Língua abecásia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abecásio
Аҧсуа
Outros nomes: Abcásio, abcaz
Falado em: Geórgia, Turquia, Síria, Jordânia
Região: Abecásia, na Geórgia
Total de falantes: 120 mil
Família: Caucasiana
 Línguas caucasianas do noroeste
  Abecásio
Аҧсуа
Códigos de língua
ISO 639-1: ab
ISO 639-2: ---

O abecásio ou abecázio1 (também chamado de abcásio, abecaze2 ou abcaze3 ou abcaziano3  ; no alfabeto abecásio: Аҧсуа бызшәа) é um idioma falado principalmente na Abecásia (república autônoma disputada entre a Geórgia e a Rússia), classificado no grupo das línguas caucasianas do noroeste.

A maior parte dos falantes do abecásio vive no território da Abecásia, na costa ocidental do Mar Negro, onde (desde 1995) a constituição da Geórgia garantiu a sua condição de segunda língua oficial do país. Fora de sua terra original, o abecásio é falado por milhares de pessoas da "diáspora abecásia" (século XIX), principalmente na Turquia, Geórgia (região de Adjara), Rússia, Síria e Jordânia, além de comunidades de refugiados abecásios na Europa e Estados Unidos.

Classificação[editar | editar código-fonte]

O abecásio é uma língua caucasiana do noroeste, relacionada com as línguas caucasianas do nordeste, ambas do grupo das línguas norte-caucasianas. Alguns linguistas a consideram também como parte da macro-família "dene-caucasiana", o que é uma hipótese pouco aceita para a maioria dos especialistas. As norte e sul-caucasianas podem se enquadrar em um outro macro grupo, o das línguas íbero-caucasianas (ou simplesmente caucasianas).

O abecásio é às vezes agrupado com a língua abaza como se fosse uma só, formando a língua abecásio-abaza, como expoentes de uma gama de variações dialetais. Os dois idiomas são muito similares em gramática, mas diferem no som, o que as faz serem consideradas línguas distintas. Alguns linguistas também incluíram o extinto idioma ubykh como uma variante do abecázio-abaza.

Dialetos[editar | editar código-fonte]

  • Abzhywa, falado no Cáucaso, denominado a partir da região "Abzhywa" (Абжьыуа), ou Abzhui, a forma russa para esse dialeto, cuja nome assim vem do nome russo dessa área (Абжуа). A forma literária do abecásio é nesse dialeto. Este é também o dialeto com mais sons consoantes e com apenas dois sons vogais
  • Bzyb, falado no Cáucaso e Turquia. O nome vem da área "Bzyb" (бзыҧ).
  • Sadz, falado na Turquia e perto da cidade de Batumi (Adjaria, Georgia) na aldeia de Peria (ფერია), antes falado também entre os rios Bzyp e Khosta.

Escrita[editar | editar código-fonte]

Há registros da transcrição do abecásio em alfabeto árabe, localizada pelo viajante turco Evliya Çelebi no século XVII. A partir de 1862, o abecásio passou a ser escrito com um alfabeto próprio de 37 letras, adaptado do cirílico pelo lingüista barão Peter von Uslar. Em 1892 foi desenvolvida uma nova adaptação do alfabeto cirílico para a língua abecásia, por Dimitri Gulya e Konstantin Machavariani. Em 1909, Aleksey Chochua acrescentou 18 letras cirílicas.

Após a separação da Rússia, um alfabeto baseado no latino, com 55 letras, foi desenvolvido pelo linguista russo-georgiano Nikolai Marr e utilizado oficialmente de 1926 a 1928, sendo depois substituído por outra escrita latina. Em 1938, o ditador soviético Josef Stalin impôs o alfabeto georgiano, que foi usado na Abecásia até sua morte, em 1953. Contudo, o stalinismo reprimiu a literatura em língua abecásia.

Após 1954, a Abecásia voltou a utilizar o alfabeto cirílico convencional, acrescido de 14 letras adicionais (consoantes), o que somam 64 sinais (dos quais 19 são combinações de consoantes novas ou tradicionais).

Há estudos no sentido de prover uma forma do alfabeto latino para o abecásio.4

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Há apenas duas vogais no abecásio; uma aberta /a/ e outra fechada /ɨ, ǝ/. Estas duas vogais apresentam uma larga faixa alofônica, dependendo das consoantes: [i] e [e] junto a palatais, [u] e [o] junto a labiais, [y] e [ø] com lábio-palatais. /a/ tem uma variante longa /aː/, consequente dos antigos */ʕa/ ou */aʕ/, como em Abaza.

