Katina Paxinou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes (desde setembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.


Katina Paxinou
Nome completo Ekaterini Konstantopoulou
Nascimento 17 de dezembro de 1900
Pireu
Nacionalidade Grécia Grega
Morte 22 de fevereiro de 1973 (72 anos)
Atenas, Grécia
Ocupação Atriz
Cônjuge Ioannis Paxinos (1916 - ?)
Alex Minotis (1940 - 1973)
Atividade 1943–1970
Oscares da Academia
Melhor atriz coadjvante
1944 - Por Quem os Sinos Dobram
Prêmios Globo de Ouro
Golden Globe icon.svg Melhor atriz coadjuvante em cinema
1944 - Por Quem os Sinos Dobram


Katina Paxinou (Pireu, 17 de dezembro de 1900 — Atenas, 22 de fevereiro de 1973) foi uma atriz grega, de cinema e teatro.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascida Ekaterini Konstantopoulou ela ensaiou para ser cantora de Ópera, mas mudou de carreira e entrou para o Teatro Nacional da Grécia, em 1929. Paxinou deu preferência ao teatro. No início da Segunda Guerra Mundial, estava se apresentando em Londres, e não pôde voltar à Grécia. Por isso mudou-se para os Estados Unidos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Foi selecionada para tocar Pilár no filme de 1973, Por Quem os Sinos Dobram que lhe rendeu um Óscar de melhor atriz coadjuvante e um Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante em cinema. Ela continuou a aparecer em filmes hollywoodianos até 1949. Fez um filme britânico, em 1947, Uncle Silas, estrelado por Jean Simmons. Interpretou a mãe de Tyrone Power em Prince of Foxes, em 1949. Depois de 1949, Paxinou retornou à Hollywood apenas uma vez, para atuar, novamente, uma mulher cigana, no épico technicolor de 1959, The Miracle.

Em 1950, Paxinou reassumiu sua carreira nos palcos. Na Grécia, sua terra natal, ela formou o Teatro Real de Atenas, com Alex Minotis, seu diretor principal e, desde 1940, seu marido.

Paxinou fez vários aparições no palco da Broadway bem como na televisão, incluindo o papel principal na primeira produção em inglês da Casa de Bernarda Alba, de Federico García Lorca na ANTA Playhouse, em Nova Iorque, no ano de 1951, e em uma produção de Lorca e da BBC, Blood Wedding, transmitido em 2 de junho de 1959.

Morte[editar | editar código-fonte]

Paxinou morreu de câncer em Atenas, em 1973 com 72 anos. Deixou seu marido e seus dois filhos do primeiro casamento com Ioannis Paxinos, cujo sobrenome ela estava usando, após o seu divórcio. Seus restos mortais estão sepultados no Primeiro Cemitério de Atenas.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Personagem Observação
1943 Por Quem os Sinos Dobram Pilar Oscar de melhor atriz coadjuvante
Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante em cinema
Hostages Maria
1945 The Confidential Agent Sra. Melandez
1947 Mourning Becomes Electra Christine Mannon
Uncle Silas Madame de la Rougierre
1949 Prince of Foxes Mona Constanza Zoppo
1955 Mr. Arkadin Sophie
1959 The Miracle La Roca
1960 Rocco e i suoi fratelli Rosaria Parondi
1961 Morte di un bandito
1965 To Nisi tis Afroditis Lambrini
1968 Tante Zita tia Zita
1970 Un Été Sauvage Marya
The Martlet's Tale Orsetta

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Teresa Wright
por Mrs. Miniver
Oscar de melhor atriz coadjuvante
por Por Quem os Sinos Dobram

1944
Sucedida por:
Ethel Barrymore
por None But the Lonely Heart
Precedida por:
Primeira premiação
Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante em cinema
por Por Quem os Sinos Dobram

1944
Sucedida por:
Agnes Moorehead
por Mrs. Parkington