Língua karuk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karuk
Falado em: Noroeste da Califórnia
 Estados Unidos
Total de falantes: 10 (1997), 55 (2000)
Família: Isolada
 Karuk
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: nai
ISO 639-3: kyh

Karuk ou Karok é uma língua ameaçada de extinção do litoral noroeste da Califórnia, Estados Unidos. Foi a língua tradicional dos Karuks, a maioria dos quais fala hoje o Inglês. William Bright documentou essa língua e produziu uma gramática em 1957, ao que se seguiu em revitalização da mesma. Conforme o Censo de 2000, há 55 pessoas entre 5 e 17 anos na época que falavam Karuk, dentre eles 10 eram limitados em Inglês.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Karuk é uma lingua isolada que compartilha poucas características, se realmente houver, com outras línguas das vizinhanças. O grande linguísta norte-americano Edward Sapir propôs que a mesma fosse classificada como uma das Línguas hocanas, sem, porém, haver fortes evidências disso.[1] Como escreveu Bright, "A língua Karok não é óbvia ou proximamente relacionada a nenhuma (da area), mas foi classificada como membro do grupo norte das Hocanas, num sub-grupo que incluíria as línguas Chimariko e Shasta languages, falas na mesma localização geral do Karok na Califórnia;[2]

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua Karuk usa o alfabeto latino ensinado por missionários. Não se usam as letras B, D, G, J, L, Q, V, Z, mas usam-se š, č, θ

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Frontal Central Posterior
curta longa curta longa curta longa
Fechada i u
Média
Aberta a

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Bilabial Labio-
dental
Dental Alveolar Palatal ou
Postalveolar
Velar Glotal
Nasal m n
Oclusiva p t t͡ʃ k ʔ
Fricativa β f θ s (ʃ) x h
Vibr. Simples ɾ
Aproximante j

Gramàtica[editar | editar código-fonte]

Karuk é uma Língua polissintética conhecida por seu modo de arranjar informaç: …falantes experientes de Karuk usam palavras separadas (sem aglutinar) quando comunicam os detalhes novos ou a serem salientados; e usam o sistemas de afixos para detalhes secundários, para não desviar a atenção de quem ouve."[3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Drucker, Philip. Cultures of the North Pacific Coast. San Francisco: Chandler, 1965.

Notas e referências

  1. Campbell, Lyle. 2000. American Indian languages: The historical linguistics of Native America. Oxford Studies in Anthropological Linguistics. USA: Oxford University Press.
  2. Bright, William. The Karok Language. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 1957.
  3. Silver, Shirley & Miller, Wick R., "American Indian Languages: Cultural and Social Contexts" (1997, University of Arizona Press, Tucson, pg. 41)

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]