Kemal Derviş

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kemal Derviş
Kemal Derviş na Reunião Anual de 2006 do Fórum Económico Mundial, em Davos.
Vários cargos no Banco Mundial:

Chefe de Divisão de Estratégia para a Indústria e Comércio
Diretor do Departamento para a Europa Central
Vice-presidente para o Médio Oriente e África
Vice-presidente para a Redução da Pobreza e Gestão Económica

Mandato 1977-2001
Ministro dos Assuntos Económicos da Turquia
Mandato março de 2001 — agosto de 2002
Administrador do Programa das Nações Unidas
para o Desenvolvimento
(PNUD)
Mandato agosto de 2005 — fevereiro de 2009
Vida
Nascimento 10 de janeiro de 1949 (65 anos)
 Turquia, Istambul
Nacionalidade turca
Dados pessoais
Cônjuge Catherine Derviş
Profissão economista

Kemal Derviş (Istambul, 10 de janeiro de 1949) é um economista e político turco que foi um alto funcionário do Banco Mundial, Ministro dos Assuntos Económicos da Turquia e administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

É filho de pai turco e mãe alemã-holandesa. Foi homenageado pelo governo do Japão por «ter contribuído para integrar a política de assitência económica do Japão nas Nações Unidas».[1] Em 2005 figurou na 67ª posição no "Top 100 dos intelectuais mais importantes" (Top 100 Public Intellectuals Poll) das revistas Prospect e Foreign Policy.[2] [3]

Kemal Derviş é casado em segundas núpcias com Catherine Derviş, uma cidadã americana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudos, docência universitária e Banco Mundial[editar | editar código-fonte]

Kemal Derviş estudou Economia em Inglaterra, na London School of Economics, onde terminou o bacharelato em 1968 e o mestrado em 1970. Doutorou-se na Universidade de Princeton, Nova Jérsia, Estados Unidos, em 1973. Entre 1973 e 1976 foi docente na Faculdade de Economia da Universidade do Médio Oriente (em turco: Orta Doğu Teknik Üniversitesi) em Ancara, Turquia.[4] No mesmo período foi conselheiro de Bülent Ecevit antes e depois deste ter sido primeiro-ministro da Turquia.[5] Entre 1976 e 1978 foi membro do Departamento de Economia da Universidade de Princeton.

Em 1977 entrou para o Banco Mundial, onde trabalharia até ao seu regresso à Turquia em 2001. No Banco Mundial ocupou os cargos de Chefe de Divisão de Estratégia para a Indústria e Comércio, Diretor do Departamento para a Europa Central (logo a seguir à queda do Muro de Berlim) antes de ser nomeado Vice-presidente para o Médio Oriente e África (em 1996) e Vice-presidente para a Redução da Pobreza e Gestão Económica (em 2000).[4]

No primeiro cargo, Derviş coordenou o apoio da Banco Mundial aos processos de paz e reconstrução nos Balcãs (Bósnia) e Médio Oriente. No segundo cargo foi responsável pelos programas e políticas de combate à pobreza e pelo desenvolvimento do Documento de estratégia para a redução da pobreza (em inglês: Poverty Reduction Strategy Paper, PRSP), uma iniciativa lançada pouco tempo antes da sua posse do cargo. Foi igualmente responsável pela coordenação operacional para questões institucionais e de políticas com outras instituições, nomeadamente com o Fundo Monetário Internacional e instituições das Nações Unidas.[4]

Ministro dos Assuntos Económicos da Turquia[editar | editar código-fonte]

Kemal Derviş assumiu o cargo de Ministro dos Assuntos Económicos da Turquia no governo de Bülent Ecevit, do Partido da Esquerda Democrática (Demokratik Sol Parti, DSP) em março de 2001, depois de estar ausente do país durante 22 anos. O país enfrentava a pior crise económica da sua história moderna e as perspetivas de sucesso eram incertas. Derviş usou a sua independência dos interesses instalados e apoiou os reformistas e a sociedade civil através de um duro programa de mudanças estruturais que passaram por uma reforma do sistema bancário tendente a impedir o uso dos bancos estatais para fins políticos, do fortalecimento da independência do banco central e do combate à corrupção. Impulsionou também reformas profundas na agricultura, energia e processos orçamentais. Essas reformas, a sua reputação e os seus contactos privilegiados na Europa e Estados Unidos ajudaram-no a conseguir empréstimos do Fundo Monetário Internacional[5] e do Banco Mundial no valor de 20 mil milhões de dólares. O crescimento económico elevado foi retomado em 2002 e a inflação baixou de quase 70% nos anos 1990 para 12% em 2003.[carece de fontes?] As taxa de juros baixaram e o taxa de câmbio da lira turca estabilizou.[5]

Parlamentar e administrador nas Nações Unidas[editar | editar código-fonte]

Derviş demitiu-se do cargo de ministro em agosto de 2002, a seguir a uma série de demissões de outros ministros e a um crescente mau relacionamento com o primeiro-ministro. Anunciou em seguida que iria trabalhar para unir os políticos de centro-esquerda. Apesar da sua popularidade, os seus cíticos acusavam-no de ser "demasiado americano" e de não compreender a realidade turca.[5]

Foi eleito para o parlamento em novembro do mesmo ano pelo principal partido da oposição, o Partido Republicano do Povo (CHP).[6] Foi membro da comissão conjunta dos parlamentos turco e europeu.[carece de fontes?]

