Lúcio Valério Flaco (cônsul em 86 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Julho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Lúcio Valério Flaco, em latim L. Valerius C.f L.n Flaccus, Lúcio Valério, filho de Caio e neto de Lúcio, Flaco [1] (? — 86 a.C.), foi um militar romano do século I a.C. que ocupou o consulado em 86 a.C.

Era irmão de Caio Valério Flaco, cônsul em 93 a.C.[1]

Nomeado edil em 98 a.C., chegou a ser pretor e governador da província da Ásia. Antes de partir para a Ásia emitiu uma lei que cancelava três quartas partes de todas as dívidas.

Em 86 a.C. foi designado cônsul sufecto, em substituição do falecido Caio Mário,[1] e recebeu o comando da guerra contra Mitrídates VI. Na Grécia, desembarcou no Épiro, enviado pelo Senado contra Sula, mas as suas tropas recusaram-se a combater, pelo qual retirou-se para o Helesponto. Morreu esse mesmo ano num motim instigado pelo seu legado Caio Flávio Fímbria.[2]

De acordo com Theodor Mommsen, ele foi provavelmente filho de Lúcio Valério Flaco, que foi cônsul em 654 AUC; ele também foi pai de Lúcio Valério Flaco, que foi defendido por Cícero em pro Flaccus.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Fasti Capitolini [em linha]
  2. Memnon de Heracleia, Livros XV e XVI, citado por Fócio, Biblioteca de Fócio [em linha]
  3. Theodor Mommsen, The history of Rome: Volume 3 (1865), p.327 [google books]


Precedido por
Lúcio Cornélio Cina e Lúcio Cornélio Mérula (sufecto)
Cônsul sufecto da República Romana
com Lúcio Cornélio Cina

86 a.C.
Sucedido por
Lúcio Cornélio Cina e Cneu Papírio Carbão