Justin Fashanu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fashanu
Informações pessoais
Nome completo Justinus Soni Fashanu
Data de nasc. 19 de fevereiro de 1961
Local de nasc. Hackney,  Reino Unido
Nacionalidade Inglês
Falecido em 2 de maio de 1998 (37 anos)
Local da morte Shoreditch,  Reino Unido
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Clube atual Falecido
Posição Atacante
Clubes de juventude
? Norwich City
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1978–1981
1980
1981
1981–1982
1982
1982–1985
1985–1987
1988
1989
1989
1989-1990
1990
1990
1990
1991
1991
1991-1993
1993
1993
1993–1994
1995–1996
1996-1997
1997
Norwich City
Adelaide City (emp.)
Adelaide City (emp.)
Nottingham Forest
Southampton (emp.)
Notts County
Brighton & Hove
Los Angeles Heat
Edmonton Brickmen
Manchester City
West Ham
Leyton Orient
Southend
Hamilton Steelers
Toronto Blizzard
Leatherhead
Torquay United
Airdrieonians
Trelleborg
Hearts
Adelaide City
Miramar Rangers
Atlanta Ruckus

Justinus Soni "Justin" Fashanu (Hackney, 19 de fevereiro de 1961 - Shoreditch, 2 de maio de 1998) foi um futebolista inglês que atuava como atacante.

Uma carreira polêmica[editar | editar código-fonte]

A carreira de Fashanu, um atacante de origem nigeriana nascido em Hackney, nos arredores de Londres, foi cercada de polêmica, pois ele assumiu ser homossexual em 1990. Sua passagem por clubes, iniciada profissionalmente em 1978, no Norwich City, não foi muito expressiva, visto que ele atuou, na maioria das vezes, em clubes de pequeno e médio porte da Inglaterra.

Fez sucesso no Nottingham Forest, clube que defendeu entre 1981 e 1982, tendo passagens curtas por Adelaide City e Southampton, ambas por empréstimo. Passou também por Notts County, Brighton & Hove, Los Angeles Heat, Edmonton Brickmen, Manchester City e West Ham até 1990, quando fez uma declaração que chocou a Inglaterra: ele assumira que era homossexual.

A declaração de homossexualidade[editar | editar código-fonte]

Em 1990, Fashanu assumiu, em entrevista ao The Sun, ser homossexual, tornando-se (até hoje) o único jogador de destaque no futebol da Albion a fazê-lo. A manchete de capa do tabloide (edição de 22 de outubro) dizia: £1m Football Star: I AM GAY (Estrela do futebol de 1 milhão de libras: Sou gay). Muitos ex-companheiros de equipe reagiram mal à declaração, afirmando que os gays não tinham lugar em um esporte de equipe, e seu irmão, John, chegou a chamar Justin de "pária", mas, em seguida, desmentiu tudo. Embora tenha dito que fora bem aceito por alguns de seus companheiros de equipe, Fashanu admitiu abertamente que eles frequentemente faziam alguma piada maliciosa sobre sua orientação, e ele também se tornou alvo de ofensas de várias pessoas por conta de sua orientação sexual.

O bombardeio da imprensa sobre Fashanu aumentou ainda mais quando ele começou a sair com a atriz Julie Goodyear, que havia vendido histórias sobre o seu passado (ela era lésbica). O romance de Fashanu e Julie durou pouco tempo.

Declínio[editar | editar código-fonte]

Após as declarações de que era homosseual, Justin viu sua carreira ir para o buraco. Tentou se reerguer em clubes de baixíssima expressão (Southend, Hamilton Steelers, Toronto Blizzard, Leatherhead, Torquay United, Airdrieonians, Trelleborg - único clube fora do Reino Unido que ele defendeu durante a carreira - , Hearts e Adelaide City).

Sem motivação alguma para jogar em outro clube do Reino Unido, Fashanu resolveu se mudar para a Nova Zelândia, para defender o inexpressivo Miramar Rangers. Em seguida, foi jogar na frágil Segunda Divisão da MLS, pelo Atlanta Ruckus (atual Atlanta Silverbacks). Depois do clube da Geórgia fracassar nos playoffs de acesso, a direção resolveu anular o contrato de Fashanu. Sem mais qualquer vontade de continuar atuando profissionalmente, pendurou as chuteiras no final de 1997. Ensaiou também uma carreira de treinador, quando comandou o Maryland Mania.

Acusações e suicídio[editar | editar código-fonte]

Em março de 1998, Fashanu, já aposentado, foi acusado por um jovem de 17 anos de tê-lo agredido sexualmente. O ex-atacante foi interrogado pela polícia em 3 de abril, mas nada fora provado.

Depois de algumas tentativas de prendê-lo, Fashanu decidiu retornar à Inglaterra.

Em 3 de maio, Fashanu foi encontrado enforcado em Shoreditch, perto de Londres, após ter visitado o Chariots Roman Spa, uma sauna destinada aos gays. Em uma carta de suicídio, Fashanu escreveu:

"Me dei conta de que eu havia sido condenado. Não quero mais ser uma vergonha para meus amigos e minha família. (...) Espero que Jesus me dê boas vindas e que eu finalmente eu encontre a paz."

Em 9 de setembro, uma investigação feita em Londres mostrou que nenhuma ordem de prisão fora dada a Fashanu e qual a Polícia dos EUA havia abandonado as investigações por falta de provas.

Fatos posteriores[editar | editar código-fonte]

Numa eleição feita pelo jornal The Pink Paper, Fashanu ficou em 99o. lugar entre 500 personalidades gays e lésbicas.

Bandeira de InglaterraSoccer icon Este artigo sobre futebolistas ingleses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.