Línguas maninkas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maninka
 (Maninka, Maninkakan, Malinke, Malinka)
Falado em: Guiné Guiné
Mali Mali
Libéria Libéria
SenegalSenegal
Serra LeoaSerra Leoa
Costa do Marfim Costa do Marfim
Região: África Ocidental
Total de falantes: 3.300.000
Família: Nigero-congolesa
 [1] Atlântico-Congo
  Mandê
   Ocidental
    Mandinga
     Maninka
Escrita: N'Ko, latino
Estatuto oficial
Língua oficial de: Guiné Guiné
Mali Mali
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: man
ISO 639-3: vários

Maninka é o nome dado a um grupo de várias línguas e dialetos intimamente relacionados do subgrupo sul-oriental das línguas mandinga, pertencentes ao grupo mandê, da família nigero-congolesa. É a língua mãe do povo malinké, sendo falada por 3,300,000 pessoas na Guiné e no Mali, onde a língua relacionada bambara é a língua nacional, e também na Libéria, no Senegal, em Serra Leoa e na Costa do Marfim, onde possui status de língua oficial. O Ethnologue distingue os dialetos do maninka nas seguintes variedades, mas note que tais classificações são incertas:

  • Maninkakan oriental, também chamado Malinke ou Maninka, falado por 1,890,000 pessoas na Guiné e .200,000 na Libéria e em Serra Leoa;
  • Maninka, konyanka, com 128,000 falantes na Guiné;
  • Maninka, sankaran, também chamado faranah, falado na Guiné;
  • Forest maninka, parte do grupo maninka-mori junto aos dialetos wojenaka, worodougou, koro, koyaga, e mahou, falado por 15,000 pessoas na Costa do Marfim.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Derivado da classificação de Etnhologue