Língua livoniana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Livônio (līvõ kēļ)
Outros nomes: Livôniano
Falado em: Letônia
Região: Livônia
Total de falantes: < 150
Família: Urálica
 Fino-úgrica
  Fino-báltica
   Livônio
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: fiu
ISO 639-3: liv


A língua livoniana (līvõ kēļ) pertence ao ramo finês das línguas fino-úgricas. É uma língua moribunda que atualmente conta com apenas 35 falantes, das quais apenas 10 são fluentes.[1] Está relacionada ao finlandês, falada no outro lado do Golfo da Finlândia, e (mais intimamente) ao estoniano. A terra natal dos livônios é a Livônia, localizada na Letônia, ao norte da península curlândica. Algumas pessoas de origem livônia têm aprendido a língua com o propósito de revivê-la, mas, como formam um grupo pequeno, as chances de êxito são limitadas.

O alfabeto livônio é um híbrido da ortografia letã e estoniana.

Alfabeto livônio:

A/a, Ā/ā(garais a/a longo), Ä/ä(platais a/a extenso), Ǟ/ǟ(platais, garais a/wide,a longo), B/b, D/d, Ḑ/ḑ(mīkstais d/d suave), E/e, Ē/ē(garais e/e longo), F/f, G/g, H/h, I/i, Ī/ī(garais i/i longo), J/j, K/k, L/l, Ļ/ļ(mīkstais l/l suave), M/m, N/n, Ņ/ņ(mīkstais n/n suave), O/o, Ō/ō(garais o/o longo), Ȯ/ȯ(o ar punktiņu/o com um ponto), Ȱ/ȱ(o ar punktiņu un garumzīmi/o com um ponto e um sinal alongador), Õ/õ(o ar vilnīti/o com um til), Ȭ/ȭ(o ar vilnīti un garumzīmi/o com til e sinal alongador), P/p, R/r, Ŗ/ŗ(mīkstinātais r/r suavizado), S/s, Š/š, T/t, Ț/ț(mīkstais t/t suave), U/u, Ū/ū(garais u/u longo), V/v, Z/z, Ž/ž

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

O livônio possui 8 vogais:

Frontal Central Anterior
Fechada i /i/ õ /ɨ/ u /u/
Semi fechada ȯ /ʊ/
Média e /ɛ/ [ə]1 o /o/
Aberta ä /æ/ a /ɑ/
  1. /ɨ/ atônica é escrita como [ə].

Todas as vogais podem ser longas ou curtas. Vogais curtas são escritas tal como indicado na tabela; vogais longas são escritas com um macron ("¯") adicional sobre a letra, então, por exemplo, [æː] = ǟ. O sistema vocálico do livônio é notável por possuir um stød similar ao dinamarquês. Como em outras línguas com essa característica, acredita-se que isso seja um vestígio de um antigo pitch.

Consoantes[editar | editar código-fonte]

O livônio possui 23 consoantes:

Labial Dental Palatal Velar Glotal
Nasal m /m/ n /n/ ņ /ɲ/ [ŋ]1
Plosiva muda p /p/ t /t̪/ ț /c/ k /k/
expressa b /b/ d /d̪/ /ɟ/ g /ɡ/
Fricativa muda f /f/ s /s/ š /ʃ/ h /h/
expressa v /v/ z /z/ ž /ʒ/
Trill r /r/ ŗ /rʲ/
Aproximante Central j /j/
Lateral l /l/ ļ /ʎ/

/n/ aparece como [ŋ] precedido por /k/ ou /ɡ/.

Gramática[editar | editar código-fonte]

Pronomes[editar | editar código-fonte]

Pronomes pessoais[editar | editar código-fonte]

Singular
Primeira pessoa ("Eu") Segunda pessoa ("Você") Terceira pessoa ("Ele" ou "Ela")
Nominativo mina/ma sina/sa täma/ta
Genitivo mīn sīn täm
Dativo minnõn sinnõn tämmõn
Translativo minkõks sinkõks tämkõks
Partitivo mīnda sīnda tǟnda
Inessivo mins/minšõ sins/sinšõ täms/tamšõ
Elativo minst/minstõ sinst/sinstõ tämst/tämstõ
Ilativo minnõ sinnõ tämmõ
Plural
Primeira pessoa ("Nós") Segunda pessoa ("Você") Third Person ("They")
Nominativo mēg tēg ne
Genitivo mäd täd nänt
Dativo mäddõn täddõn näntõn
Translativo mätkõks tätkõks näntkõks
Partitivo mēḑi tēḑi nēḑi
Inessivo mēšši tẽšši nēšši
Elativo mēšti tēšti nēšti
Ilativo mēži tēži nēži

Nota: Os pronomes da terceira pessoa não possuem gênero no singular nem no plural.

Pronomes demonstrativos[editar | editar código-fonte]

Singular
("esse, este")
Plural
("esses, estes")
Nominativo sīe/se ne
Genitivo sīe/se nänt
Dativo sīen näntõn
Translativo sīeks/sīekõks näntkõks
Partitivo sīeda nēḑi
Inessivo sīes/sīessõ nẽšši
Elativo sīest/sīestõ nēšti
Ilativo sīezõ nēži

Nota: O plural demonstrativo ocorre na mesma forma que na terceira pessoa do plural.

