Língua Nuu-chah-nulth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuu-chah-nulth (Nuučaan̓uł, T'aat'aaqsapa)
Pronúncia: [nuːt͡ʃaːnˀuɬ]
Falado em: Canadá
Região: Litoral oeste da Ilha Vancouver, desde o “Barkley Sound” até o “Quatsino Sound”, Colúmbia Britânica
Total de falantes: 150–200
Família: Línguas Wakashan
 Línguas Wakashan Sul
  Nuu-chah-nulth
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: noo

Nuu-chah-nulth (também chamada Nootka e T'aat'aaqsapa) é uma língua Wakashan falada no litoral Pacífico Noroeste da América do Norte, na costa ocidental da Ilha Vancouver desde “Barkley Sound” até “Quatsino Sound” na Colúmbia Britânica, pelo povo Nuu-chah-nulth. Nuu-chah-nulth é uma língua “Sul-Wakashan” relacionada com a Língua Nitinaht e Língua Makah.

Kim (2003) estimou a quantidade de falantes de Nuu-chah-nulth em 150 a 200 pessoas, enquanto que o Censo de 2001 do Canadá considerou 505 os falantes. Linguístas acham a lingua fascinante por causa da complexidade de sua Morfologia (lingüística) e de sua Fonologia.

História[editar | editar código-fonte]

Nuu-chah-nulth foi a primeira língua dos Povos Indígenas da Costa do Pacífico Noroeste a ter material documental escrito descrevendo a mesmo. Nos anos 1780, George Vancouver, Juan Francisco de la Bodega y Quadra e outros exploradores europeus e mercadores frequentaram “Nootka Sound” e outras comunidades Nuu-chah-nulth e daí fizeram muitos relatos de suas viagens. Entre 1803 e 1805 John R. Jewitt, um ferreiro ingles, foi mantido cativo pelo chefe indígena Maquinna em Nootka Sound. Ele se esforçou para aprender a língua e em 1815 publicou memórias com um breve glossário de palavras Nuu-Chah-nulth.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

As 35 consoantes de Nuu-chah-nulth são:

Consoantes1
Bilabial Alveolar1 Palatal Velar Uvular Farin-
geal
Glotal
central lateral plain labial plain labial
Nasal plain m n
Glotalização2 ˀm ˀn
Plosiva plain p t k q ʔ
ejetva kʷʼ
Africada plain t͡s t͡ɬ t͡ʃ
ejective t͡sʼ t͡ɬʼ t͡ʃʼ
Fricativa s ɬ ʃ x χ χʷ ħ h
Aproximante plain j w ʕ3
glotalizada2 ˀj ˀw
  1. As consoantes alveolares, nasais e laterais are ápico-alveolares, enqanto que as demais são dente-alveolares.
  2. As ressonantes glotalizadas (nasaiss e aproximentes) são percebidas como ressonantes com pré-glotalização. Ela são argüidas em conceito, o mesmo para consoantes ejetivas.
  3. /ʕ/ é uma Consoante Aproximante e não uma Fricativa (O [[IPA}} não tem um símbolo para o som). Esse fonema é mais frequentamente uma Epiglotal e funciona fonologicamente como Faringeal oclusiva.

As consoantes Faringeais desenvolvidas a partir da junção de sons Uvulares; /ħ/ deriva de um amálgama de {IPA|/χ/}} e /χʷ/ (as quais são comparativamente raras), enquanto que /ʕ/ vem de uma amálgama de /qʼ/ e /qʷʼ/ (as que estão ausentes da linguagem).2

Vogais[editar | editar código-fonte]

Vogais do Nuu-chah-nulth. Conf. Carlson, et al. (2001)

As vogais Nuu-chah-nulth são influenciadas pelas consoantes que circundam as mesmas, com algumas consoantes anteriores condicionando para menos mais vogais alofônicas posteriors.

