Líquido iônico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Embora muitas substâncias iônicas possam fundir sem se decompor, estas normalmente o fazem a temperaturas acima de 200 °C (o sal comum funde a cerca de 800 °C). Portanto, o termo liquido iônico, apesar de se aplicar também a estas, se refere principalmente a algumas substâncias que o fazem próximo a temperatura ambiente, como o nitrato de trietilamina e outras. São semelhantes aos solventes eutéticos extremos (DES-Deep Euthetic Solvents), como uma mistura de ureia e colina.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Seu principal uso é como solvente, devido a sua baixa pressão de vapor e propriedades como meio reacional. Atualmente há muitos estudos e alguns processos industriais baseados neles:

Por exemplo:

  • A BASF usa um composto baseado em 1-alquilimidazol para remover ácidos formados em etapas de processos orgânicos, num método chamado BASIL ("Biphasic Acid Scavenging utilizing Ionic Liquids").
  • A Eastman operou uma unidade fabril baseada em líquidos iônicos para síntese de 2,5-diidrofurano de 1996 até 2004.
  • O eletrólito das baterias de íon-lítio se encontram no limite desta catagoria.

1-Butil-3-metilimidazolium hexafluorfosfato (BMIM-PF6) é um outro conhecido líquido iônico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligação externa[editar | editar código-fonte]