Kenny Braga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Kenny Braga (Santana do Livramento, 24 de dezembro de 1944) é um jornalista brasileiro.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Kenny descobriu a vocação de jornalista no seu gosto pela literatura. Antes de se formar pela UFRGS, já exercia há muito tempo a profissão e presenciou fatos emblemáticos, como a ocasião em que o jornal em que trabalhava, A Plateia, de Santana do Livramento, foi fechado pela polícia por causa de um editorial escrito por Kenny.

Trabalhou nos grandes jornais de Porto Alegre, como Diário de Notícias, Folha da Tarde e Zero Hora. Atuou também nas sucursais porto-alegrenses da revista Veja e dos jornais O Globo e O Estado de São Paulo. Trabalhou nos veículos do Grupo RBS entre 1980 e 2014.

Em 2000, tornou-se colunista do jornal Diário Gaúcho, cargo que ocupou até 10 de novembro de 2014.

Braga se candidatou a vereador em Porto Alegre, pelo PDT, nas eleições de 1992. Recebeu 1.907 e foi suplente na gestão.[1]

No dia 10 de novembro de 2014, o jornalista foi desligado do Grupo RBS [2] , onde atuava na Rádio Gaúcha e no jornal Diário Gaúcho, após xingar ao vivo o jornalista Paulo Sant'Ana, seu colega no programa Sala de Redação, em uma discussão sobre a vitória do Grêmio no Grenal 403.

Referências

Membros do Sala de Redação
CacaloDavid CoimbraGuerrinhaKenny BragaLauro QuadrosPaulo Sant'AnaRuy Carlos OstermannWianey Carlet


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.