Língua valenciana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catalão / Valenciano (Català / Valencià)
Falado em: Andorra

Espanha (Catalunha, Comunidade Autônoma de Valência, Aragão (Faixa de Aragão), Múrcia (região de El Carxe) e Ilhas Baleares),

França (Catalunha do Norte),

Itália (cidade de Algueiro)
Região: Europa
Total de falantes: mais de 9,5 milhões
Posição: 889.118.882[1]
Família: Indo-Europeu
 Itálico
  Românico
   Italo-Ocidental
    Galo-Ibérico
     Catalão / Valenciano
Estatuto oficial
Língua oficial de: Andorra.
Co-oficial em Catalunha, Comunidade Autônoma de Valência e Ilhas Baleares
Regulado por: Instituto de Estudos Catalães
Academia Valenciana da Língua
Códigos de língua
ISO 639-1: ca
ISO 639-2: cat
ISO 639-3: cat
Domínio geolinguístico do catalão/valenciano

O valenciano ou [2] língua valenciana [3] (valencià ou llengua valenciana em valenciano) é o glossónimo usado na Comunidade Valenciana para se referir à língua catalã.[2] [4] [5] [6] [7] É considerada como língua própria segundo o seu estatuto de autonomia, no qual é estabelecida, como instituição normativa, a Academia Valenciana da Língua.[8]

O valenciano, que constitui uma das principais variantes dialetais do catalão[9] com o catalão central e o balear, não pode ser considerado um dialeto enquadrado dentro das fronteiras da Comunidade Valenciana, mas parte do bloco ou dialeto ocidental da língua catalã.[9] [10] O fato de os dialetos da língua catalã formarem um continuum dialetal —pelo menos na sua zona não insular— faz que muitas das características que marcam o valenciano se encontrem nas terras do Ebro catalãs e aragonesas (de fala catalã), até mesmo chegar às comarcas do Baix Camp e ao Baix Cinca, assim como muitas características do catalão norte-ocidental começam a aparecer já na comarca da Plana Alta, configurando assim uma zona de transição entre o valenciano e o catalão norte-ocidental que alguns expertos denominam dialeto tortosi.[11]

Polêmica sobre a sua catalogação como língua ou dialeto[editar | editar código-fonte]

Historicamente ocorreram conflitos tanto sobre a denominação de "valenciano" como sobre a catalogação deste como língua ou dialeto dentro da língua catalã;[12] estas discussões são consideradas encerradas em parte por diferentes sentenças do Tribunal Superior de Justiça da Comunidade Valenciana[13] [14] assim como da Acadèmia Valenciana de la Llengua, que reconhecem a unidade da língua.[15]

É um fato que na Espanha há duas denominações igualmente legais para designar esta língua: a de valenciano, estabelecida no Estatuto de Autonomia da Comunidade Valenciana, e a de catalão, reconhecida nos Estatutos de Autonomia da Catalunha e das ilhas Baleares.

Variações do valenciano[editar | editar código-fonte]

  • Valenciano de transição ou tortosí
  • Castellonenc
  • Valenciano central ou apitxat
  • Valenciano do Sul
  • Alacantí

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • COLOMINA CASTANYER, Jordi, (1995). Els valencians i la llengua normativa. Textos universitaris. Alacant: Institut de Cultura "Juan Gil-Albert". ISBN 978-84-7784-178-4.
  • Fuster, Joan (abril de 1979) Nosaltres, els valencians
  • CULLA HERNANDEZ, Joan Ignaci e PUERTO FERRE, Teresa (2007), Cronología Histórica de la Lengua Valenciana. ISBN ISBN 978-84-7795-470-5
  • SANCHIS GUARNER, Manuel (1934, 1967). La llengua dels valencians. Ed. 3i4, Valência 2005. ISBN 978-84-7502-082-2.
  • SANCHIS GUARNER, Manuel (1963). Els valencians i la llengua autóctona durant els segles XVI, XVII i XVIII. Institució Alfons el Magnànim. Valência. ISBN 978-84-370-5334-9.
  • SALVADOR GIMENO, Carles (1951). Gramàtica valenciana. Associació Cultural El Rat Penat. Valência. 1995. ISBN 978-84-85211-71-5.
  • VALOR VIVES, Enric (1973). Curso medio de gramática catalana, referida especialmente al País Valenciano. Edições Grog, Valência, 1999. ISBN 978-84-85050-10-9.

Referências

  1. Generalitat de Catalunya, 2009. Mapa i dades generals. Acesso em 2 de agosto de 2010.
  2. a b Acadèmia Valenciana de la Llengua: Acord de l’Acadèmia Valenciana de la Llengua (AVL), adoptat en la reunió plenària del 9 de febrer del 2005, pel qual s’aprova el dictamen sobre els principis i criteris per a la defensa de la denominació i l’entitat del valencià (em valenciano) (2005).
  3. Ambos os termos estão documentados desde o século XIV, constatando-se o seu uso habitual em múltiplas obras e documentos (Fuster, Joan (1962): Nosotros, los valencianos.
  4. Consell Permanent de l’Institut d’Estudis Catalans (l 23 de fevereiro). ec.cat: Declaració sobre la denominació de la llengua catalana (documento de msword). Página visitada em 2009.
  5. María Pilar Perea Sabater. Los verbos regulares de las variedades barcelonesa, mallorquina y valenciana. Una descripción comparativa interdialectal p. 1. Página visitada em 2009.
  6. R. Cerdá Massó (1991). www.canalsocial.ne: Mallorquín. Página visitada em 2009.
  7. Comissão Europeia (13 de junho). ec.europa.eu: El catalán en la UE. Página visitada em 2009.
  8. LEI ORGÁNICA 5/1982, DE 1 DE JULHO, DE ESTATUTO DE AUTONOMÍA DA COMUNIDADE VALENCIANA [DOGV núm. 74, de 15 de julho]
  9. a b Institut d'Estudis Catalãos: Valencià (em catalão). Diccionari de la llengua catalana.
  10. As falas catalãs
  11. Mapas linguísticos do tortosi
  12. Manifesto da entidade El Rat Penat sobre denominação e filiação do Valenciano.
  13. Sentença da AVL sobre a unidade da língua.
  14. Sentença do TSJCV em favor da titulação de Filologia Catalana na Comunidade Valenciana
  15. Sentença da AVL sobre a unidade da língua.
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Valenciano».

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal: