Línguas ibero-ocidentais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As línguas ibero-ocidentais são uma subcategoria das línguas românicas, que inclui - por exemplo - o castelhano, o português, o galego, o mirandês, entre outros. Há controvérsia sobre se os membros que falam os subgrupos do galego-português moderno e astur-leonês falam línguas distintas ou dialetos distintos de uma única língua.

Falantes de línguas ibero-ocidentais geralmente afirmam que estão todos mutuamente inteligíveis em certa medida.[1]

Baseado no Ethnologue, abaixo está um diagrama com a descendência do proto-ibero-ocidental, as línguas que a partir dele surgiram e seus respectivos códigos do ISO 639-3 entre parênteses.[2]

Proto-ibero-ocidental  
 Asturo-leonês  

Asturiano (ast)



Mirandês (mwl)



Extremenho (ext)



Proto-castelhano  

Espanhol (spa)



Espanhol amazônico (spq)



Judeu-espanhol (lad)



 Galaico-português  

Português (por)



Galego (glg)



Fala (fax)





Referências

  1. seção traduzida da Wikipédia inglesa
  2. Ethnologue: Languages of the World, Sixteenth edition (2009). Indo-European, Italic, Romance, Italo-Western, Western, Gallo-Iberian, Ibero-Romance, West Iberian (em inglês). Página visitada em 13 de agosto de 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.