Línguas oguzes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Línguas oguzes
Falado em: Turquia, Azerbaijão, Iraque, Irã, Turcomenistão, China, outros,
Região: região dos Balcãs até a China
Total de falantes: 150 milhões
Família: Turcomana
 Línguas oguzes
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

As línguas oguzes, um ramo maior da família das línguas turcomanas, são faladas por cerca de 150 milhões de pessoas dispersas desde os Balcãs até a China (língua salar). Há falantes em Turquia, Azerbaijão, Iraque, Irã, Turcomenistão, China (Salar), poucos em Romênia, Moldávia, Grécia, Macedônia, Afeganistão e Tajiquistão.

Características[editar | editar código-fonte]

As línguas oguzes compartilham uma série de características fonéticas que fizeram com que os línguístas juntassem-nas formando esse grupo das turcomanas. Algumas também são comuns a outras línguas turcomanas, outras são próprias das Oguzes.

Compartilhadas turcomanas[editar | editar código-fonte]

Únicas oguzes[editar | editar código-fonte]

  • Vocalização das oclusivas antes das vogais frontais (Ex. gör- < kör- "verbo Ver")
  • Perda do som q/ɣ depois de ɨ/u (Ex. quru < quruq "seco", sarɨ < sarɨɣ "amarelo")
  • Mudança participial -gan- para -an-

Classificação[editar | editar código-fonte]

Mapa da Eurásia indicando áreas dos grupos de línguas Oguzes

As línguas oguzes podem ser divididas em três grupos principais em função da geografia e de características comuns:

Há ainda um menor grupo do sul que inclui dialetos iranianos como (kashkay, sonqori, aynallu e outros).

Há ainda uma língua oguz isolada na China, a salar que tem cerca de 70 mil falantes (em amarelo no mapa).

A extinta língua pechenegue é similar às oguzes, mas, como é muito pouco documentada, ainda não é considerada em definitivo como uma Oguz.

Duas outras línguas, o tártaro da Crimeia e o Urum, que são historicamente classificadas como línguas kipchaques, mas que sofreram muitas influências das Oguzes, têm sua classificação definitiva ainda discutida, havendo dúvidas entre os linguistas acerca de serem Oguzes ou Kipichaques.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em inglês

  • Johanson, Lars and Csató, Éva Ágnes. The Turkic Languages. London: Routledge, 1998. ISBN 0-415-08200-5
  • Menges, Karl H.. The Turkic Languages and Peoples. Wiesbaden: Harrassowitz, 1995. ISBN 3-447-03533-1

Ligações externas[editar | editar código-fonte]