Kurt Meyer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kurt Meyer
Alemanha Nazi
Nascimento 23 de dezembro de 1910
Jerxheim, Alemanha
Morte 23 de dezembro de 1961 (51 anos)
Hagen
Nacionalidade Alemã Flag of German Reich (1935–1945).svg
Serviço militar
Serviço Waffen SS Flag Schutzstaffel.svg
Tempo de serviço 1930 - 1945
Patente Brigadeführer und Generalmajor der Waffen-SS
Unidades
Batalhas/Guerras Segunda Guerra Mundial
Condecorações

Kurt Meyer apelidado de Panzermeyer (23 de dezembro de 1910 - 23 de dezembro de 1961) foi um oficial alemão da Waffen-SS que serviu durante a Segunda Guerra Mundial, condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro. Atou em diversas batalhas como a Invasão da França, Operação Barbarossa e Batalha da Normandia.

Carreira na SS[editar | editar código-fonte]

Antes da guerra[editar | editar código-fonte]

Meyer juntou-se ao NSDAP em 01 de setembro de 1930, três anos antes de Adolf Hitler se tornar Chanceler da Alemanha. Ele então se candidatou sua adesão à Schutzstaffel, comandada por Heinrich Himmler. Ele foi aceito em 15 de Outubro de 1931, seu primeiro cargo a ser na 22. SS-Standarte baseada na cidade de Schwerin. Meyer foi promovido como um SS-Untersturmführer (2 º Tenente), em 1932. Em maio de 1934, ele foi transferido para a unidade de maior prestígio da SS, a Leibstandarte SS Adolf Hitler (LSSAH). Em setembro de 1936, Meyer foi novamente promovido, desta vez para SS-Obersturmführer (1 º Tenente), e também assumiu o comando da unidade LSSAH anti-tanque 14. Panzerabwehrkompanie. Meyer e a LSSAH participaram pacificamente na anexação da Áustria como parte do XVI. Armeekorps e, mais tarde, sob o general Heinz Guderian, na ocupação da Tchecoslováquia.

Campanhas na Polônia, França e Países Baixos[editar | editar código-fonte]

Embora o comando de uma companhia estática anti-tanque não era o ideal de Meyer, seu desempenho chamou a atenção positiva durante a Fall Weiß, a invasão da Polônia. O LSSAH foi relacionado ao Heeresgruppe Süd comandado pelo general Gerd von Rundstedt durante a campanha. Ele foi baleado no ombro em 7 de Setembro de 1939. Apesar disso, Meyer continuou a comandar a companhia anti-tanque e recebeu a Cruz de Ferro, de segunda classe, em 25 de setembro de 1939.

Depois da campanha na Polônia, Meyer solicitou um comando mais móvel. Ele recebeu a Companhia de Motocicletas de Reconhecimento da LSSAH (15 Kradschützenkompanie). Ele levou as motociclistas da LSSAH na invasão da França e dos Países Baixos. A comandar os pelotões 1 º e 2 eram seus futuros camaradas Hugo Kraas e Max Wünsche. A LSSAH era comandada pela XVI. Armeekorps do general Gustav Anton von Wietersheim. Durante esta campanha, Meyer foi premiado com a Cruz de Ferro, primeira classe.

Os Balcãs e a Grécia[editar | editar código-fonte]

Após a Campanha Ocidental, a 15 Kradschützenkompanie foi reorganizada no Batalhão de Reconhecimento Aufklärungsabteilung da LSSAH e Meyer foi promovido a SS-Sturmbannführer (Major).

A invasão mal-sucedida de Benito Mussolini da Grécia resultou na Operação Barbarossa sendo adiada, e as forças alemãs foram levadas a atacar as forças iugoslávas as forças gregas. Meyer foi encarregado de atacar os Corpos Gregos III, que estavam se retirando da Albânia. O batalhão de Meyer teve que entrar no formidável ​​Passo Kleisoura, ir ao Lago Orestiada e venceu as forças gregas baseadas na cidade de Castória.

