Karol Bobko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karol Bobko

Astronauta da NASA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Nascimento 23 de Dezembro de 1937 (76 anos)
Nova Iorque, EUA
Missões STS-6, STS-51-D, STS-51-J
Insígnia
da missão
Insígnia da STS-6 Insígnia da STS-51d Insígnia da STS-51j

Karol Joseph ‘Bo’ Bobko (Nova Iorque, 23 de dezembro de 1937) é um astronauta norte-americano, veterano de três missões no espaço.[1]

Integrante da primeira turma de formandos da Academia da Força Aérea dos Estados Unidos, em 1959, recebeu suas asas de piloto em 1960. Entre 1961 e 1965, ele serviu em esquadrões de caça baseados no Novo México e na Califórnia. Em 1966, como astronauta, passou a integrar o programa da força aérea destinado a colocar um laboratório tripulado em órbita, o Manned Orbiting Laboratory (MOL). Em seu período como piloto militar, acumulou seis mil horas de vôo em aeronaves diversas como F-104 e T-33.

NASA[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 1969, com o cancelamento do programa MOL pelos militares, Bobko entrou para o corpo de astronautas da NASA, passando 56 dias em experiências no solo, em simulações para o futuro programa Skylab, que permitia às tripulações coletarem dados médicos e fazerem a avaliação de equipamentos, operações e procedimentos a serem usados nas missões. Como astronauta-reserva, fez parte do histórico programa conjunto Apollo-Soyuz, realizado entre soviéticos e norte-americanos durante a Guerra Fria, levado à cabo em julho de 1975, com o encontro em órbita de espaçonaves dos dois países.

Com estas experiências, ele foi designado membro das tripulações escaladas para o programa do ônibus espacial, participando do apoio técnico aos primeiros testes de aproximação e aterrissagem da nave protótipo Enterprise. Durante os preparativos para o primeiro vôo do ônibus espacial Columbia, a missão STS-1, Bobko atuou como astronauta-chefe do grupo de checagem e teste de equipamentos no Centro Espacial Kennedy.

Em 4 de abril de 1983, ele foi ao espaço pela primeira vez na missão STS-6, a viagem inaugural da nave Challenger, onde a tripulação realizou a primeira atividade extra-veicular da era dos ônibus espaciais, fez diversas experiências em microgravidade e lançou um satélite de comunicações no espaço.

Bobko foi mais duas vezes ao espaço, como comandante da Discovery, na STS-51-D, em abril de 1985, que colocou dois satélites em órbita geocêntrica da Terra[2] , e da Atlantis, em sua viagem inaugural de 3 de outubro de 1985, na missão operacional STS-51-J.[3]

Em 1988 ele deixou a NASA e juntou-se a uma empresa privada, ligada à tecnologia espacial, ficando responsável pela área de experimentos e testes relativos a vôos espaciais tripulados e envolvido com a criação de novos hardwares e softwares do programa espacial norte-americano desenvolvidos pela iniciativa privada.

Desde então tem atuado em empresas similares, sempre ligadas ao desenvolvimento de novas tecnologias espaciais.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. SHAYLER, David. Skylab: America's space station. Praxis, 2001. pag. 336.
  2. FURNISS, Tim. et. al. Praxis manned spaceflight log 1961-2006. Praxis, 2007. pag. 310
  3. ANGELO, Joseph A. Human Spaceflight. 2007. pag. 211.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]