Língua bench

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bench (bentʂnon)
Falado em: Etiópia
Região: Zona de Bench Maji - SNNPR
Total de falantes: 347.636 do dialeto Bench.; 8,159 do Mer; 492 do She [1]
Família: Afro-Asiática
 Omótica
  Norte
   Gonga-Gimojana
    Gimojana
     Ometo-Gimira
      Gimira
       Bench
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

Bench (também chamada Gimira, considerado um termo depreciativo) ú uma língua Omótica Norte do subgrupo "Gimojan", falada por cerca de 174 mil pessoas (dados 1998) na Zona de Bench Maji - SNNPR, no sul da Etiópia, nas proximidades das cidades de Mizan Teferi e Shewa Gimira. Tem três dialetos mutuamente inteligíveis: Bench próprio, She, Mer.[2] De forma incomum às linguagens da África, tem fonemas do tipo consoante retroflexa.[3] TA língua é também notável por ter seis tons fonêmicas, uma das pouquíssimas línguas do mundo com tantos tons. [4]

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua Bench usa hoje o alfabeto latino; são as 5 vogais A, e, i, O, U; Entre as consoantes não há F J Q V W X; D somente aparece no grupo Dy. São 45 representações para sons consoantes: São 11 com consoantes simples, mais o carácter “?”, 8 para consoantes com diacríticos e 20 para grupos de duas consoantes.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Os fonemasvogais do Bench são /i e a o u/

São seis os tons : cinco níveis de tom, 1 a 5 (1 é o mais baixo) e um tom decrescente – 23 /˨˧/. O to mais alto é muitas vezes percebido como alto crescente 45 [˦˥].[5] Sobre a vogal o, são /ő ó ō ò ȍ ǒ/ As consoantes são:

Bilabial Coronal Palato-
alveolar
Retroflexa Velar Glotal
Nasal m n
Plosiva Surda p t k ʔ
Sonora b d ɡ
Ejetiva
Africada Surda ts
Ejetiva tsʼ tʃʼ tʂʼ
Fricativa Surda s ʃ ʂ h
Sonora z ʒ ʐ
Rótica r
Aproximante l j

Todas essas consoantes podem se apresentar palatizadas, porém, somente antes de /a/, sugerindo uma análise alternativa de um sistema com a sexta vogal /ja/. Consoantes labializadas são registradas por p, b, s, ɡ, e ʔ, mas suas situações fonêmicas não são claras; só ocorrem depois de /i/. Para o fonema /p/ as percepções de [pʰ] e [f] são de variação livre; /j/ tem o alofone [w] quando diante de vogais posteriores.

A estrutura silábica é (C)V(C)(C)(C) + tom (C) N (C), onde C representa qualquer consoante , V qualquer vogal, N qualquer nasal e “entre parênteses” um elemento opcional. Grupos CC formam um continuante seguido por uma Plosiva, Fricativa ou Africada; nos grupos CCC, a prima deve ser uma das /r/ /j/ /m/ /p/ ou /pʼ/, a segunda pode ser /n/ ou uma Fricativa surda; a terceira deve ser /t/ ou /k/.

Gramática[editar | editar código-fonte]

Substantivos[editar | editar código-fonte]

Os plurais podem opcionalmente ser formados pela adição do sufixo -n̄d; porém, isso não é quase usado, exceto para substantivos definidos. Ex.: wű īnɡn̄d "parentes dela"; ātsn̄dī bá ka̋nɡ "todas as pessoas".

Pronomes[editar | editar código-fonte]

Pronomes pessoais[editar | editar código-fonte]

Português Oblíquo Sujeito Locativo Vocativo
I tān tȁtʼn̄
tu, você (sg.) nēn nȉtʼn̄ wȍ (m.), hȁ (f.)
o Sr., a Sra. jìnt jìnt jìnt
ele jı̋ jīs _
ele (honor.) ı̋ts ı̋ts ı̋ts
ela wūs _
ele (honor.) ɡēn ɡēn ɡēn
ela/ela próprio (refl) bān bȁtʼn̄
nós (excl.) nūn nȕtʼn̄
nós (incl.) nı̋ nīn nȉtʼn̄
vós, vocês (pl.) jìntȁjkʼn̄ jìntȁjkʼn̄ jìntȁjkʼn̄
eles (as) ı̋tsȁjkʼn̄ ı̋tsȁjkʼn̄ ı̋tsȁjkʼn̄