Pronomes reflexivos[editar | editar código-fonte]

Singular
("mim mesmo, você mesmo, si mesmo")
Plural
("nós mesmos, vocês mesmos, si mesmos")
Nominativo
Genitivo eņtš eņtš
Dativo eņtšõn eņtšõn
Translativo eņtšõks eņtšōdõks
Partitvo eņtšta eņtšidi
Inessivo eņtšõs eņtšis
Elativo eņtšõst eņtšist
Ilativo eņtšõ(z) eņtšiz

Nota: O uso do pronome reflexivo é extensivo. É claro, é usado como pronome reflexivo em "minnõn eņtšõn um vajag...," significando "Eu preciso..." [lit: A mim é necessário...]. No entanto, o pronome pode também representar uma possessão; o pronome frequentemente substitui as formas genitivas do pronome pessoal. Por exemplo: "ma sīeda kūliz eņtš izast," ou "Eu ouvi isso de meu pai." Também, pronomes reflexivos podem ser usados em expressões adverbiais: "täm eņtš ie," "essa mesma noite."

História[editar | editar código-fonte]

No século XVX, aproximadamente 2 000 pessoas ainda falavam o livônio; em 1852, o número de livônios era de 2 394 (Ariste 1981: 78). Vários eventos históricos quase transformaram o livônio em uma língua morta.

  • No século 13, os falantes do livônio contabilizavam 30 000 (Schätzung Vääri, 1966).
  • A invasão alemã: por volta do ano 1200, a Ordem dos Irmãos Livônios da Espada e a Ordem teutônica conquistaram a Livônia, levando à contenção das leis da área entre essas ordens e o Arquibispado de Riga.
  • 1522: Com a introdução da Reforma Protestante, a Curlândia foi anexada à Dinamarca.
  • 1557: A invasão russa.
  • 1558-1583: Guerra livônia. Russos, suecos, dinamarqueses, lituanos e poloneses lutaram na região.
  • 1721: O tratado de Nystad. A Livônia e a Curlândia se tornam parte da Rússia tzarista.
  • 1918: A fundação da Letônia; a língua livoniana floresceu novamente.
  • II Guerra Mundial e União Soviética - Marginalização da Livônia

Contatos linguísticos entre livônios e estonianos[editar | editar código-fonte]

O livônio têm sido - por séculos - pesadamente influenciado pelo letão na gramática, fonologia, vocabulário etc. Vale lembrar que, no final do século 19 havia um contato contínuo com os estonianos, principalmente, entre pescadores livonianos de Kurzeme marinheiros estonianos de Saaremaa e outras ilhas. Muitos habitantes das ilhas da Estônia ocidental vão para as vilas de Kurzeme no verão. Como resultado, o conhecimento do estoniano se popularizou entre os livonianos e palavras do estoniano também entraram no léxico do livônio. (Ariste 1981: 79)

Frases comuns[editar | editar código-fonte]

  • Olá! – Tēriņtš!
  • Bom apetite! - Jõvvõ sīemnaigõ!
  • Bom dia (manhã)! - Jõvā ūomõg! / Jõvvõ ūomõgt!
  • Bom dia! - Jõvā pǟva! / Jõvvõ päuvõ!
  • Obrigado! - Tienū!
  • Feliz ano novo! - Vȯndzist Ūdāigastõ!
  • morte - kȭlmä
  • um – ikš
  • dois – kakš
  • três – kuolm
  • quatro – nēļa
  • cinco – vīž
  • seis – kūž
  • sete – seis
  • oito – kōdõks
  • nove – īdõks
  • dez – kim

Amostras de texto[editar | editar código-fonte]

Min izāmō[editar | editar código-fonte]

Parte do Hino Nacional dos Livonianos, Min izāmō (minha pátria)

Min izāmō, min sindimō,

ūod ārmaz rānda sa,

kus rāndanaigās kazābõd

vel vanād, vizād piedāgõd.

Min ārmaz īlmas ūod set sa,

min tõurõz izāmō!


Mustā plagā valsõ[editar | editar código-fonte]

Kubbõ āt tuļ immõr satunnõd mingizt.
Mustā lupāt um vȯrd tutkām jūs.
Nǟlgalizt nīelõb min mȯistõmõt rõkūd
Sigžtūļ käds ikš dadžā ja ūgõb.
Mitikš äb tō ku sa kēratõkst pǟgiñ:
Um jõvīst, až sāina pǟl kēratõd "A".
Võid stalažod arrõ, až sainõ äb sȭita -
Ma vāgiž set kītõb, ku jõvīst tīed sa
Ja tikkiž ja tegīž um lagtõd sin tōmi
Sīest, mis sinnõn tīemõst ja mis sinā võid.
Až suggõbõd suodād ja revolūtsijõd,
Siz nustām sīes pāikal. Pǟdõ ka mēg.
Až nai ikškõrd vāldiž ka mäddõn tīeb sillõ.
Īezõ palābõd sīlmad, kus pīegiļtiz irm.
Siz grumā touvõd mäd' āndabõd villõ
Ja kõzzist pīkstõbõd pimdõd joud.
Ni īdskubs himnõ mēg lōlam īe pierrõ,
Sīest mēi ta kāitsõb ja sīnda ka tōks.
Sīest lōlam mēg: "Julgizt ni, veļīd, tīe jūrõ!"
Täuds sidāms oppõrmīel põrāndõks.
Leb Valst āigastsadā võilõb se kāngaz,
Mustā ku loptõmõt mōīlmarūim.
Kuñš īebõd pandõkst, kūoõd ja kuodād,
Täddõn nagrõs muidlõb kūolõn pǟlū.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fanny de Siviers. 2000. Parlons Live: une langue de la Baltique. Paris: L'Harmattan. ISBN 2-7475-1337-8.
  • Paul Ariste 1981. Keelekontaktid. Tallinn: Valgus. [pt. 2.6. Kolme läänemere keele hääbumine lk. 76 - 82]
  • Lauri Kettunen. 1999. Livisches Wörterbuch : mit grammatischer Einleitung. Helsinki: Finno-Ugrian Society.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. ed. György Nanovfszky: Nyelvrokonaink. Budapest, 2000.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]