L'Escalade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

L'Escalade, celebrada a 12 de dezembro em Genebra, marca a vitória da população da cidade depois do ataque perpetrado pelas tropas de Carlos Emanuel I de Saboia, na noite de 11 a 12 de dezembro de 1602. O nome provém do facto de os atacantes terem usado escadas para escalar as muralhas da cidade.

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Por vários anos, os Duques de Saboia cobiçavam a rica e próspera cidade. Quando Carlos Emanuel I sobe ao trono, projecta fazer de Genebra a capital do norte dos Alpes e, simultaneamente, combater, o calvinismo. É o que tenta fazer nessa noite mas sem sucesso.
Depois da derrota, Carlos Emanuel I é obrigado a aceitar uma paz duradoura selada pelo tratado de Saint-Julien, a 21 de julho de 1603.

Festividades[editar | editar código-fonte]

A Marmite de l'Escalade

Dado a alarme pelos soldados a posto, faz-se tocar la Clémence, o grande sino da Catedral de São Pedro de Genebra, que acorda a população, que se defende por todos os meios. A Mère Royaume, tal como uma padeira de Aljubarrota genebrina,[1] teria deitado sobre os assaltantes um pote com sopa a ferver que estava a preparar. Para celebrar tal feito neste dia feriado em Genebra, as crianças partem a Marmite de l'Escalade, feita de chocolate.


Companhia de 1602[editar | editar código-fonte]

Em 1898 um grupo de cidadãos funda a Associação patriótica genebrina para a renovação de l'Escalade. A associação é rebaptizada em 1962 com o nome de Companhia de 1602 [2] . É ela que oficialmente preside a todas as festividades dessa celebração, nomeadamente o cortejo histórico, celebrações que têm lugar desde 1978.

Corrida da Escalada[editar | editar código-fonte]

Paralelamente começou a organizou-se uma corrida que percorre o centro histórico e hoje atrai mais de 20.000 participantes divididos em categorias e segundo as idades.
Desde 1991 que se realiza também uma corrida popular com adultos e crianças disfarçados, conhecida como La marmite.




Referências

  1. DUFOUR-VERNES, Louis, La mère Royaume et sa marmite, Genève, impr. J. Carey, 1880 ; 15 p. in 8e
  2. Companhia de 1602 (Fr)


Ligações externas[editar | editar código-fonte]