Kwashiorkor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kwashiokor
Criança portadora da Kwashiokor
Classificação e recursos externos
CID-10 E40, E42
CID-9 260
DiseasesDB 7211
MeSH Kwashiokor&field=entry#TreeD007732 D007732
Star of life caution.svg Aviso médico

Kwashiokor ou desnutrição intermediária é um tipo de doença decorrente da falta de proteínas e vitaminas, geralmente associado com elevado consumo de carboidratos (arroz, batata, milho, salgadinhos, doces...).[1]

Seu nome foi originado de um dos dialetos de Gana, país da África, e significa "mal do filho mais velho", pois costuma ocorrer quando a criança era desmamada e alimentada com muito carboidrato e pouca proteína. A OMS recomenda a inclusão de feijão, soja e outros grãos na dieta.

Causas[editar | editar código-fonte]

Existem várias explicações para o aparecimento e desenvolvimento da Kwashiorkor, tendo ainda controversas. Atualmente, considera-se que a deficiência protéica, aliada com as deficiências energéticas e de micronutrientes, são importantes causas porém podem não ser os fatores chave. Pode ser que seja também causada por deficiência de um dos muitos tipos de nutrientes (ferro, ácido fólico, iodo, selênio, vitamina C), principalmente aqueles que respondem pela proteção antioxidante.

Importantes antioxidantes são encontrados em quantidades reduzidas nas crianças com Kwashiorkor tais como glutationa, albumina, vitamina E e ácidos graxos polinsaturados. Também, se uma criança que possui uma dessas deficiências nutricionais e é exposta ao estresse (por exemplo: uma infecção, uma toxina) ela pode estar mais propensa a desenvolver a Kwashiorkor.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Como sintomas, incluem-se[2] :

A alteração do fígado (hepatomegalia) ocorre pela carência de apolipoproteínas que transportam os lipídios do fígados para os outros tecidos corporais e costumam confundir pessoas simples a achar que os filhos estão bem alimentados e gordos.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

As vítimas de kwashiorkor tem falha na produção de anticorpos tais como os que combatem a difteria e a febre tifóide. Comumente, a doença pode ser combatida com uma dieta equilibrada, rica em proteínas e vitaminas, como grãos, laticínios, legumes e sementes oleaginosas como nozes e amêndoas; entretanto, o índice de mortalidade pode ser maior que 60% e, por outras vias, pode gerar um impacto a longo prazo no desenvolvimento físico da criança e, nos casos mais severos, o retardamento mental.

Links Relacionados[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Krebs NF, Primak LE, Hambridge KM. Normal childhood nutrition & its disorders. In: Current Pediatric Diagnosis & Treatment. McGraw-Hill.
  2. http://www.saudemedicina.com/kwashiorkor/