O ataque começou em 13 de abril, mas no dia seguinte, o ataque tinha parado diante da forte resistência no Passo Kleisoura, perto da cidade de Werjes. A divisão grega 20 ficou bem entrincheirada em ambos os lados da cidade e as alturas que fazem fronteira com o passe em si. Meyer organizou seu batalhão em três grupos de assalto, liderada por ele mesmo, Kraas e Wünsche. Por meio da tarde, a cidade e alturas tinham sido apanhadas e o caminho para Castória estava aberto. A batalha para as alturas rendeu 600 presos - todos para a perda de apenas um oficial e seis homens mortos, um oficial e 17 feridos. No dia 16, o batalhão de Meyer penetrou por trás das linhas gregas e assaltaram Castória a partir do sul, com a captura de mais 1.100 prisioneiros. Para essas ações, Meyer foi premiado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 18 de maio de 1941.

Operação Barbarossa[editar | editar código-fonte]

Meyer e seu batalhão participou da Operação Barbarossa em junho de 1941 como parte do Heeresgruppe Süd. Por causa de suas rápidas ações relâmpago durante esta campanha ganhou o apelido de "Der schnelle Meyer" (Rápido Meyer). Meyer ordenou literalmente à seus homens para "carregar as armas", o que resultou não só na captação de Mariupol, no Mar Negro, mas também praticamente uma inteira divisão soviética. Este foi um exemplo típico do estilo Meyer de comandar: ousado e corajoso (Meyer estava sempre na frente de seus assaltos), embora também talvez imprudente.

Em outubro, Meyer ficou doente e repassou o comando para Hugo Kraas. Depois de convalescente com sua esposa em Berlim, ele voltou à ativa em janeiro de 1942. Logo após o retorno, ele foi condecorado com a Cruz Germânica em ouro por bravura em combate.

Carcóvia e a Divisão Hitlerjugend[editar | editar código-fonte]

Fritz Witt (esuerda) e Kurt Meyer (direita) em Carcóvia em março de 1943.

No retorno de Meyer, a LSSAH tinha sido transformada em SS-Panzergrenadier Division-SS Leibstandarte Adolf Hitler. Após a II Corpo Panzer SS se retirar de Carcóvia, o general Paul Hausser ordenou a sua recaptura. Ansioso para recuperar seu prestígio danificado, a SS lançou o assalto. O novo SS-Batalhão de Reconhecimento I de Meyer estava constantemente na linha de frente dos combates. Durante a Terceira batalha de Carcóvia, o batalhão de Meyer freqüentemente co-operou a SS-Panzer-Regimento 1 de Max Wünsche, SS-Regimento Panzergrenadier II de Theodor Wisch e com o SS-Terceiro Batalhão Regimento Panzergrenadier II de Joachim Peiper. Estes ad hoc Kampfgruppe foram bastante úteis, correndo de um ponto de crise para outro, resgatando tropas capturadas alemãs e capturando oficiais soviéticos. O batalhão de Meyer capturou o pessoal de comando inteiro de uma divisão soviética perto Jeremejewka e Aleksandrowka.

Na fase final da captura de Carcóvia, o objetico do Leibstandarte era capturar a enorme praça central, chamada Praça Vermelha. Meyer, Wünsche e Peiper comamdavam o Kampfgruppen que tinha a responsabilidade de capturar a cidade. Meyer levou apidamente seu batalhão à praça, capturando parte dela, antes de serem bloqueados pelos soviéticos. Meyer e seus granadeiros prepararam o terreno contra as forças soviéticas superiores, até que foram aliviados pelo Kampfgruppe de Peiper, em 13 de março. Juntamente com o Kampfgruppe de Peiper e o resto do regimento de Teddy Wisch, o batalhão Meyer finalmente capturaram o centro da cidade depois de uma luta desesperada e sangrenta. Em homenagem a esta ação, a Praça Vermelha foi renomeada Platz der Leibstandarte.

Normandia e as batalhas em torno de Caen[editar | editar código-fonte]

Em 06 de junho de 1944 os aliados lançaram a Operação Overlord a invasão amfíbia da França, que abriu o tão esperado Fronte Ocidental.

Resumo da carreira na SS[editar | editar código-fonte]

Datas de classificação[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]