A sua participação em instituições internacionais como o Centro para o Desenvolvimento Global, do qual é associado não residente, a Task Force on Global Public Goods, a Comissão Especial para os Balcãs, das quais é ou foi membro, e o Fórum para a Economia e Política Internacional de Istambul,[6] do qual é associado ajudou a fortalecer as perspectivas de início das negociações para a adesão da Turquia à União Europeia.[carece de fontes?]

A 5 de maio de 2005 foi Derviş foi eleito por unanimidade pela Assembleia Geral das Nações Unidas para Administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o terceiro cargo em importância na ONU, logo a seguir ao de secretário-geral e vice secretário-geral. Ocupou o cargo entre 15 de agosto de 2005 e 26 de fevereiro de 2009,[7] mas decidiu não se recandidatar a um segunto mandato. Ainda em 2009, Kemal Derviş foi conselheiro especial do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para a reunião do G20 em Londres.[6]

Em 30 de março de 2009 Strobe Talbott anunciou que Derviş se tinha tornado membro da Brookings Institution, um think tank de Washington, D.C. como vice-presidente e diretor do Programa de Economia Global e Desenvolvimento.[6] Derviş é também membro do conselho científico da Fundação Ideias para o Progresso (em espanhol: Fundación Ideas para el Progreso), um think tank do Partido Socialista Operário Espanhol,[8] e membro da Comissão de Supervisores da Universidade Sabancı (Sabancı Üniversitesi), de Istambul, onde também colabora em diversos trabalhos, especialmente em assuntos relacionados com o alargamento da União Europeia.[8]

Bibliografia

  • Exchange-rate adjustment, trade policy and economic growth: Experiments with a dynamic general equilibrium model of Turkey (em inglês). [S.l.]: Woodrow Wilson School of Public and International Affairs, Princeton University, 1977.
  • Nye, Joseph S.; Scowcroft, Brent; Feldstein, Martin; Leonhardt, David; Cooper, Richard N.; Stokes, Bruce; Tyson, Laura D.; Derviş, Kemal; McCormick, David; Burwell, Sylvia Mathews; Green, Michael J.; Burns, R. Nicholas; Price, Jonathon. The Global Economic Crisis and Potential Implications for Foreign Policy and National Security (em inglês). [S.l.]: Aspen Institute, 2009. 162 p. ISBN 978-0898435153
  • Derviş, Kemal; Kawai; Masahiro; Lombardi, Domenico. Asia and Policymaking for the Global Economy (em inglês). [S.l.]: Brookings Institution Press, 2011. 140 p. ISBN 978-0815704218

Referências

  1. 2009 Autumn Conferment of Decorations on Foreign Nationals (pdf) (em inglês). www.mofa.go.jp. Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão. Página visitada em 26 de fevereiro de 2011.
  2. The Prospect/FP Top 100 Public Intellectuals (em inglês). www.infoplease.com. Information Please (2007). Página visitada em 26 de fevereiro de 2011.
  3. The top 100 intellectuals (em inglês). www.guardian.co.uk. The Guardian (30 de setembro de 2005). Página visitada em 26 de fevereiro de 2011.
  4. a b c Biography: Kemal Derviş, former UNDP Administrator (em inglês). content.undp.org. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Página visitada em 27 de fevereiro de 2011.
  5. a b c d Profile: Kemal Dervis (em inglês). news.bbc.co.uk. BBC News (12 de agosto de 2002). Página visitada em 27 de fevereiro de 2011.
  6. a b c d Kemal Derviş Named Vice President and Director of Global Economy and Development at Brookings (em inglês). www.brookings.edu. Brookings Institution (30 de março de 2009). Página visitada em 27 de fevereiro de 2011.
  7. Dervis thanks staff, outlines development challenges ahead (em inglês). content.undp.org. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (26 de fevereiro de 2009). Página visitada em 27 de fevereiro de 2011.
  8. a b Comité Científico (em espanhol). www.fundacionideas.es. Fundación Ideas para el Progreso (2009). Página visitada em 27 de fevereiro de 2011.