Línguas maharikanti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Línguas Mahakiranti
Falado em: Nepal
Total de falantes:
Família: Sino-Tibetana
 (Tibeto-Birmanesa)
  Bódicas ?
   Línguas Mahakiranti
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

As línguas Mahakiranti ou Maha-Kiranti, Bahing-Vahu ('Kiranti maior') são consideradas como um nível de classificação intermediário das línguas tibeto-birmanesas. São línguas muito próximas das Kiranti que são faladas pelo povo Kirat (chamados também de Rai (povo)). A concepção sobre quais línguas compõem o grupo Mahakiranti (se é que se trata de um grupo) são muito variáveis:

Supostos sub-grupos:

Concepções[editar | editar código-fonte]

Van Driem (2001) considera que as línguas Mahakiranti junto com a próprias Kiranti estão junto com a Nepal Bhasa (Newar) e as línguas Baram e Thangmi, as quais são claramente relacionadas. Mas as similaridades que ambas têm com as línguas Newar não demonstram claramente uma família comum 'Para-Kiranti' proposta por Van Driem ou se as semelhanças se deveriam a contatos entre falantes. Na concepção de Driem, as língua bódicas é tão somente uma definição geográfica, embora haja algumas semelhanças e relações entre elas. Ele considera a língua lepcha e Lhopu e as línguas magaric (num sentido bem amplo, mesmo que a Chepangic seja uma Magaric) como as línguas Bódicas aproximadas às Mahakiranti.

Concepção de Van Driem para as Mahakiranti:

Maha-Kiranti 

 Línguas kiranti 


 Para-Kiranti 

Newari


  

Baram



Thangmi





  • Para Matisoff, as Mahakiranti incluem as línguas Newar, Magaric e Kiranti. Ele agrupa as Mahakiranti com as línguas tibeto-kanauri, incluindo a Lepcha dentre as línguas himalaias.
  • Bradley (1997) juntas Magar e Chepang às Mahakiranti de Van Driem , chamando-as de Himalaianas. Essas, junto com as línguas bodo (que equivalem às Tibeto-Kanauri), constituem a fam´lia Bódica.
  • Ethnologue (15ª ed.) coloca Magaric, Chepang e Newar junto com Kiranti; Mahakiranti fica com as Tibeto-Kanauri num ramo “Himalaia”, que equivale em muito às Bódicas de outros estudiosos.
  • Benedict (1972) incluiu Newari e Chepangic, mas não a Magaric. Ele classificou a língua wayu (Vayu) como uma Chepangic e assim nomeou essa família de Bahing-Vayu.

História[editar | editar código-fonte]

As línguas Mahakiranti apresentam uma longa história documentada. A história das Nepal Bhasa tem também muita documentação de um período de 800 anos. A maior parte da história do Nepal se dbaseou em manuscritos em línguas Kirati como a Nepal Bhasa. A maioria dos falantes é bilingue em língua nepali e muitos dos mais jovens falam preferencialmente essa última. Com cerca de um milhão, a Nepal Bhasa é a mais falada dentre as Kiranti.[1]

Notas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • George van Driem (2001) Languages of the Himalayas: Manual Etnolinguístico da Grande Região Himalaia. Brill.

Externas[editar | editar código-fonte]