Vogals
Frontal Central Posterior
longa curta longa curta longa curta
Fechada i u
Média1 (ɛː) (ə) (ɔː)
Aberta a
  1. As vogais médias [ɛː] e [ɔː] aparecem em formas vocativas e em expressões cerimoniais. [ə] é uma possível percepção de /a/ depois de uma sonora glotalizada.3

No ambiente da ressonantes glotalizadas, bem como consoantes ejetivas e faringeais, vogais podem ser “laringealizadas”, o que muitas vezes significa “rascante”.3

Em geral, o “peso” da sílaba determina a localização da tonicidade; vogais curtas seguidas por consoantes não glotalizadas e vogais longas são pesadas. Em sequências onde não há sílabas pesadas ou são todas pesadas, a sílaba tônica é a primeira.3

Nuu-chah-nulth tem vogais fonêmicas curtas e longas. Tradicionalmente, se reconhece uma terceira classe devogais. Tais vogais são longas quando ficam nas duas primeiras sílabas de uma palavra, em outro local são curtas.


Vocabulário[editar | editar código-fonte]

A língua Nuu-chah-nulth contreibuiu com muitas palavras para o vocabulário do Chinook. Acredita-se que o comércio e as trocas oceânicas entre os falantes de Nuu-chah-nulth e de idiomas Sul Wakashan com os povos falantes de Línguas Chinook do baixo Rio Colúmbia marcaram as fundações de um jargão, o Chinnok em época mais recente. Palavras Nootkan no Jargão Chinok incluem: hiyu - "muitos", que vem do Nuu-chah-nulth para "dez", siah - "longer", vem do Nuu-chah-nulth for "céu".

Um dicionário da lingual, com cerca de 7.500 verbetes, foi criado depois de 15 anos de pesquisas. Trata-se de um produto de trabalho com falantes e em notas do lingüista “Edward Sapir”, tomadas há cerca de um século. O dicionário é, porém, objeto de controvérsias, com muitos dos anciãos Nuu-chah-nulth questionando a precisão da terminologia e quanto à autoridade dos autores do dicionário para representar a língua.

Dialetos[editar | editar código-fonte]

Nuu-chah-nulth tem 12 dialetos diferentes:

  • Ahousaht  [ʕaːħuːsʔatħ]
  • Ehattesaht (ou. Ehattisaht)  [ʔiːħatisʔatħ]
  • Hesquiat  [ħiʃkʷiːʔatħ]
  • Kyuquot  [qaːjʼuːkʼatħ]
  • Mowachaht  [muwat͡ʃʼatħ]
  • Nuchatlaht  [nut͡ʃaːɬʔatħ]
  • Ohiaht  [huːʔiːʔatħ]
  • Clayoquot (ou. Tla.o.qui.aht)  [taʔuːkʷiʔatħ]
  • Toquaht  [tʼukʼʷaːʔatħ]
  • Tseshaht (ou. Sheshaht)  [t͡ʃʼiʃaːʔatħ]
  • Uchuklesaht ou. Uchucklesaht)  [ħuːt͡ʃuqtisʔatħ]
  • Ucluelet  [juːɬuʔiɬʔatħ]

Traduções dos nomes tribais[editar | editar código-fonte]

  • Nuu-Chah-Nulth - "tudo ao longo das montanhas e do mar". Os Nuu-chah-nulth eram antes os "Nootka" (mas eles preferem não ser chamados assim, mas Nuu-chah-nulth que explica melhor com todas as tribos se conectam às terras e ao mar). Alguns dos nomes a seguir (Ditidaht, Makah) não são parted a organização política, porém, são todos "Aht" (Povo). O termo “Nuu-chah-nulth-aht” é também usado para designar "Povo todo ao longo das montanhas e do mar”.
  • Ahousaht - Povo vivendo de costas para a terra das montanhas.
  • Ucluelet - Povo com locais seguros para atracar canoas.
  • Ehattesaht - Povo de uma tribo com muitos clãs.
  • Checkleset – Povo do local onde você ganha força.
  • Hesquiaht - Povo que chora com seus dentes.
  • Kyuquot – Povo diferente.
  • Mowachaht - Povo dos cervos.
  • Muchalaht – Povo que vive no rio Muchalee.
  • Nuchatlaht - Povo da baía protegida.
  • Huu-ay-aht - Povo que se recuperou.
  • Tseshaht - Povo da ilha que cheira a restos de baleias.
  • Tla-o-qui-aht - Povo de outras tribos.
  • Toquaht - Povo de uma área situada.
  • Uchucklesaht - Povo do porto interno.
  • Ditidaht - Povo de um lugar na floresta.
  • Hupacasath - Povo vivendo no extreme (das falésias).
  • Quidiishdaht (Makah) - Povo vivendo no lado de fora.

