Lúcio Postúmio Albino (cônsul em 234 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Lúcio Postúmio Albino (m. 215 a.C.) foi um politico e militar romano, eleito cônsul em três ocasiões (234 a.C., 229 a.C. e 215 a.C.). A maior parte da informação que temos sobre ele procede de Ab Urbe condita libri, escrito pelo historiador Lívio. O seu pai foi provavelmente Aulo Postúmio Albino, cônsul em 242 a.C.

Após os seus dois primeiros consulados em 234 a.C. e 229 a.C., dirigiu a campanha militar contra a reina Teuta durante a Segunda Guerra Ilírica junto ao seu colega consular Cneu Fúlvio Centumalo (229 a.C.—228 a.C.). Apesar da sua rotunda vitória, Albino não seria recompensado com um triunfo à sua volta a Roma.

Em 215 a.C., eleito cônsul por terceira vez, liderou uma força de duas legiões como reforço na Gália Cisalpina por uma floresta da província, porém, uma força de guerreiros boios emboscou os romanos aniquilando a maior parte do seu exército. Quando Albino e as suas forças tentaram escapar por uma ponte próximo encontraram-se com um destacamento de guerreiros boios que os derrotou por completo. Albino foi decapitado e o seu crânio foi revestido de ouro e utilizou-se como recipiente para servir bebidas.[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lívio 23, 24

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Caio Terêncio Mario Varrão e Lúcio Emílio Paulo
Cônsul da República Romana
junto com Tibério Semprônio Graco

215 a. C.
Sucedido por
Tibério Semprônio Graco e Marco Cláudio Marcelo (sufecto)