Kasutera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kasutera ou castella de Nagasaki

O castella ou kasutera (カステラ?) é um popular bolo japonês feito à base de açúcar, farinha, ovos e xarope de milho, muito apreciado em festividades e como comida de rua. De origem na gastronomia portuguesa, é semelhante ao pão-de-ló de Portugal, e é hoje uma especialidade tradicional de Nagasaki.[1]

O bolo foi trazido inicialmente por mercadores portugueses no século XVI. O seu nome procederá da língua portuguesa pão de Castela, existindo tipos parecidos de bolos chamados de forma similar, como o francês pain d'Espagne, o italiano pan di Spagna e o grego pantespani, sendo que o reino de Castela abarcava o centro de Espanha. Outra teoria refere que o nome pode ter origem no facto de o bolo ser preparado com claras batidas "em castelo".

O castella vende-se geralmente em caixas grandes, com cada bolo com aproximadamente 27 cm de largura. O seu parente mais próximo é o referido Pão-de-ló português.

História[editar | editar código-fonte]

Porção individual de castella.

Em 1543, durante as Descobertas, foram os os "descobrimentos portugueses" os primeiros europeus a aportar no Japão. Pouco depois iniciaram as suas actividades comerciais e missionárias.

Em Nagasaki foi o porto de mar japonês que mais desenvolveram essas trocas comerciais e de saber. Os portugueses introduziram aí muitos artigos até então desconhecidos: mosquetes, botões, sabão, tabaco, abóboras e doces,[2] como os confeitos e este castella.

Era um artigo gastronómicos que podia conservar-se durante bastante tempo, o que era útil aos marinheiros que permaneciam meses no mar.

Na era Edo, devido em parte ao preço elevado do açúcar no Japão, era um luxo. Quando o embaixador do Imperador do Japão era convidado, o shogunato Tokugawa obsequiava-o com o castella.[3]

Variantes[editar | editar código-fonte]

Posto de venda de castella num festival em Hakone, Kanagawa.

Com os anos a receita foi aperfeiçoada, com o sabor adaptado aos paladares japoneses.

O castella tradicional é confeccionado com ingredientes naturais, com o sabor simples favorito de muitos japoneses. Há contudo muitas variedades com ingredientes: polvilhado com chá verde, com açúcar mascavado ou mel. Por vezes é moldado em formas variadas, e em porções individuais, muito populares nas festas.

Referências

  1. Geoffrey C. Gunn, "First Globalization: The Eurasian Exchange, 1500-1800", Rowman & Littlefield Publishers, 2003, ISBN 9780742526624
  2. Mikiso Hane, Louis G. Perez, "Modern Japan: A Historical Survey", ISBN 9780813344096
  3. Historia del castella (japonés).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]