Kathleen Kenyon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kathleen Kenyon

Dama Kathleen Mary Kenyon (Londres, 5 de Janeiro de 1906Wrexham, 24 de Agosto de 1978) foi uma destacada arqueóloga inglesa, em especial na cultura do período neolítico na Crescente Fértil, e escavações de Jericó entre 1952 e 1958.

Seu pai, Sir Frederic Kenyon, foi o diretor do Museu Britânico. Kathleen Kenyon graduou-se no Colégio Somerville de Oxford e foi a primeira mulher a tornar-se presidente da Academia Arqueológica de Oxford. Depois de terminar seus estudos em 1929, trabalhou com Gertrude Caton–Thompson nas escavações do Grande Zimbabwe e, posteriormente, chegou a trabalhar para o arqueólogo Sir Mortimer Wheeler.

Seu trabalho com Wheeler foi tão importante ao ponto de desenvolverem o Método Wheeler-Kenyon de escavações arqueológicas, um sistema de unidades de medida e divisões da área de escavação.

Entre 1936 e 1939 Kenyon escavou a Muralha Judaica em Leicester. Em 29 de Abril de 1937 fundou-se o Instituto de Arqueologia da Universidade de Londres e ela foi eleita sua primeira directora, até o ano de 1946. Depois disso, trabalhou em escavações nas Murallas Sutton em Sabrata e outros sítios maiores. Alem disso, foi eleita diretora honorária da Escola de Arqueologia Britânica de Jerusalém.

Seu trabalho em Jericó contribuiu para datar a ocupação da Cultura Natufian no final da Idade do gelo (entre 10 mil e 9 mil anos). Realizou também escavações em Jerusalém, Ofel, mas com pouco êxito. Em 1962 chegou a ser decana do Colégio St Hugh de Oxford.

Em 1973 foi nomeada DBE (Dame Commander of the British Empire - Senhora Comandante do Império Britânico).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]