Línguas charruanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Charruanas
Falado em: Argentina, Uruguai, Brasil (Rio Grande do Sul)
Total de falantes: extinta
Família: Mataco-Guaicuru ?
 Charruanas
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: sai

As Línguas Charruanas formaram um grupo já extinto de línguas que já foram faladas no Uruguai e na província de Entre Ríos na Argentina. Há vestígios da antiga existência dos idiomas charuanos na campanha do Rio Grande do Sul, Brasil.

Charrua.JPG

Quatro línguas foram identificadas como fazendo parte dessa família lingüística, conforme o livro “Classification of South American Indian Languages” escrito por Čestmír Loukotka da UCLA Latin American Center, 1968:

  • Balomar
  • Chaná
  • Charrua
  • Güenoa

Há ainda várias outras línguas ainda não confirmadas como pertencentes ao grupo, mas supostas:

  • Bohane - falada em Maldonado, Uruguai
  • Calchine - falada em Santa Fé, Argentina, ao longo do Rio Salado, Argentina
  • Caracañá - falada ao longo do Rio Caracaña, Santa Fe
  • Chaná-Mbegua ou Begua - falada ao longo do Rio Paraná entre Crespo e Vitória, na província de Entre Rios
  • Colastiné - falada na província Santa Fé próximo a Colastiné
  • Corondá - falada um Coronda, Santa Fé.
  • Guaiquiaré - falada em Entre Rios, no Arroio Guaiquiraré
  • Mocoreta ou Macurendá ou Mocolete - falada ao longo do Rio Mocoretá em Entre Rios
  • Pairindi - falada em Entre Rios desde Corrientes até o Rio Feliciano.
  • Timbu - falada in Gaboto, Santa Fé
  • Yaro - falada no Uruguai entre o Rio Negro e o rio San Salvador.

Comparação de Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Há pouquíssimos registros das línguas charruanas, porém algum vocabulário foi levantado e está no quadro comparativo:

Português Charrua Chaná Guenoa
olho i-xou
ouvido i-mau
mão guar mbó
água hué
sol dioi
cão samayoí lochan
árvore huok
um ugil yut
dois sam usan
três detí detit

Relações Genéticas[editar | editar código-fonte]

Morris Swadesh inclui o Charruano junto com as línguas matacoanas, as guaicuruanas e as mascoianas dentro de um grupo “Macro-Mapuche”.

Kaufman (1990) prefere incluir as guaicuruanas, matacoanas, charruanas e mascoianas num grupo a ser mais investigado, o das “Macro-Guaicuruanas”.

Livros de Terrence Kaufman

  • “history in South America: What we know and how to know more” – 1990;
  • “Amazonian linguistics: Studies in lowland South American languages” – Payne – D.L. Austin, Texas
  • “Atlas of the world's languages” 1994 – Mosley C. Asher, London