Língua mandinga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mandinga (Mandinka)
Falado em: Senegal, Gâmbia, Guiné-Bissau
Total de falantes: cerca de 1.200.000
Família: Nigero-congolesa
 [1] Atlântico-Congo
  Mandê
   Ocidental
    Sudoeste
     Mandinga
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

O mandinga (mandinka) é uma língua africana do grupo mandê dentro da família linguística do Niger-Congo. Falam-na 1,2 milhões de pessoas no Senegal, Gambia (onde é a língua principal), e Guiné-Bissau. Se assemelha muito à língua bambara.

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Algumas palavras mandinga são emprestadas do inglês como por exemplo bukoo (de book, livro) ou tabuloo (table, mesa). Diretamente do árabe deriva a saudação mandinga: Salaamalekum (a paz esteja contigo) e muitas outras palavras de cunho religioso pois o Islã é maioritário nesta etnia.

Ortografia[editar | editar código-fonte]

Escrita[editar | editar código-fonte]

  • Atualmente o alfabeto latino é o oficial apesar de também ser utilizado o alfabeto árabe que é o tradicional. *Algumas vezes utiliza-se o alfabeto N’ko inventado o 1949 para ser usado em todas as línguas Mandê. Também se usa a pan-Mandê. Essas escritas são mais usadas no nordeste da Guiné e nas comunidades das fronteiras com Mali e Costa do Marfim.
  • As vogais são as de abertura simples a,e,i,o,u que podem ser longas e então se escrevem repetidas, por exemplo:

Baabaa (papa) ou Teerimaa (amigo). Algumas palavras mudam de significado dependendo se pronunciam-se com vogal longa ou curta. *Não se usam as consoantes V,X,Z,Q e G. A letra c pronuncia-se como "tch" em português. A letra especial ŋ pronuncia-se como "ng" e o ñ como "nh".

  • As vogais são pronunciadas como nas línguas italiana e espanhola e são duplicadas para identificar que são longas, visando distinguir palavras com sons diferentes.
  • Na escrita árabe não há letras adicionais (exceto, em casos raros, de uma marca vogal extra para e), mas algumas letras são pronunciadas de forma diferente da língua árabe.

Letras[editar | editar código-fonte]

As consoantes Latinas e Árabes se apresentam a seguir:

Árabe ا ع ب ت ط ض ج ه ح خ د ر س ش ص ث ظ ڢ ل م ن و ي ك لا
Latinas ('), aa, ee (', with madda ŋ) b, p t t t c, j h h d r s s (sh) s s s f l m n, ñ, ŋ w y k, g la

Letras em itálico geralmente não são usadas em palavras mandingas. ه (h) pode ser também usada para representar oclusiva glotal final, sem notação na escrita latina. A letra ŋ da escrita latina é frequentemente indicada com sinais vogais na escrita árabe – ver a seguir.

As vogais se veem a seguir (diacríticos são colocados acima ou sob a consoante Árabe):

Árabe ـَ ـِ ـُ ـْ ـִ ـً ـٍ ـٌ ـَا ـِي ـُو
Latina a, e i, e, ee o, u (sem vogal a seguir) e aŋ, eŋ iŋ, eeŋ, eŋ oŋ, uŋ aa ii oo, uu
nomes Mandinga para as marcas em Árabes: sira tilidiŋo; sira tilidiŋo duuma; ŋoo biriŋo; sira murumuruliŋo; tambi baa duuma; sira tilindiŋo fula; sira tilindiŋo duuma fula; ŋoo biriŋo fula.

Além disso, um pequeno Nº 2 Árabe (۲) pode ser usado para indicar reduplicação, e o hamza pode ser usado como em Árabe para indicar mais precisamente oclusivas glotais.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Derivado da classificação de Etnhologue

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • R. T. Addis, A Study on the Writing of Mandinka in Arabic script, 1963.
  • Dramé, Man Lafi, Parlons Mandinka, L'Harmattan 2003 (in French)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências