Línguas lequíticas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Março de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

As línguas lequíticas são um ramo da família de línguas eslavas ocidentais. Ela é composta de línguas faladas na Europa Central, principalmente na Polônia e, historicamente, no leste e no norte da Alemanha.

História[editar | editar código-fonte]

Na Idade Média antes que seus falantes fossem germanizados, as línguas pomerânias e seus dialetos eram faladas ao largo do Mar Báltico, numa região que se estendia desde o baixo Vístula até o baixo Oder. O cassúbio e o eslovíncio sobreviveram até o século XX, havendo um grande número de falantes de cassúbio na Polônia e no Canadá atualmente. O polábio, que foi falado nas fronteiras dos dialetos sórbios na Alemanha oriental, foi usado pela população eslava do rio Elba até nos séculos XVII e XVIII, existindo um dicionário e algumas frases escritas nesta língua.

Dialetos[editar | editar código-fonte]

O grupo lequítico de línguas eslavas é composto pelo polonês, pelo casSúbio com sua variante arcaica eslovíncio e pelo extinto polábio. Todas as línguas, exceto o polonês, são classificadas ocasionalmente no sub-grupo pomerânio.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.