Kain (Legacy of Kain)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kain
Série de jogos Legacy of Kain
Primeiro jogo Blood Omen: Legacy of Kain
Dublador brasileiro Simon Templeman
Informações pessoais
Terra natal Coorhagen

Kain é um dos personagens principais da série “Legacy of Kain” juntamente com Raziel. No começo da série, Kain é apresentado como um guerreiro assassinado e trazido de volta à vida na forma de um vampiro sedento por vingança. Após realizar seu desejo, Kain cai em si e se vê amaldiçoado pela sua forma vampiresca e parte em busca de um jeito de retornar ao normal. Na sua jornada encontra Ariel que o convence a restaurar os pilares de Nosgoth, que estão sucumbindo à loucura de seus guardiões, em troca de uma possível cura para sua maldição. Kain cumpre sua tarefa e se torna o único guardião dos pilares e decide então abrir mão de seu sacrifício e restaurar Nosgoth para criar um império sob o seu domínio.

Nos jogos posteriores da série, Kain é inicialmente retratado como antagonista o que pode ser visto em Legacy of Kain: Soul Reaver e Legacy of Kain: Soul Reaver 2 onde Raziel, protagonista desses, almeja a sua morte. Entretanto, à medida que Raziel começa a elucidar a história do mundo de Nosgoth e as ações de Kain que o afetaram, ele deseja alterar o destino do mundo e então Kain começa a considerar Raziel como um relutante, porém valioso aliado, apesar de Raziel não considerá-lo da mesma forma.

Características[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade de Coorhagen no centro de Nosgoth, Kain viveu a vida privilegiada de um nobre, sem o conhecimento de ter sido destinado desde o seu nascimento a ser o sucessor de Ariel, o próximo Guardião do Pilar da Balança. Isto fica subentendido no porquê de um nobre ambicioso, porém sem direcionamento servir o Exército da Esperança (do original "Army of Hope") sob o comando do rei Ottmar por vários anos antes de sua fatídica jornada para o oeste. Após uma parada em uma hospedaria, ele é surpreendido por bandidos e assassinado, empalado pela espada de seu assassino.

No Reino Espectral, Kain é trazido da morte por Mortanius o Necromante, ainda transpassado pela espada de seu assassino. Atormentado pela dor e a sede de vingança, Kain aceita a oferta do Necromante de vingança. Livre de seu tormento espiritual, sua alma retornou ao seu corpo morto e ele se ergueu de sua tumba descobrindo que havia ressuscitado como um Vampiro.

Deixando seu mausoléu, Kain rapidamente rastreou seus assassinos e exaltou sua vingança sangrenta. Com a sua vingança e sede saciadas, ele almejava somente a cura para sua maldição vampiresca que o afligia. Guiado por Mortanius o Necromante e pelo espectro de Ariel (agora ligada sem ajuda ao decadente Pilar que ela servia), Kain caçou cada Guardião dos Pilares que estavam agora envenenando Nosgoth. Somente com as suas mortes os Pilares poderiam ser curados, e somente pela restauração do Equilíbrio de Nosgoth é que Kain aparentemente seria liberto de sua maldição.

Inicialmente relutante de viver o horror de uma existência arruinada pela sede por sangue humano, Kain brevemente adaptou-se ao seu estado de morto-vivo e descobriu, interiormente a sua alma enegrecida, um crescente desafeto pela humanidade que o fez abraçar sua recém descoberta imortalidade.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Astuto e implacável, Kain possui uma grande e aparente avidez pelo poder e originalmente almeja conquistar toda Nosgoth para si mesmo, uma busca que é evidentemente alcançada em Legacy of Kain: Soul Reaver. Possui um óbvio apetite pela carnificina e brutalidade e sua aparente falta de diplomacia revela o seu curto e violento temperamento, que na realidade é uma ferramenta cuidadosamente cultivada. A verdadeira astúcia e sutileza de suas ações são somente reveladas para aqueles que sabiamente sabem ver o seu passado de incontáveis decepções. Com o seu vampirismo, acompanhado de seu intelecto, de seu paladar culto e gostos extremamente aristocráticos, ele pode ser descrito como uma combinação de Hannibal Lecter e Vlad o Empalador, com um lado compassivo que se torna evidente em muitas ocasiões (comumente em Soul Reaver 2 e Defiance e principalmente em Blood Omen 2. Entretanto, sua avidez pelo poder e destruição durante sua “juventude” não é resultado de sua própria personalidade e sim resultado de uma mente aflita e perturbada (Kain se torna vampiro por parte de uma grande trama) desde o seu nascimento. Mais tarde, em um mundo cheio de facções e em constante guerra (principalmente contra os Vampiros), Kain não tem outra alternativa de sobrevivência senão buscar dominar e se tornar imperador de Nosgoth. Através dos anos, Kain muda de uma personalidade sagazmente arrogante para uma arrogante esperteza. Também através de toda a série Kain nunca mente. Ele se utiliza muito de meias e parciais verdades, porém nunca mente diretamente.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Como revelado em Legacy of Kain: Soul Reaver, antes de evoluir lentamente com o tempo, os vampiros na série Legacy of Kain, provavelmente um traço restrito aos descendentes de Kain, entram em curtos períodos de hibernação no qual suas transformações acontecem. A medida que o tempo avança, estas evoluções causam aos vampiros perda de suas características humanas. Originalmente com a aparência humana, Kain evoluiu através dos séculos entre os jogos ao ponto de perder toda as suas características físicas de sua vida mortal.

