Kashan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kashan
كاشان'
Casa de Tabatabaei, início da década de 1800, Kashan. Um exemplo da tradicional arquitetura persa.
Casa de Tabatabaei, início da década de 1800, Kashan. Um exemplo da tradicional arquitetura persa.
Localização de Kashan no Irã
Localização de Kashan no Irã
Coordenadas 33° 59' N 51° 26' E
País  Irã
Província Isfahan
População  
  Cidade (2006) 248.789
Fuso horário +3:30 (UTC)

Kashan é uma cidade na província de Isfahan, Irã. No censo demográfico de 2006 a cidade tinha uma população de 248.789 habitantes.[1]

A etimologia do nome da cidade vem da palavra persa Kashi, que em português significa "azulejos". Kashan é o primeiro dos grandes oásis, ao longo da rodovia Qom-Kerman que corre ao longo da borda do deserto central do Irã. A sua beleza natural é devido, principalmente, ao contraste entre a ressequida imensidão do deserto e a paisagem verdejante da região do oásis.

História[editar | editar código-fonte]

Timcheh Amin-o-dowleh, o Bazar de Kashan. Década de 1800. Os arquitetos persas usaram essas estruturas para diminuir naturalmente o calor, regulando a entrada dos raios solares e ventilando seu interior no período diurno.

Descobertas arqueológicas no sítio de Tappeh Sialk, localizado a cerca de quatro km a oeste de Kashan, revelaram que esta região foi um dos primeiros centros de civilização na pré-história. Sendo assim, Kashan remonta ao período elamita do Irã. A zigurate de Tappeh Sialk pode ainda ser vista nos subúrbios de Kashan mesmo após 5.000 anos. Os três Reis Magos que seguiram a estrela que orientou-os a Belém para testemunhar o nascimento de Jesus, como narrado na Bíblia, declaradamente vieram de Kashan. (Algumas fontes entretanto, afirmam a sua origem ser em outro local).

Os artefatos encontrados em Sialk fazem parte atualmente do acervo dos museus do Louvre, em Paris, do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, e do Museu Nacional do Irã, em Teerã.

O sultão seljúcida Malik Shah I da Dinastia seljúcida ordenou a construção de uma fortaleza na parte central de Kashan, no século XI. Os muros da fortaleza, chamada Ghal'eh Jalali ainda podem ser vistos até hoje na área central da cidade.

Kashan foi também um local de férias de lazer dos reis safávidas. Bagh-e Fin (Jardim Fin), especificamente, é um dos mais famosos jardins do Irã. Este lindo jardim com sua piscina e pomares foi projetado para o xá Abbas I como uma clássica visão persa do paraíso. Os edifícios originais safávidas foram quase que totalmente substituídos e reconstruídos pela Dinastia Qājār, embora a disposição das árvores e das bacias de mármore se aproximem do original. O próprio jardim no entanto, foi inicialmente criado há 7.000 anos, ao lado do Cheshmeh-ye-Soleiman. O jardim também é lembrado por ter sido o local do assassinato de Mirza Taghi Khan conhecido como Amir Kabir, chanceler de Nasser al-Din Shah Qajar, o rei iraniano em 1852.

O sismo de 1778 arrasou a cidade de Kashan e todos os edifícios do safávida Abbas, deixando 8.000 feridos. Mas a cidade foi reconstruída e é hoje atração turística com suas inúmeras mansões dos séculos XVIII e XIX, representando os melhores exemplos da estética Qājār.

Kashan atualmente[editar | editar código-fonte]

O tapete de Kashan.

Embora extremamente rica em termos de potencial turístico, a cidade permanece pouca desenvolvida neste setor. No entanto, centenas de turistas estrangeiros de todo o mundo visitam esta histórica cidade todos os anos. Qamsar e Abyaneh são importantes cidades em torno de Kashan, atraindo turistas anualmente. Uma incrível caverna feita pelo homem e uma lareira histórica na cidade de Niasar, perto de Kashan, também são notáveis, embora não conhecidos pelos turistas.

No entanto Kashan é internacionalmente famosa pela fabricação de tapetes, seda e outros tecidos. Atualmente em Kashan funciona a maioria das indústrias mecanizadas de tecelagem de tapetes do Irã, e conta com uma importante indústria mineradora de mármore e cobre.

Kashan é ligada através de rodovias a Isfahan, Natanz, e Qom, apenas a uma hora de viagem em direção ao norte. Kashan e seus subúrbios têm uma população de 400.000 habitantes.

Faculdades e universidades[editar | editar código-fonte]

  1. Universidade de Ciências Médicas de Kashan
  2. Universidade de Kashan

Cidade irmã[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]