Kay Parker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Kay Parker, nome artístico de Kay Rebecca Taylor, (Birmingham, 28 de Agosto de 1944) é uma atriz pornográfica inglesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Kay Parker começou sua carreira na indústria de filmes adultos durante o final dos anos 70 a convite do actor pornô John Leslie que sugeriu que Kay participasse nos filmes que seriam gravados naquele tempo.

Ao saber que se tratava de filmes pornográficos, Kay rejeitou imediatamente. Mas participava eventualmente de partes não pornográficas, até que o director Antony Spinelli a convenceu a fazer sua primeira cena de sexo em seu filme "Sex World".

O primeiro parceiro sexual de Kay na frente das câmeras foi o actor pornô Joey Silvera. E de acordo com várias entrevistas feitas com Kay durante seus anos na activa ela revelou que Joey e ela mesma se atrapalharam durante a cena, que ficou tão descontrolada que Kay lascou um de seus dentes, visível em seus filmes posteriores.

Ela apareceu em filmes adultos durante o fim dos anos 70 e durante a maior parte dos anos 80. Ela é bastante conhecida por ter seios naturalmente fartos. Muitos de seus fãs também a admiram por ela permanecer no trabalho até a maturidade. A ponto de fazer 40 anos, ela ainda participou de várias cenas de sexo hardcore.

Seu trabalho consistia basicamente em sexo vaginal e oral, fetiches uniformizados, encontros lésbicos e uso de vibradores.

A fama do filme Taboo[editar | editar código-fonte]

Sua mais famosa actuação foi como a mãe incestuosa "Barbara Scott", no filme de 1980, Taboo, e suas diversas continuações. No primeiro "Taboo" Kay contracenava com um jovem actor que interpretava seu filho, "Paul". Em "Taboo 2", Kay actuava com um jovem actor que interpretava "Junior", o melhor amigo de seu filho. Nesses filmes também há diversas cenas de sexo intrafamiliar como relações sexuais entre actores interpretando irmãos e irmãs, pais e filhas e mães e filhos.

A série de filmes Taboo gerou diversos fãs devotos, especialmente os que tinham fetiches com relação a incesto. Muitos fãs masculinos admiravam Kay como a "mãe" que fantasiavam. Esse papel despertou a fantasia de vários fãs que conversam sobre o assunto em diversos chats pela internet.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • No auge de sua popularidade, Kay se mostrou tão popular que até fez pequenas participações em filmes como "Burt Reynold" e "The Best Little Whorehouse in Texas" em que ela podia ser vista durante uma pequena cena no começo do filme.
  • Ela admitiu em entrevistas que sempre prefiriu homens mais jovens.
  • Ela é a estrela pornô predileta do lutador de luta-livre Mick Foley. Como escrito em seu livro "Foley is Good" em que diz que Foley sempre mencionava seu nome em eventos de luta livre na Inglaterra.
  • Kay trabalha atualmente como conselheira metafísica e palestrante. Em 2001, ela escreveu um livro chamado Taboo: Sacred, Don't Touch, em que escreve sobre sua infância, carreira na indústria pornô e suas experiências como metafísica.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]