Kama (hinduísmo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Kama (no devanagari, o alfabeto sânscrito mais usual, कर्म, Kāma) é o nome hindu de Cupido, o deus greco-romano do amor, que possui as mesmas características mitológicas em ambas as culturas, tais como a sensualidade, o exército de amantes, o estandarte em forma de peixe, etc.

Kāma, ou desejo, luxúria, ansiedade pelo prazer, é também uma das tri-varga (kāma, artha e dharma), ou metas da vida mundana: para satisfazer kāma a entidade viva deve se empenhar em artha, ou atividades realizadas para o desenvolvimento econômico tais como o trabalho em suas diferentes formas. Sem recursos materiais auferidos por artha a entidade viva dificilmente consegue satisfazer seus desejos de kāma.

E dharma, a atividade mundana considerada mais nobre, são as atividades de religiosidade material, tais como moral, disciplina e bons costumes, essenciais para se alcançar artha e kāma; pois uma pessoa sem disciplina, cheia de vícios, sem pudor, que não se veste bem, etc., terá dificuldade para se empenhar no trabalho e adquirir kāma.

É assim que se forma o caminho de tri-varga, ou metas ordinárias da existência mundana: "dharma gera artha que compra kāma." Segundo os sábios hindus, quem segue tais metas apenas colhe frutos no samsara, o ciclo eterno de nascimentos e mortes, que nada têm a ver com moksha ou a liberação, que só pode ser alcançada com práticas espirituais como a yoga e jamais seguindo o tri-varga.

Ícone de esboço Este artigo sobre Hinduísmo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.