Kerrang!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kerrang!
Slogan Life is Loud
Editor James McMahon
Frequência Semanal
Editora Bauer Media Group
Circulação  Reino Unido  Austrália Flag of Spain.svg Espanha  Alemanha
País  Reino Unido
Idioma Inglês
Primeira edição 6 de junho de 1981 (33 anos)
ISSN 0262-6624
kerrang.com/

Kerrang! É uma revista britânica dedicada ao rock, publicada pela Bauer Media Group. Foi publicada pela primeira vez em 6 de junho de 1981 como um suplemento da revista Sounds. Nomeada pela palavra que deriva do som feito durante a reprodução de uma "corda do poder" em uma guitarra, a Kerrang! foi inicialmente dedicada ao New Wave e depois ao Hard Rock.[1] [2]

História[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1980 e início de 1990 a revista colocou Thrash Metal e Glam Metal na capa (como Mötley Crüe, Slayer, Bon Jovi, Metallica, Poison, e Venom), mas depois descartou esses artistas quando o Nirvana chegou à fama. Leitores criticam a revista para repetir este processo toda vez que uma nova tendência musical se torna popular.

A Popularidade da Kerrang! ressuscitou com a contratação do editor Paul Rees em 2000, quando o gênero nu metal, com bandas como Limp Bizkit e Slipknot foram se tornando mais populares.[3] Rees passou a editar a revista Q e Ashley Bird' assumiu como editora de 2003 a 2005. Contudo, as vendas da revista passaram rapidamente ao declínio em 2003 e Paul Brannigan assumiu como editor em maio de 2005.[4]

Com o surgimento dos emos e do metalcore, Kerrang! Começou a fortemente apresentar essa tendência musical. No entanto, a renovação não foi bem recebida por todos os leitores e muitas reclamações foram recebidas.

Em 2008 a EMAP vendeu a Kerrang! para sua atual propietária a Bauer Media Group, Brenningan saiu da revista e em 2009 Nichola Browne foi nomeado editor.[5] Ela deixou o cargo em abril de 2011, James McMahon foi nomeado editor em 6 de junho de 2011.[6]

Em 2013, na edição #1471 da revista, o álbum Fashionably Late de Falling in Reverse foi o primeiro a sair sem uma classificação. A revisão do álbum apenas indicava "Fuck Knows" citando-o como o álbum mais louco do ano e que você não vai ouvir nada parecido com isso.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Brannigan, Paul. (June 6, 2006). "25 Most Important Bands Of Our Lifetime". Kerrang! (1110). Bauer Media Group.
  2. Baran, Pete. "Kerrang topples NME as best selling music weekly", Freaky Trigger, February 15, 2002. Página visitada em November 23, 2011.
  3. "Kerrang! overtakes NME", BBC News, February 15, 2002. Página visitada em May 7, 2010.
  4. "ABC report: film and music", Campaign, Haymarket Group, February 20, 2004. Página visitada em November 22, 2011.
  5. Brook, Stephen. "Nichola Browne to edit Kerrang!", The Guardian, Guardian Media Group, August 17, 2009. Página visitada em October 28, 2010.
  6. Cardew, Ben. "Kerrang! names new editor", Music Week, Intent Media, June 6, 2011. Página visitada em June 9, 2011.
  7. Kerrang! (18 de junho de 2013). Kerrang! Magazine 19/06/13 www.kerrang.com. Visitado em 9 de julho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]