vai um pouco além de um pronome reflexivo; onde também marcar qualquer 3ª pessoa que se refira ao sujeito de uma frase. Ex.: e.g.:

jȉsī dōr ɡȍtùē
Ele S próprio(a) ovelha vender.ele.Pass.perf
"Ele vendeu sua (própria) ovelha"
bȍdám hānkʼá bājístāɡùʂn̄ pāntsʼà ěz
estrada.Ablativo vai,o próprio subst.masc.quando leopardo Subst. grande Ver.ele. Pass.perf.
"Ele estava indo pela estrada, quando (ele) viu um grande leopardo"

A forma oblíqua é básica e serve como objeto, como possessivo ou advérbio. A forma sujeito tem três variantes: normal (vista acima), enfática – usada quando o objeto é especialmente proeminente na frase, principalmente quando no início da frase, ficando reduzido como parte de uma sentença verbal. O termo "locativo" implica "em, na direção de, ou para (objetivo) casa ou localização própria", Ex.:

kȁrtá tȁtʼn̄ hānkʼùē
retorno para minha casa eu Passado perf.
"Eu fui para casa"

Determinativos[editar | editar código-fonte]

Os principais determinativos são "aquele (a, es, as), o (a, os, as)" (masc. ùʂ, fem. èn, pl. ènd) e "este (a, es, as), esse (a, es, as)" (masc. hàʂ, fem. hàn, pl. hànd). Como sufixos num verbo ou numa sentença ablativa ou locativa, indicam uma cláusula relativa. Ex.:

ātsn̄dà hàndīs hǎrám bād átsn̄dȁ?
pessoa.plural.subst. esses.objeto o que.Caso ablativo separar fazer.tempo futuro.interrogação?
"Como eu posso separar essas pessoas?"
átsín kétn̋ jískèn
mulher casa.locativo essa.estar

"A mulher (essa) está na casa"

Demonstrativos[editar | editar código-fonte]

Os demonstrativos incluem hánɡ "aqui", ēk "ali", jìnk "lá (longe)", nēɡ "ali (próximo)", nèk "lá (próximo)". Isolada, ou com sufixo determinativo ùʂ ou àʂ adicionado, essa função com pronomes determinativos "esta pessoa", "aquela pessoa", etc. Com marcador de sentença nominal , se tornam adjetivos demonstrativos. Ex.:

hànɡ nás dȁdn̄ àtāɡùʂn̄
aqui homem próximo atingir,chegar.”estativo”;Determinativo.Quando.
"Quando ele chegou próximo ao homem..."
njāʔà nēɡà hàndī
menino;Subst.Plural ali adiante Determinativo.S
"Aqueles meninos lá"

Números[editar | editar código-fonte]

Os numeros são:

1 mātʼ
2 nám
3 káz
4 ód
5 ùtʂ
6 sàpm̄
7 nàpm̄
8 nyàrtn̄
9 ìrstn̄
10 ta̋m
100 bǎl
1000 wňm

20, 30, etc. são formados pela adição de tàm "dez" (sem mudança de tom) à unidade. Em números compostos, é adicionada a cada cifra, assim:

13 ta̋má kázá
236 nám bǎlá kāztàmá sàpm̄á

Quando um número cardinal funciona com adjetivo, o sufixo -ās pode ser adicionado (egx' njāʔà kázās "três crianças".) Um número ordinal são formados pelo sufixo -nás adicionado ao cardinal, Ex.: ódnás "quarto".

Adjetivo[editar | editar código-fonte]

Os adjetivos são por vezes intensificados mudando o tom normal para um acima. Ex.: ěz "grande" → e̋z "muito grande".

Verbos[editar | editar código-fonte]

Verbos com raízes monossilábicas podem apresentar três formas diferentes para suas bases ativas: Imperativo singular, que é tão somente a raiz; a raiz do tempo passado, geralmente igual à anterior, adicionando-se por vezes um -k (com mudanças na consoante anterior). ; a raiz do tempo futuro, quase sempre idêntica à básica acima, mas por vezes mudando o tom de 3 para 4 ou de 1 para 5. Alguns apresentam formas Causativa (formada pela adição de -ās ou -̏s, e ainda mudando tom de médio para alto) e Passiva (adicionando -n̄, -t, ou -̏k à anterior forma causativa); Verbos nominais são formados pela raiz base, com variação por vezes do tom ou adicionando -t.

