Khalifa Hafter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Khalifa Haftar
Nascimento  ?
Líbia
País Líbia Jamahiriya Árabe da Líbia (até 1987)
Líbia República da Líbia (2011-presente)
Força Líbia Exército líbio
Hierarquia Tenente-general
Batalhas/Guerras

Khalifa Belqasim Haftar (ou Hifter, ou Hefter, ou Huftur, ou Heftir) (em árabe: خليفة بالقاسم حفتر), destacou-se como um dos comandantes militares do Conselho Nacional de Transição (CNT) durante a Guerra Civil Líbia.

Em março de 1987, era um General do Exército Líbio que foi capturado junto com cerca de 650 de seus comandados durante a Guerra Líbio-Chadiana. Depois de sua captura, juntou-se à Frente Nacional para a Salvação da Líbia (FNSL) que era o maior grupo de oposição ao regime líbio na época.1

Em 1988, a CIA recrutou cerca de 600 ex-militares líbios capturados no Chade, para formar uma força paramilitar que poderia ser usada para derrubar o então líder líbio, Muammar al-Gaddafi, dentre eles Hifter que lideraria o grupo, que passaram a receber treinamento em uma base próxima à Ndjamena, capital do Chade.2

Em 2 de dezembro de 1990, o governo de Hissène Habré foi derrubado por Idriss Déby, apoiado pelo regime líbio3 que exigiu que os ex-militares líbios fossem repatriados, mas Déby permitiu que os ex-militares líbios que recebiam treinamento da CIA fossem levados para para o Zaire (país que a partir de 1996 passou a ser denominado como República Democrática do Congo e que na época era um aliado dos Estados Unidos na região), por meio de aviões de transporte norte-americanos, posteriormente o regime líbio conseguiu convencer 250 daqueles ex-militares a retornar ao país, enquanto que os 350 restantes, dentre eles Hifter, foram recebidos como exilados nos Estados Unidos em 1991,4 2 onde foram dispersos entre todos os 50 estados norte-americanos.

Ao chegar aos Estados Unidos, Hifter se instalou em Vienna no estado da Virgínia, em um lugar próximo à capital americana, não muito longe da sede da CIA.5 6 7

Em março de 1996, retornou à Líbia e participou de um levante contra o regime líbio,8 nas Montanhas Jabal Akhdar no leste do país.1

Em dezembro de 1996 era apontado pelo Serviço de Pesquisas do Congresso dos Estados Unidos como o chefe da ala militar da FNSL, denominada como Exército Nacional Líbio.1

Em 19 de março de 2011, chegou à Benghazi, onde foi saudado por simpatizantes9 e passou a disputar o comando militar das forças rebeldes Abdel Fatah Younes.10 7 11

Referências

  1. a b c Is General Khalifa Hifter The CIA’s Man In Libya?, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  2. a b 350 Libyans Trained to Oust Qaddafi Are to Come to U.S., em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  3. Libya, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  4. Acrescente-se que antes de ir para os Estados Unidos, esses 350 passaram uma breve temporada no Quênia
  5. Libyan rebel leader spent much of past 20 years in suburban Virginia, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  6. Cerca de 10 minutos de Langley (A Debate on U.S. Military Intervention in Libya: Juan Cole v. Vijay Prashad, em inglês, acesso em 01 de dezembro de 2012)
  7. a b Libyan rebel efforts frustrated by internal disputes over leadership, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  8. Ver Grupo de Combate Islâmico Líbio
  9. Gaddafi and the CIA – a short history, em inglês, acesso em 17 de novembro de 2012
  10. General's death puts Libyan rebels in turmoil, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
  11. The task of forming a more effective anti-Gaddafi army, em inglês, acesso em 07 de novembro de 2012
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.