Karin Dreijer Andersson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karin Dreijer
Show de Fever Ray em Outubro de 2009.
Informação geral
Nome completo Karin Dreijer Andersson
Também conhecido(a) como Fever Ray
Local de nascimento Nacka
 Suécia
Gênero(s) Synthpop
Electropop
Ocupação(ões) Produtor musical
Período em atividade 1994 - Presente
Gravadora(s) Rabid Records
Mute Records
Brille Records
Afiliação(ões) The Knife
Honey Is Cool
Röyksopp
Página oficial feverray.com

Karin Elisabeth Dreijer Andersson (Nacka, 7 de abril de 1975)[1] é a vocalista da dupla de música eletrônica The Knife formada juntamente com seu irmão Olof Dreijer. E, utiliza o pseudônimo Fever Ray em sua carreira solo.

História[editar | editar código-fonte]

Andersson foi anteriormente vocalista e guitarrista da banda de rock alternativo sueca Honey Is Cool[2] . Andersson lançou seu primeiro álbum solo sob o nome Fever Ray em 2009[3] . Seu estilo vocal é notável pela voz aguda e profunda, tons distorcidos combinados com seu sotaque característico e uso de pitch-shifting, enquanto sua imagem de artista tende a incluir o uso de máscaras e outros elementos teatrais[4] .

Enquanto The Knife estava em hiato, Karin lançou seu primeiro álbum solo sob o nome de Fever Ray[3] em março de 2009 através da Rabid Records na Europa e em janeiro de 2009 pela Mute Records[5] na América do Norte. "If I Had a Heart", o primeiro single do álbum, foi lançado digitalmente em 15 de dezembro de 2008. O auto-intitulado álbum Fever Ray foi lançado digitalmente pela Rabid Records, em 13 de janeiro de 2009. O álbum foi amplamente elogiado, e o site Dummymag.com fez dela sua artista do ano de 2009[6] .

Além do seriado Miami Vice, como referência cultural, ela cita David Lynch e Fugazi como influências primárias, e Mike Patton[7] .

Cquote1.svg

Eu acho que Mike Patton tem feito coisas muito interessantes, este álbum "Anonymous" que ele fez com grupo Tomahawk[8] - tendo a música indígena como inspiração - que escutei muitas vezes em casa no verão passado quando eu estava finalizando o meu álbum, então eu acho que teve um bom impacto sobre ele.

Cquote2.svg
Karin Dreijer Andersson[7]

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Andersson fez vocais para a faixa "What Else Is There?" da banda Röyksopp, aparecendo no álbum The Understanding[9] . Em 2008, Andersson fez vocais para a canção "Slow" do álbum Vantage Point da banda DEUS. Em 2009, Andersson fez vocais para as faixas "This Must Be It" e "Tricky Tricky" para Röyksopp, aparecendo no álbum "Junior"[10] .

O álbum "FEVER RAY" teve a faixa "When I Grow Up" selecionada pela empresa Konami para ser parte da trilha sonora do jogo eletrônico Pro Evolution Soccer 2011

Discografia solo[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • 2009: Fever Ray

Singles[editar | editar código-fonte]

  • 2008: "If I Had a Heart"
  • 2009: "When I Grow Up"
  • 2009: "Triangle Walks"
  • 2009: "Seven"
  • 2009: "Stranger Than Kindness"
  • 2009: "Keep the Streets Empty for Me"

Colaborações[editar | editar código-fonte]

  • 2000: "Wasted" por Robot - Vocal adicional
  • 2001: "Axe Man" por Silverbullit - Vocal
  • 2001: "Lost in the City Nights" por Yvonne - Vocal
  • 2005: "What Else Is There?" por Röyksopp - Vocal
  • 2008: "Slow" por dEUS - Vocal
  • 2009: "This Must Be It" e "Tricky Tricky" por Röyksopp - Vocal

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Oficiais
Informações
Entrevistas