Verbos de raízes polissilábicas apresentam pelo menos duas formas, uma com significado de voz passiva e outra que indica oração transitiva ou causativa. As terminações anteriores terminam em -n̄, ou ainda em -ās. A voz passive pode ser formada pelo final -āsn̄ adicionada. Verbos nominais são formados tomando-se a raiz pura sem -n̄ ou -ās.

Verbos compostos são formados como màk "dizer" ou màs "causa dizer", uma formação freqüente em línguas Etíopes. Os tempos primários são:

  • Passado simples (com a raiz do passado)
  • Futuro (raiz do futuro mais {IPA|-n̄s-}})
  • Presente perfeito (com raiz do particípio presente)
  • Negativo (raiz future mais -árɡ-.)

Exemplos: hāmhānkʼùē "ele foi"; hámsm̄sùē "ele irá"; hānkʼńsùē "ele tinha ido".

  • passado (com a raiz do passado)
  • passado perfeito (raiz do passado mais o sufixo -ńs-, -ńɡ, ou -ánkʼ-)
  • passado imperfeito (raiz do futuro com o sufixo estativo -āɡ-)
  • negativo (raiz do future com sufixo negativo -árɡ- ou -ù- ou um marcador de pessoa/ número gramatical)

A sequência dos afixos é : Raiz-Tempo-Negativo-Foc. pn.-Marcasdor pessoa/número.

Ortografia e literatura[editar | editar código-fonte]

O Novo testamento foi publicado em língua Bench, usando a ortografia com base no silabário Etíope (da língua amárica). Os tons não são indicados e as retroflexas são indicadas por técnicas tais como o uso de símbolos adicionais do silabário ("nigus s") e formação de novos símbolos (como a adição de um novo “braço” no lado esquerdo do T).

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Ethiopia 2007 Census
  2. Raymond G. Gordon, Jr, ed. 2005. "Bench", Ethnologue: Languages of the World. 15th edition. Dallas: Summer Institute of Linguistics.
  3. Breeze 1988.
  4. Wedekind 1983, 1985a, 1985b.
  5. Obs: essa numeração de tons é da convenção da Ásia oriental, diversa daquela das línguas africanas onde 1 é o mais alto e 5 o mais baixo. A dúvida é aqui esclarecida pelo uso de diacríticos IPA.

Referências[editar | editar código-fonte]

Em inglês

  • Breeze, Mary J. 1986. "Personal pronouns in Gimira (Benchnon)."‭ In Ursula Wiesemann (ed.), Pronominal systems, 47-69. Tübingen: Gunter Narr.
  • Breeze, Mary. 1988. "Phonological features of Gimira and Dizi."‭ In Marianne Bechhaus-Gerst and Fritz Serzisko (eds.), Cushitic - Omotic: papers from the International Symposium on Cushitic and Omotic languages, Cologne, January 6-9, 1986, 473-487. Hamburg: Helmut Buske Verlag.
  • Mary J. Breeze. 1990. "A Sketch of the Phonology and Grammar of Gimira (Benchnon)". In Richard J. Hayward (ed.), Omotic Language Studies, 1-67. London: School of Oriental and African Studies, University of London.
  • Rapold, Christian. 2006. Towards a grammar of Benchnon. PhD thesis, University of Leiden.
  • Wedekind, Klaus. 1983. "A six-tone language in Ethiopia: Tonal analysis of Benč non (Gimira)."‭ Journal of Ethiopian Studies 16: 129-56.
  • Wedekind, Klaus. 1985a. "Why Bench’ (Ethiopia) has five level tones today."‭ In Ursula Pieper and Gerhard Stickel (eds.), Studia linguistica diachronica et synchronica, 881-901. Berlin: Mouton.
  • Wedekind, Klaus. 1985b. "Thoughts when drawing a map of tone languages."‭ Afrikanistische Arbeitspapiere 1: 105-24.
  • Wedekind, Klaus. 1990. "Gimo-Jan or Ben-Yem-Om: Benč - Yemsa phonemes, tones, and words."‭ In Richard J. Hayward (ed.), Omotic language studies p. 68-184. London: School of Oriental and African Studies, University of London.

Referências externas[editar | editar código-fonte]