Língua auxiliar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma língua auxiliar internacional (por vezes abreviado como IAL ou língua auxiliar) ou interlíngua é uma língua destinada a comunicação entre pessoas de diferentes nações que não compartilham uma língua nativa comum. Uma língua auxiliar é essencialmente uma segunda língua.

Línguas de sociedades dominantes ao longo dos séculos têm servido como línguas auxiliares, às vezes se aproximando do nível internacional. Árabe, Inglês, Francês, Mandarim,[carece de fontes?] Russo e Espanhol têm sido utilizados como tal, nos últimos tempos, em muitas partes do mundo.[1] No entanto, como estas línguas são muito associadas com a dominação cultural, política e econômica, que fez popular, são muitas vezes também se reuniu com resistência. Por esta razão, alguns voltaram-se para a idéia de promover uma língua artificial ou construído como uma possível solução.[1]

O termo "auxiliar" implica que ela é planejada para ser uma língua adicional para os povos do mundo, em vez de substituir as línguas nativas. Freqüentemente, a expressão é utilizada para se referir a línguas artificiais propostas especificamente para facilitar a comunicação internacional em todo o mundo, tais como esperanto, ido e interlingua. Todavia, também pode se referir ao conceito de tal língua sendo determinada por consenso internacional, incluindo mesmo a escolha de uma língua natural. Aficcionados por línguas auxiliares as denominam também de auxlangs (auxliary languages em inglês).

História[editar | editar código-fonte]

Lista de línguas[editar | editar código-fonte]

A história dos mais notáveis ​​construídas línguas auxiliares estão resumidas nesta tabela:[2]

Nome da língua ISO Ano de
publicação/divulgação
Criador Comentários
Solresol 1827 François Sudre A famosa "língua musical"
Communicationssprache 1839 Joseph Schipfer Baseado no vocabulário Francês
Universalglot 1868 Jean Pirro Arguably the first fully developed IAL
Volapük vo, vol 1879–1880 Johann Martin Schleyer First to acquire a sizable international speaker community
Esperanto eo, epo 1887 L. L. Zamenhof By far the most popular constructed language.
Spokil 1887 or 1890 Adolph Nicolas An a priori language by a former Volapük advocate
Mundolinco 1888 J. Braakman The first esperantido
Bolak 1899 Léon Bollack Mixes a priori and a posteriori elements, from Romance and Germanic languages
Idiom Neutral 1902 Waldemar Rosenberger A naturalistic IAL by a former advocate of Volapük
Latino sine Flexione 1903 Giuseppe Peano "Latin without inflections," it replaced Idiom Neutral in 1908
Ido io, ido 1907 Unknown / Unclear The most successful offspring of Esperanto
Adjuvilo 1910 Claudius Colas An esperantido created to cause dissent among Idists
Occidental (aka Interlingue) Predefinição:Not a typo, ile 1922 Edgar de Wahl A sophisticated naturalistic IAL
Novial nov 1928 Otto Jespersen Another sophisticated naturalistic IAL
Sona 1935 Kenneth Searight Best known attempt at an unbiased vocabulary
Esperanto II 1937 René de Saussure Last of the classical esperantidos
Mondial 1940s Helge Heimer A naturalistic European language
Interglossa igs 1943 Lancelot Hogben A combination of isolating, quasi-pidgin grammar with a strong Greco-Latin vocabulary, later heavily modified to form the basis of Glosa
Blissymbols zbl 1949 Charles Bliss An ideographic writing system, with its own grammar and syntax.
Interlingua ia, ina 1951 Alexander Gode / IALA A large project to discover common European vocabulary.
Intal 1956 Erich Weferling A compromise solution to unite the most common international auxiliary languages in one system.
Frater 1957 Pham Xuan Thai Innovative blend of Greco-Latin roots and non-western grammar
Afrihili afh 1970 K. A. Kumi Attobrah a pan-African language
Kotava avk 1978 Staren Fetcey A sophisticated a priori IAL
Uropi 1986 Joël Landais Based on the common Indo-European roots and the common grammatical points of the IE languages
Lingua Franca Nova lfn 1998 C. George Boeree et al. A Romance vocabulary with a creole-like grammar
Modern Indo-European 2006 Carlos Quiles, María Teresa Batalla Based on reconstruction of the extinct Proto-Indo-European language
Kah kah 2006 Unknown Oligosynthetic, analytic and a priori language designed to be easy to learn and pronounce
Sambahsa-Mundialect 2007 Olivier Simon Mixture of simplified reconstructed Proto-Indo-European language and worldlangs


Ver também[editar | editar código-fonte]

Consulte a Lista de línguas artificiais para uma lista de línguas auxiliares artificiais ou Línguas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Bodmer, Frederick. The loom of language and Pei, Mario. One language for the world.
  2. All entries up to and including Frater are referenced in Mario Pei's One language for the world (1958)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SUDRE, François. Langue musicale universelle inventée par François Sudre également inventeur de la téléphonie. G. Flaxland, Editeur, 4, place de la Madeleine, Paris (França), 1866.
  • PIRRO, Jean, e L. A.. Versuch einer Universalischen Sprache. Guerin und Cie., Bar-Le-Duc (França), 1868.
  • MAINZER, Prof. Ludwig, Karlsruhe. Linguo international di la Delegitaro (Sistemo Ido.), Vollständiges Lehrbuch der Internationalen Sprache (Reform-Esperanto). Otto Nemmich Verlag, Leipzig (Alemanha), 1909.
  • DE WAHL, Edgar. Radicarium directiv del lingue international (Occidental) in 8 lingues. A.-S. "Ühisell" Trükk. Pikk Uul. 42, Tallinn, 1925.
  • GÄR, Joseph. Deutsch-Occidental Wörterbuch nach dem Kürschners "Sechs-Sprachen-Lexicon, mit kurzer Occidental-Grammatik. Kosmoglott, Reval, Estland, 1925/1928.
  • PIGAL, E. e Hauptstelle der Occidental-Union in Mauern bei Wien. OCCIDENTAL, Die Weltsprache, Einführung samt Lehrkursus, Lesestücken, Häufigkeitswörterverzeichnis u. a., Franckh'sche Verlagshandlung, Stuttgart, 1930.
  • GODE, Alexander, et al. Interlingua-English: a dictionary of the international language. Storm Publishers, Nova York, 1951.
  • Pham Xuan Thai. Frater (Lingua sistemfrater). The simplest International Language Ever Constructed. TU-HAI Publishing-House, Saigon (República do Vietnã), 1957.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]