era puramente profissional, enquanto que no filme estão envolvidos romanticamente.
  • No filme, Alan Grant mostra-se como alguém intolerante e sem paciência com crianças. Por outro lado, no romance ele tem uma grande simpatia por crianças, devido a curiosidade delas por dinossauros e paleontologia. Além disso, é apresentado como um homem maduro, de barba, camisa havaiana e bermuda.
  • O personagem de John Hammond era completamente diferente no livro. No final da trama é morto por um grupo de pequenos dinossauros, enquanto tenta escalar uma colina com um tornozelo quebrado, tendo em mente planos para reconstruir o parque em outro local, para irritação de seus convidados e netos. Também se mostra um personagem sem escrúpulos, capaz de fazer qualquer coisa por seu sucesso financeiro, um velho lunático e chato. No filme, Hammond escapou completamente ileso, humilhado e aterrorizado pelas monstruosidades que ele criou, além de ter uma personalidade agradável.
  • No romance, Lex Murphy é mais nova que Tim, e ele é o único que está obcecado com os computadores e os dinossauros. No filme, Tim é o mais novo dos dois e a personalidade hacker de computador é retratada em Lex.
  • Muldoon, responsável pela segurança do parque é mostrado no filme como um homem frio e dedicado ao seu trabalho, morrendo ao tentar proteger Ellie dos raptores. No livro é descrito como alcooólatra (e permanece embriagado durante parte da história) e sua personalidade é mais humana. Mostra-se capaz de interagir melhor com os outros personagens, sendo uma personagem ser mais relaxada. Inclusive, sobrevive a catástrofe e deixa a ilha junto com os outros personagens que escapam de lá.

Entretanto, existem referências do romance no segundo filme da franquia, The Lost World: Jurassic Park, como a cena inicial do filme, onde uma família está numa praia deserta e a filha do casal é atacada por um "lagarto", sendo um dos breves capítulos iniciais do livro. Inclusive há uma fala similar entre o casal: “E se houver cobras?” “Oh, pelo amor de Deus. As cobras não chegam perto de uma praia.”[67]