Após sua ressurreição como Vampiro por Mortanius, Kain adotou um corpo levemente esverdeado e cabelos esbranquiçados em contraste com seus cabelos negros e pele pálida de quando era apenas um homem. Séculos depois, em Blood Omen 2, o tom de pele de Kain mudou de verde pálido para o cinza. Suas mãos se desenvolveram em uma espécie de garra e seus caninos ficaram mais notórios. Mais alguns séculos depois, na época de Legacy of Kain: Soul Reaver, o físico de Kain se tornou mais pesado, suas mãos e seus pés se tornaram divididos e tridátilos e sua face adotou uma coloração verde escuro.

Como sendo o “único” vampiro, os descendentes de Kain são fundamentalmente diferentes da ancestral raça vampírica de Nosgoth. Eles foram criados através de métodos não-tradicionais, sendo assim, ele e seus “filhos”, os seis Generais Vampiros, seguiram um caminho de evolução incomum para a sua raça. É evidente que Kain originalmente criou seus Generais pela divisão de sua alma em sete partes e imbuiu cada auxiliar com uma parte. Assim, os Generais são intimamente sintonizados ao seu processo evolucionário de aceleradas metamorfoses.

Imbuídos com a alma adulterada de Kain, os Generais e seus descendentes sofreram drásticas mudanças físicas com o passar de suas evoluções se desvencilhando da forma vampírica e se desenvolvendo em monstruosidades.

Poderes[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter adquirido inúmeras habilidades quando era um jovem vampiro em Blood Omen, após ser derrotado pelo próprio Lord Sarafan em Blood Omen 2, Kain levou dois séculos para se recuperar graças aos cuidados do Cabal, o que o fez perder grande parte de seus poderes. A perda desses poderes acredita-se também ser devido a arma Hylden usada contra ele pelo lord Sarafan, que possuía a tecnologia Glyph precisamente desenvolvida para ser usada contra os vampiros.

Em Blood Omen 2 após Kain acordar de seu sono, ele nota que ainda retém sua habilidade de se mesclar na névoa e adquirindo uma forma nebulosa na qual pode se esconder de seus inimigos. Ele também retém como habilidade a ira onde ele pode usar um simples e poderoso ataque contra algum inimigo. Assim como todos os vampiros, quando Kain mata algum inimigo vampiro e absorve o sangue de suas veias, adquire variações enfraquecidas de seus poderes. Ao matar Faustus, ele adquire o poder de realizar saltos a longas distâncias. Através da morte de Marcus ele obtém o poder de controlar as mentes mais fracas. Com Sebastian, ele obtém uma super-velocidade o que lhe garante realizar algumas vezes ataques rápidos e seqüenciais em seus inimigos. Ao sugar o sangue da vidente Hylden, sua telecinesia natural é aumentada. Pela morte de Magnus, ele ganha a habilidade de incendiar qualquer matéria.

Os muitos séculos após Blood Omen 2 deram a Kain o tempo necessário para desenvolver seus poderes. Em Soul Reaver ele demonstra a habilidade de tele-transporte. Em Soul Reaver 2, nota-se na cena de abertura a diferença de forças entre Raziel e Kain que mostra a habilidade de descarregar raios de suas mãos. Em Defiance pode-se ver seus poderes telecinéticos evoluírem de simplesmente derrubarem seus oponentes para elevá-los e arremessá-los a uma certa distância. Sua forma nebulosa evoluiu de forma a não precisar mais da presença de uma neblina. Kain também possui a habilidade de se transformar em um aglomerado de morcegos e se transportar para longas distâncias.

Aficionados pela série especulam que desde que Kain se tornou o progenitor de uma nova raça vampírica, se tornando soberano ao nível de divindade, não houve nenhum novo e intrigante poder desenvolvido pelos novos vampiros que ele não tenha possuído. Se isso for verdade, é possível que Kain tenha adquirido todo as possíveis Dádivas das Trevas (do original “Dark Gifts”) que podem existir.