Consoantes[editar | editar código-fonte]


  Labial Alveolar Pós-alveolar Álveo-palatal Retroflexa Velar Uvular Faringal
Plana Labialização Plana Labialização Plana Labialização Palatalização Plana Labialização Palatalização Plana Labialização Faringalização Labialização + faringalização Plana Labialização
Oclusiva Surda p t k
Sonora b d ɡʲ ɡ ɡʷ
Ejetiva tʷʼ kʲʼ kʷʼ qʲʼ qʷʼ
Africada Surda ʦ ʧ ʨ ʨʷ ʈʂ
Sonora ʣ ʤ ʥ ʥʷ ɖʐ
Ejetiva ʦʼ ʧʼ ʨʼ ʨʷʼ ʈʂʼ
Fricativa Surda f s ʃ ʃʷ ɕ ɕʷ ʂ χʲ χ χʷ χˁ χˁʷ ħ ħʷ
Sonora v z ʒ ʒʷ ʑ ʑʷ ʐ ʁʲ ʁ ʁʷ
Nasal m n
Aproximante j ɥ w
Vibrante r
Lateral l

Fonemas em verde são dos dialetos bzyp e abecásio, não no Abzhywa; fonemas em vermelho são apenas do Bzyp. Assim o total de consoantes Abcaz é 58 em Abzhywa, 60 em Sadz, 67 em Bzyp. Em Sadz a geminação de consoantes é distintiva: /a.χʷa/ cinzas contrasta com /a.χːʷa/ verme. Já em Abzhywa e Bzyp, há somente a forma /a.χʷa/.

Muitos dos sons unificados do Sadz estão em posições onde uma consoante foi elidida do inicio de um encontro consonantal das línguas protocaucasianas, conf. do iiubique /tχʷa/ (cinzas). Estudiosos com Chirikba (2003) preferem considerar que Sadz tem 100 consoantes, sendo mais consoantes mesmo que o iiubique (80 a 84), ao considerar as geminações como consoantes a mais. Isso, porém, não é um critério usual para fazer um inventário de sons.

O total das consoantes bzyp parece tirado do total do proto-abecásio menos as consoantes de Abzhywa e Sadz. Álveo-palatais fricativas plenas foram aglutinadas com as correspondentes alveolares de Abzhywa e Sadz Abcaz (comparar Bzyp /a.ʨ’a.ra/ conhecer com. Abzhywa /a.ʦ’a.ra/); Em Abzhywa as Álveo-palatais bilabiais fricativas se juntaram às correspondentes post-alveolares (comparar Bzyp /a.ɕʷa.ra/ medir com. Abzhywa /a.ʃʷa.ra/).

As fricativas dorsais não faringalizadas do abecásio são percebidas tanto como velares ou uvulares, dependendo do contexto onde estão. Aqui foram consideradas como uvulares. Quando as aproximantes palatais labializadas /ɥ/ aqui consideradas como aproximantes, são um reflexo das fricativas faringais sonora labializadas preservadas em "Abaza". O legado da origem desse fonema é uma leve constrição da faringe de alguns falantes, resultando em [ɥˁ].

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Дарбанзаалак ауаюы дшоуп ихы дақъиҭны. Ауаа зегь зинлеи патулеи еийароуп. Урҭ ирымоуп ахшыюи аламыси, дара дарагь аешьеи реиҩш еизыйазароуп.4
Transliteração
Darbanzaalak auajuy dšoup ihy daķ'iţny. Auaa zeg' zinlei patulei eijaroup. Urţ irymoyp axšyjui alamysi, dara darag' aeš'ei reiòš eizyjazaroup.
Em português
Todos seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São providos de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros num espírito de fraternidade.

Referências

  1. Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, "Os gentílicos de Ossétia e Abecásia/Abecázia", Ana Carina Prokopyshyn, 16 de outubro de 2008.
  2. Almanaque Abril, 2009, verbete "Geórgia", p. 477. Editora Abril.
  3. a b Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, "Lista de idiomas", Peixoto da Fonseca, F. V., 23 de junho de 1998.
  4. a b Omniglot.com, Abcaz language

Ligações extérnas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.