Língua osca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Osco
Falado em: Itália central
Total de falantes:
Família: Indo-europeia
 Itálica
  Osco-úmbrico
   Osco
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ine
ISO 639-3: xum
Distribuição aproximada dos idiomas falados na Itália durante a Idade do Ferro, no século VI a.C.. O osco está em cinza-escuro

A língua osca, idioma dos oscos, é um ramo sabélico das línguas itálicas, que, por sua vez, é uma família pertencente ao indo-europeu e inclui o umbro, o latim e o falisco. Era falada em Sâmnio e em Campânia, assim como na Lucânia e em Abruzzo. Conhece-se o osco por inscrições datadas do século V a.C.. As inscrições oscas mais importantes são a Tábua Bantina e o Cippus Abellanus. O osco foi escrito não só nos alfabetos latino e grego, como também numa variedade do alfabeto etrusco.

Dialetos do osco incluem o samnita, o marrucino, o peligno, o vestino, o sabino e o marsigno.

O osco tinha muito em comum com o latim, apesar de haver também muitas diferenças pungentes. Muitos grupos de palavras latinas de natureza comum não eram encontrados no osco, sendo representados de maneiras inteiramente diferentes. Por exemplo, os vocábulos latinos volo, velle, volui, assim como outras formas proto-indo-europeias da raiz *wel ("desejar", "querer"), eram representadas por palavras derivadas de *gher ("desejar"): vide osco herest (ele/a quer, deseja) em contraste com a forma latina vult (de significado idêntico). A forma latina locus (local) não se encontrava no osco, sendo representada por slaagid (lugar).

Também na fonologia o osco mostrava diferenças do latim: 'p' no lugar do latim 'qu' (osco piss, latim quis); 'b' no lugar do latim 'v'; 'f' medial em contraste com latim 'b' ou 'd' (osco mefiai, latim mediae).

Considerado como o mais conservador de todas as línguas itálicas conhecidas, o idioma osco encontra rival apenas na língua grega no que diz respeito a herdar uma retenção do sistema vocálico com ditongos simplesmente intactos.

Exemplo de texto osco (Cippus Abellanus)[editar | editar código-fonte]

ekkum[svaí píd herieset
trííbarak[avúm tereí púd
liímítú[m] pernúm [púís
herekleís fíísnú mefi[ú
íst, ehtrad feíhúss pú[s
herekleís fíísnam amfr
et, pert víam pússtíst
paí íp íst, pústin slagím
senateís suveís tangi
núd tríbarakavúm lí
kítud. íním íúk tríba
rakkiuf pam núvlanús
tríbarakattuset íúk trí
barakkiuf íním úíttiuf
abellanúm estud. avt
púst feíhúís pús físnam am
fret, eíseí tereí nep abel
lanús nep núvlanús pídum
tríbarakattíns. avt the
savrúm púd eseí tereí íst,
pún patensíns, múíníkad ta[n
ginúd patensíns, íním píd e[íseí
thesavreí púkkapíd ee[stit
a]íttíúm alttram alttr[ús
h]erríns. avt anter slagím
a]bellanam íním núvlanam
s]úllad víú uruvú íst . edú
e]ísaí víaí mefiaí teremen
n]iú staíet.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]