Khanda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Khanda

O Khanda é o símbolo mais importante da religião Sikh. A sua importância pode ser comparada à da Cruz no cristianismo, ou à Estrela de Davi no Judaísmo.

A bandeira sagrada do Sikhismo, conhecida como Nishan Sahib, erguida em todos os templos sikhs (gurdwaras), inclui o Khanda.

Ele é resultado da junção de quatro armas:

  • ao centro, uma espada de dois gumes chamada Khanda, da qual deriva o nome de todo o símbolo. Representa o poder criativo de Deus que controla o universo. O gume esquerdo representa a justiça divina que castiga os opressores e o direito a liberdade e a autoridade inspirada em valores morais e espirituais;
  • em torno do Khanda encontra-se uma arma denominada Chakkar (ou Chakra), usada por quase todos os guerreiros sikhs do século XVIII. Apresenta uma forma circular pelo que simboliza a eternidade e a perfeição de Deus;
  • em ambos os lados, duas espadas de forma curva chamadas Kirpans. A espada que se encontra no lado esquerdo representa o poder espiritual (piri) e a do lado direito o poder temporal (miri). O Guru Hargobind foi o primeiro dos Dez Gurus do Sikhismo a usar duas espadas, que são hoje interpretadas como metáforas para a importância de desenvolver uma vida espiritual, mas também da necessidade de manter a paz (historicamente a comunidade sikh foi alvo de perseguições, pelo que esta teve que recorrer à auto-defesa para preservar a sua integridade).

A actual bandeira do Irão apresenta um símbolo parecido ao Khanda que não se encontra de qualquer maneira relacionado com o Sikhismo.