Krig-ha, Bandolo!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Krig-Ha, Bandolo!)
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página está a atravessar um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a dar o seu contributo e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Hlges (D C) 16 dias atrás. (Recarregar)

Krig-ha, Bandolo!
Álbum de estúdio de Raul Seixas
Lançamento 21 de julho de 1973[1]
Gravação 1973
Gênero(s) Rock and roll, folk rock, country rock, baião, gospel
Duração 28:52
Idioma(s) Português e Inglês
Formato(s) LP e CD
Gravadora(s) Philips
Produção Marco Mazzola e Raul Seixas
Cronologia de de estúdio por Raul Seixas
Último
Último
Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock
(1973)
Gita
(1974)
Próximo
Próximo
Singles de Krig-ha, Bandolo!
  1. "Ouro de Tolo"
    Lançamento: Maio de 1973[2]
  2. "Krig-ha, Bandolo! (compacto duplo)"
    Lançamento: 1973

Krig-ha, Bandolo! é o primeiro álbum solo do cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, gravado e lançado pela Philips em 21 de julho de 1973.[1]

Contexto e análise[editar | editar código-fonte]

Este é o quarto álbum no qual Raul Seixas esteve envolvido como cantor e o primeiro de grande sucesso, após tentativas frustadas com os discos Raulzito e os Panteras, de sua primeira banda, e Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10, de seu segundo grupo quando ainda era produtor da CBS Records. Além desses, Raul esteve envolvido em um projeto da gravadora Philips que levou ao lançamento, em maio de 1973, de um álbum intitulado Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock, creditado a uma banda fictícia chamada "Rock Generation". Após o sucesso de Raul Seixas, o álbum passaria a ser creditado em seu nome.[3]

O título "Krig-há, Bandolo!" faz referência a um grito de guerra do personagem Tarzan, conhecido à época nas revistas em quadrinhos da EBAL, e que significa "Cuidado, aí vem o inimigo".[4]

O álbum inicia com uma gravação de Raul cantando "Good Rockin' Tonight" aos nove anos de idade e possui alguns dos grandes sucessos do músico como "Mosca Na Sopa", "Metamorfose Ambulante" e "Ouro de Tolo". Este álbum também foi o primeiro de Raul, em parceria com o escritor Paulo Coelho, que tem destaque na música "Al Capone".[5] Além do enigmático disco, esta parceria rendeu a divulgação da Sociedade Alternativa, feita com a distribuição de gibis criados por Seixas e Coelho em plena ditadura militar.

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

O álbum teve diversos eventos de promoção realizados ou patrocinados pela gravadora de Raul, a Philips - como uma caminhada pelas ruas do Rio de Janeiro - culminando com um show no teatro Tereza Rachel no dia do lançamento do disco, 21 de julho de 1973.[6]

Recepção[editar | editar código-fonte]

A revista Rolling Stone divulgou uma lista dos 100 maiores discos da música brasileira, na qual Krig-Ha, Bandolo! ocupou a 12ª posição. Além do álbum, o único outro disco de Raul Seixas que se encontra na lista é Novo Aeon, de 1975, no 53° lugar.[7]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Introdução: Good Rockin' Tonight"   Roy Brown 0:50
2. "Mosca na Sopa"   Raul Seixas 3:58
3. "Metamorfose Ambulante"   Raul Seixas 3:50
4. "Dentadura Postiça"   Raul Seixas 1:30
5. "As Minas do Rei Salomão"   Raul Seixas / Paulo Coelho 2:22
6. "A Hora do Trem Passar"   Raul Seixas / Paulo Coelho 1:50
7. "Al Capone"   Raul Seixas / Paulo Coelho 2:38
8. "How Could I Know"   Raul Seixas 2:36
9. "Rockixe"   Raul Seixas / Paulo Coelho 3:44
10. "Cachorro Urubu"   Raul Seixas / Paulo Coelho 2:08
11. "Ouro de Tolo"   Raul Seixas 2:51

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Coordenação: Roberto Menescal
  • Direção Musical: Mazzola / Raul Seixas
  • Produção Artística: Mazzola / Raul Seixas
  • Técnicos: Ary / Luigi
  • Auxiliar Técnico: Paulo Sérgio / Luis Claudio
  • Corte: Joaquim Figueira
  • Capa: Raul, Paulo, Edith, Aldo e Adalgisa Rios
  • Foto da Capa: Cláudio Fortuna
  • Encarte: Adalgisa Rios

Músicos[editar | editar código-fonte]

  • Baixo: Paulo Cézar Barros - Alexandre
  • Bateria: Pedrinho / Bill French / Mamão
  • Guitarra: Raul Seixas / Jay Vaquer
  • Piano: Miguel Cidras / José Roberto
  • Teclados: Luis Paulo - Miguel Cidras Rivas
  • Berimbau: Paulinho Batera
  • Banjo: José Menezes
  • Pandeiro: Mazzola

Referências

  1. a b PASSOS e BUDA, 1992, p. 96.
  2. RADA NETO, 2013, p. 1.
  3. RADA NETO, 2011, p. 9.
  4. FRANS, 2000, p. 103.
  5. http://www.legal.adv.br/20130826/raul-seixas-discografia-completa/
  6. BOSCATO, 2003, p. 5.
  7. "Os 100 maiores discos da Música Brasileira" - Rolling Stone Brasil, outubro de 2007, edição nº 13, página 109.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FRANS, Elton. Raul Seixas: a história que não foi contada. Rio de Janeiro: Irmãos Vitale, 2000. ISBN: 8574070874.
  • PASSOS, Sylvio e BUDA, Toninho. Raul Seixas: uma antologia. São Paulo: Martin Claret, 1992.
  • BOSCATO, Luis Alberto de Lima. A Rebelião Contracultural: Raul Seixas e o movimento da sociedade alternativa. Anais do XXII Simpósio Nacional de História. João Pessoa, 2003.
  • RADA NETO, José. O Rock 'n' Roll Invade os Palcos da MPB: Raul Seixas e a influência do rock and roll. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História. São Paulo, julho de 2011.
  • RADA NETO, José. Raul(zito) Seixas como produtor musical: aprendizado prático e construção da imagem artística. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História. Julho de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Raul Seixas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.