Língua artificial zonal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Línguas artificiais zonais são línguas artificiais feitas para facilitar a comunicação entre falantes de um certo grupo linguístico ou de duas línguas semelhantes.

Muito comuns dentro deste grupo são as línguas pan-germânicas e pan-eslavas. Muitas destas foram criadas durante o período de revivência do nacionalismo, no fim do século XIX, algumas foram criadas mais tarde. Exemplos conhecidos são o Tutonish, um projeto pan-germânico de Elias Molee, em 1902, que foi intencionado para ser uma língua auxiliar primeiramente mas, eventualmente substitui todas as línguas germânicas; Universalspråket de K.G.F. Kejhser, em 1918, para os países escandinavos; Euronord de A.J. Pilgrim, em 1965, para o norte da Europa, e Mezduslavjanski jezik para os povos eslavos, de Ladislav Podmele, em 1958. Atualmente, muitas línguas artificiais zonais antigas são conhecidas apenas por especialistas. As línguas artificiais melhor conhecidas de data mais recente são Slovianski e Novosloviensky.

Aparte destes exemplos europeus, ali também tem tido adeptos em outros continentes - Afrihili de K. A. Kumi Attobrah, que foi criado para ser usado como uma língua franca em toda a África.

Um dialeto que naturalmente surge como um significado de comunicação da maioria dos falantes de dialetos de uma língua é conhecida como uma língua koiné.

Lista de línguas artificais zonais eslavas[editar | editar código-fonte]

Lista de línguas artificiais zonais germânicas[editar | editar código-fonte]

Lista de outras línguas artificiais zonais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • [/slovianski/constructed_slavic_languages.html Uma lista de línguas artificiais eslavas]
  • [/RNENGrammar.htm Romanova, um exemplo de língua artificial românica]