Lüshunkou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde maio de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lüshunkou
Localização de Port Arthur na China
Localização de Port Arthur na China
Coordenadas 38° 49' N 121° 14' E
País República Popular da China
Prefeito
Área  
  Total 512,15 km²
População  
  Cidade (2001) 210 000
    Densidade   410/km²
Fuso horário +8 (UTC)
Website: www.dllsk.gov.cn/

Lüshunkou (chinês simplificado: 旅顺口, chinês tradicional: 旅順口, japonês: 旅順口区, Ryojun-ku, em russo: Порт Артур) antes conhecida como Port Arthur quando era um porto russo, hoje no território da República Popular da China, também conhecida como Luyshun, é uma cidade situada no extremo sul da ponta da península de Liaodong, junto à cidade de Dalian. O lugar é célebre por ter sido o cenário da Batalha de Port Arthur no decorrer da guerra russo-japonesa entre 1904 e 1905.

A administração japonesa e depois soviética continuou até 1953. Os diplomatas ocidentais, nas noticias e nos escritos históricos, conheceram-na com o nome de Port Arthur, e durante o período controlado e administrado pelo Japão foi chamada Ryojun.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Lüshunkou ocupa a ponta sul da península de Liaodong, local estratégico para a navegação nos mares orientais no século XIX. A península está próxima da Coreia, do Mar da China, do golfo da Coreia e do mar de Bohai. Pequim também está próxima, através do mar de Bohai, sobre o qual se situa o porto desta importante cidade comercial.

Mapa de Port Arthur.

Um ponto de interesse na história[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro imperial russo no porto de Port Arhur.

A primeira entrada de Port Arthur na cena internacional foi durante a Primeira Guerra Sino-Japonesa, (1894-1895). Seguindo as tropas chinesas em Pyongyang em setembro de 1894, o primeiro e segundo exército japoneses convergiram para a península de Liaodong por terra e mar. Os oficiais japoneses planeavam, ambiciosos pelo controlo da Península de Liaodong e Port Arthur, sendo consciente da estratégica posição deste ponto a norte do Mar Amarelo, no meio das rotas de comércio para Tianjin.

Seguendo o seu caminho, ao encontrar resistência apenas durante os dias 20 e 21 de novembro de 1894, as tropas japonesas entraram na cidade derrotada na manhã de 21 de novembro. Vários jornais ocidentais contemporâneos informavam o público de falsas violências por parte do vitorioso exército japonês sobre a população chinesa. Um destes jornalistas era James Creelman do New York World.

O Japão ocupou Port Arthur tal como o resto da península de Liaodong como indemnização de guerra. Graças à assinatura do Tratado de Shimonoseki quando concluiu a guerra, o Japão iria obter poder sobre a Península de Liaodong, mas teve que o ceder mais tarde quando entrou em guerra contra a França, Alemanha e Rússia em 1895. Isto foi visto no Japão como uma grande humilhação.

Dois anos depois, a Rússia obteve o protectorado de uma parte da península de Liadong por parte da China e a concessão para unir por via férrea essa península com o leste da China, com ferrovias que ligavam Port Arthur e Dalian até à cidade central de Harbin. Por sua vez começou a fortificar sistematicamente a localidade e o porto de Port Arthur. Tudo isto constituía uma desonra a um Japão já ferido, una lição geopolítica que não esqueceria cedo.


Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Pinyin Hanzi
Subdistritos
Desheng 得胜
Guangrong 光荣
Dengfeng 登峰
Shichang 市场
Longwangtang 龙王唐
Shuishiying 水师营
Localidades
Jiangxi 江西
Shuangdaowan 双岛湾
Sanjianbao 三涧堡
Changcheng 长城
Longtou 龙头
Beihai 北海
Tieshan 铁山