Katinguelê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important square.svg
Este artigo ou secção tem passagens escritas com uma linguagem inadequada para uma enciclopédia.
Caso deseje, tente transcrevê-lo para uma linguagem mais adequada.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Katinguelê é um grupo musical de pagode, um dos gêneros do samba do Brasil.

Com 26 anos de carreira, porém só nos últimos anos, com a ascensão do pagode, conseguiram obter o merecido reconhecimento. A saída de Salgadinho em Maio de 2001 foi um golpe para o grupo. Mas o Katinguelê segue em frente.

O nome "Katinguelê" (que significa criança iniciante na capoeira) já existia desde a primeira formação do grupo, já que o samba era discriminado e restrito apenas à classe baixa.

Isso tudo fez com que os paulistanos Mário, Hoody, Téo, Nino, Breno e Diguinho (atual formação) acreditassem no sucesso e batalhassem para chegar no auge que se encontram. A saída de Salgadinho para seguir a carreira solo abalou o Katinguelê, mas o golpe foi absorvido. Em 2008 Salgadinho retornou para o Katinguelê com a ajuda da dupla sertaneja Bruno e Marrone, mas em 2010 Salgadinho saiu ou "foi saído" do grupo. No seu lugar entrou Rodrigo Golla (Diguinho).

O sucesso dependeu muito dos empresários Wanderley, no início da carreira, e Sidney Gallego (antigo empresário), que acreditou no talento deles desde o início humilde na região sul de São Paulo.

A fama em todo o território nacional chegou ao lançarem o 3º disco (1996) pela gravadora Continental, tendo como título No compasso do Criador que quase vendeu 1 milhao de copias. Deste trabalho expandiu de Norte a Sul sucessos como Só pedindo bis, Recado à minha amada, Ainda resta uma bagagem, Luana, No Compasso do Criador, Essa menina e muito mais.

Katinguelê definitivamente se tornou um dos maiores grupo de pagode do Brasil, vendendo quase 8 milhões de discos, para isso acontecer lutaram com muita garra e muita união para ter tantos discos vendidos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Bem No Íntimo (1992)
  • Meu Recado (1994) - Ouro: 100 mil cópias[1]
  • No Compasso do Criador (1996) - Platina duplo: 500 mil cópias[1]
  • Mundo dos Sonhos (1997) - Platina: 250 mil cópias[1]
  • Na Área (1998) - Platina: 250 mil cópias[1]
  • 15 Anos ao Vivo (1999)
  • Venha Matar Saudade (2000)
  • O Show Vai Começar - Ao Vivo (2005)
  • A Volta Ao Vivo (2008)
  • Por Amor (2010)

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex Integrantes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Álbuns certificados de Katinguelê (em português). ABPD. Página visitada em 15 de fevereiro de 2013.


Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.