Referências

  1. a b Jurassic Park (em Inglês) Box Office Mojo. Visitado em 26 de Junho de 2011.
  2. BOX OFFICE: Strong Opening In China Sees JURASSIC PARK Pass $1 Billion Worldwide ComicBookMovie. Visitado em 21 de agosto de 2013.
  3. Jurassic Park (1993) - Trivia (em Inglês). Visitado em 2 de Julho de 2011.
  4. Versão Brasileira: Hebert Richers. Casa da Dublagem. Página visitada em 15 de janeiro de 2014.
  5. Álamo fecha as portas. Universo da Dublagem. Página visitada em 15 de janeiro de 2014.
  6. Delart Estúdios Cinematográficos - Jurassic Park 3D (redublagem). Facebook. Página visitada em 15 de janeiro de 2014.
  7. Michael Crichton. (2001). Michael Crichton on the Jurassic Park Phenomenon (DVD). Universal.
  8. a b c Joseph McBride. Steven Spielberg (em ). [S.l.]: Faber and Faber, 1997. p. 416-419.
  9. Tim Appelo (7 de Dezembro de 1990). Leaping Lizards (em Inglês) Entertainment Weekly. Visitado em 17 de Fevereiro de 2007.
  10. Steve Biodrowski. . "Jurassic Park: Michael Crichton" (em Inglês). Cinefantastique 24 (2): 12.
  11. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 65,67.
  12. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 86.
  13. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 134-135.
  14. Production Notes (em Inglês) ibiblio.
  15. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 91-92.
  16. a b Duncan Shay. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 95-105.
  17. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 110-111.
  18. a b c d e f James Earl Jones (apresentador). (1995). The Making of 'Jurassic Park' [VHS]. Universal.
  19. Lawrence French. . "Jurassic Park: Dinosaur Movements" (em Inglês). Cinefantastique 24 (2): 9.
  20. Jurassic Park (em Inglês) Filmtracks (24 de Setembro 1996). Visitado em 16 de Novembro de 2010.
  21. a b c d Shay, Duncan pp. 144–6
  22. a b Cduniverse.com. John Williams Jurassic Park Soundtrack CD (em inglês).
  23. Shay, Duncan, p. 123
  24. Amazon.com. Jurassic Park: Original Motion Picture Soundtrack [SOUNDTRACK] (em inglés). Visitado em 26 de enero de 2009.
  25. Itunes.apple.com. Jurassic Park (Original Motion Picture Soundtrack) (em inglês).
  26. Dinossauros virtuais Revista Espírito Livre Radar developerWorks (08 de Setembro de 2009). Visitado em 26 de Junho de 2011. "Dos dinossauros que habitavam o parque temático mostrado no filme, mais espécies pertenciam ao cretáceo que aos outros dois períodos."
  27. a b c Richard Corliss (26 de Abril de 1993). Behind the Magic of Jurassic Park (em Inglês) Revista Time. Visitado em 26 de Janeiro 2007.
  28. Gregory S. Paul. Predatory Dinosaurs of the World: A Complete Illustrated Guide. [S.l.]: Simon & Schuster, 1988. p. 464.
  29. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 113-114.
  30. Gregory S. Paul. Dinosaurs of the Air: The Evolution and Loss of Flight in Dinosaurs and Birds (em ). [S.l.]: JHU Press, 2002. p. 460.
  31. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 36.
  32. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 83.
  33. Shay, Duncan. The making of Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.]. p. 64.
  34. The Beastmaster (em Inglês) Entertainment Weekly (12 de Março de 1993). Visitado em 17 de Março de 2007.
  35. a b Jurassic Park licensees (em Inglês) Moby Games. Visitado em 12 de Março de 2007.
  36. Jurassic Park Series 1 & 2 (em Inglês) Jurassic Park Legacy. Visitado em 12 de Março de 2007.
  37. Gail Herman. Jurassic Park (em ). [S.l.: s.n.], 1993. p. 88.
  38. Jurassic Park Unleashed (em Inglês) Jurassic Park Legacy. Visitado em 29 de Março de 2007.
  39. Michael Bay Divulges 'Transformers' Details — And Word Of 'Bad Boys III' (em Inglês) MTV (15 de Fevereiro de 2007). Visitado em 15 de Fevereiro de 2007.
  40. Steven Spielberg. (2001). Steven Spielberg directs Jurassic Park (DVD). Universal Pictures.
  41. Beltway Barbra (em Inglês) Entertainment Weekly (21 de Maio de 1993). Visitado em 17 de Fevereiro de 2007.
  42. The Stars Rain Down On Washington (em Inglês) Entertainment Weekly (11 de Junho de 1993). Visitado em 17 de Fevereiro de 2007.
  43. Adam Sandler (21 de Março de 1994). 'Jurassic' rumbles to vid in October (em Inglês) Variety. Visitado em 27 de Janeiro de 2007.
  44. IGN Staff (16 de Junho de 2000). Jurassic Park (em Inglês) IGN Staff. Visitado em 6 de Março de 2007.
  45. Jurassic Park / The Lost World: The Collection (em Inglês) IGN Staff. Visitado em 26 de Março de 2007.
  46. Jurassic Park Trilogy (em Inglês) IGN Staff. Visitado em 26 de Março de 2007.
  47. IGN (17 de Novembro de 2005). Jurassic Park Adventure Pack (em Inglês) IGN DVD. Visitado em 26 de Março de 2007.
  48. The Exhibits (em Inglês) Jurassic Park Legacy. Visitado em 29 de Março de 2007.
  49. Jurassic Park (em Inglês) Steve Englehart. Visitado em 24 de Fevereiro de 2007.
  50. a b Jurassic Park: The Ride (1996–present) The Studio Tour.
  51. a b JP: Hollywood River Adventure Jurassic Park Legacy.
  52. Islands Of Adventure: Jurassic Park Island (em Inglês) Jurassic Park Legacy. Visitado em 13 de Março de 2007.
  53. Gregg Kilday (21 de Janeiro de 1994). 'Jurassic Park' leads the pack of 1993 Hollywood hits (em Inglês) Entertainment Weekly. Visitado em 17 de Fevereiro de 2007.
  54. a b Jurassic Park (em Inglês) Box Office Mojo. Visitado em 28 de Junho de 2011.
  55. Richard Corliss (28 de Junho de 1993). Hollywood's Summer: Just Kidding (em Inglês) TIME. Visitado em 26 de Janeiro 2007.
  56. Don Groves (19 de Julho de 1993). 'Jurassic' renders Japan B.O. record extinct (em Inglês) Variety. Visitado em 11 de Fevereiro de 2007.
  57. Marcos Diego Nogueira (29 de Abril de 2011). Spielberg de volta às origens ISTOÉ. Visitado em 29 de Junho de 2011. "Até o aparecimento do transatlântico hollywoodiano “Titanic”, em 1998, seu filme “O Parque dos Dinossauros” reinou absoluto como a maior bilheteria de todos os tempos."
  58. BOX OFFICE: Strong Opening In China Sees JURASSIC PARK Pass $1 Billion Worldwide ComicBookMovie. Visitado em 21 de agosto de 2013.
  59. Live-Action 3D Re-Releases Box Office Mojo. Página visitada em 01 de setembro de 2013
  60. Jurassic Park (em inglês) Rotten Tomatoes. Visitado em 17 de abril de 2014.
  61. AFI's 100 YEARS...100 THRILLS Instituto Americano do Cinema Internet Archive's Wayback Machine (13 de Junho de 2001). Visitado em 13 de Fevereiro de 2007.
  62. The 100 Scariest Movie Moments Bravo TV Internet Archive's Wayback Machine (19 de Fevereiro de 2007). Visitado em 13 de Fevereiro de 2007.
  63. The 500 Greatest Movies Of All Time (em Inglês) Empire Online.
  64. Top 25 Movie Franchises of All Time: #19 (em Inglês) IGN (30 de Novembro de 2006). Visitado em 08 de Março de 2007.
  65. Deadline - Jurassic Park in 3D to July 19, 2013
  66. Steven Spielberg quer converter Jurassic Park para 3D
  67. Crichton, Michael. O Parque dos Dinossauros (Tradução de Alberto Lopes) - Edição L&PM Pocket

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jurassic Park