Nome de locais[editar | editar código-fonte]

Nuuchahnulth tem um nome para cada local dentro de seu território tradicional. A seguir se apresentam um poucos nomes ainda remanescentes:

  • hisaawista (esowista) – Capturada pelo espancamento até a morte do povo que viveu aqui.
  • Yuquot (gruta amigável) = - Onde eles recebem o vento norte.
  • nootk-sitl (Nootka) – Andando por aí.
  • maaqtusiis – Um lugar no outro lado da ilha.
  • kakawis – De frente para uma rocha que parece um “container”!.
  • kitsuksis – Galho cruzando a boca do precipício.
  • opitsaht – Ilha onde a lua desce.
  • pacheena – Foamy.
  • tsu-ma-uss (somass) – Lavando.
  • tsahaheh – Subir.
  • hitac`u (itatsoo) – Reserva de Ucluelet (distrito).
  • t’iipis – ponto de “polly” (tipo de peixe)
  • Tsaxana – Um lugar próximo ao rio.
  • Cheewat – Maré vazante.

4

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Carlson et al. (2001:276)
  2. Carlson et al. (2001:277)
  3. a b c Carlson, et al. (2001:277)
  4. Fonte: Ha-shilth-sa Jornal, 2003. Todas traduções obtidas por consultas a anciãos Nuuchahnulth. Ha-shilth-sa (significa 'notícias interessantes') é o Jornal Oficial da nação Nuu-chah-nulth

Referências[editar | editar código-fonte]

Em Inglês

  • Carlson, Barry F.; Esling, John H.; Fraser, Katie (2001), "Nuuchahnulth", Journal of the International Phonetic Association 31 (2): 275–279 
  • Kim, Eun-Sook. (2003). Theoretical issues in Nuu-chah-nulth phonology and morphology. (Doctoral dissertation, The University of British Columbia, Department of Linguistics).
  • Nakayama, Toshihide (2001). Nuuchahnulth (Nootka) morphosyntax. Berkeley: University of California Press. ISBN 0-520-09841-2
  • Sapir, Edward. (1938). Glottalized continuants in Navaho, Nootka, and Kwakiutl (with a note on Indo-European). Language, 14, 248–274.
  • Sapir, Edward; & Morris Swadesh. (1939). Nootka texts: Tales and ethnological narratives with grammatical notes and lexical materials. Philadelphia: Linguistic Society of America.
  • Sapir, Edward; & Swadesh, Morris. (1955). Native accounts of Nootka ethnography. Publication of the Indiana University Research Center in Anthropology, Folklore, and Linguistics (No. 1); International journal of American linguistics (Vol. 21, No. 4, Pt. 2). Bloomington: Indiana University, Research Center in Anthropology, Folklore, and Linguistics. (Reprinted 1978 in New York: AMS Press, ISBN).
  • Shank, Scott; & Wilson, Ian. (2000). Acoustic evidence for ʕ as a glottalized pharyngeal glide in Nuu-chah-nulth. In S. Gessner & S. Oh (Eds.), Proceedings of the 35th International Conference on Salish and Neighboring Languages (pp. 185–197). UBC working papers is linguistics (Vol. 3).

Referências[editar | editar código-fonte]