La Gloire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


La Gloire
La Gloire Primeiro navio couraçado oceânico do mundo
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda Abril de 1858
Construção Arsenal de Mourillon, Toulon
Lançamento 24 de Novembro de 1859
Período de serviço Agosto de 1860
Estado Desmantelado em 1883
Características gerais
Deslocamento 5 630 t
Comprimento 77,8 m
Boca 17,0 m
Calado 8,4 m
Propulsão Vela - 1100 m²
Máquina a vapôr de um único veio com 2 500 cv, acoplada a 8 caldeiras
Velocidade 13 nós
Autonomia 665 toneladas de carvão
Tripulação 570 tripulantes

La Gloire (Glória) foi um navio de guerra francês, o primeiro couraçado de ferro com capacidade oceânica da história.[1] Até então os navios couraçados eram baterias flutuantes, tipo Monitor e não podiam, ou tinham muitas limitações na navegação marítima.

História[editar | editar código-fonte]

O La Gloire' foi desenvolvido logo após a Guerra da Criméia, em resposta aos novos desenvolvimentos de armas navais, especialmente os canhões Paixhans, os primeiros a combinar granadas explosivas em tiro recto, com maior poder destrutivo contra navios de madeira, e acompanhou o desenvolvimento das baterias flutuantes de ferro construídas pelos britânicos e franceses para o bombardeio de fortes russos durante a Guerra da Criméia. O La Gloire, foi projetado pelo arquiteto naval francês Dupuy de Lôme e foi lançado no arsenal de Mourillon, Toulon, em 24 de novembro de 1859.[2] Foram construídos mais dois navios idênticos.

La Gloire pintura de 1860.

De maneira a poupar peso, o La Gloire tinha um único convés e tinha um deslocamento de 5 630 toneladas. O navio tinha placas de ferro maciças com 12 cm de espessura, colocadas sobre uma estrutura de madeira. As placas de ferro resistiam às granadas disparadas pelos canhões mais poderosos desse tempo, o canhão Francês de 50 libras e o canhão Inglês de 68 libras, com carga massa a uma distância de 20 metros.

Apesar desta qualidade, o navio era muito duro para a sua tripulação, pois não possuía aberturas, de modo a evitar pontos fracos na sua protecção. Em resultado disto, a ventilação era muito deficiente, e tinham de ser usadas lâmpadas de óleo para iluminação, mesmo durante o dia.

Com o La Gloire, iniciou-se a obsolescência dos navios de linha de madeira, e todas as marinhas de guerra não tiveram alternativa senão construir os seus navios protegidos. Segundo se dizia na altura era que o La Gloire em luta contra navios de madeira, seria como um lobo no meio de um rebanho de ovelhas.

No entanto o La Gloire tornou-se obsoleto em 1860 quando os ingleses lançaram à água o HMS Warrior, o primeiro navio de guerra construído inteiramente em ferro.

O La Gloire encontrava-se em Cherburgo quando ocorreu o combate entre o corsário confederado CSS Alabama e o USS Kearsarge em 19 de Junho de 1864, ao largo do mesmo porto.

Em 1879, o La Gloire foi retirado do registo da frota francesa e desmantelada em 1883. Os seus navios irmãos já o tinham sido anteriormente devido à má qualidade de construção.

Os navios irmãos do La Gloire, foram o:

Armamento e protecção[editar | editar código-fonte]

  • 36 canhões de 163 mm de carregar pelo boca (1858/60).

Após 1866

  • 8 canhões de 239 mm modelo BL de 1864;
  • 6 canhões de 193 mm modelo BL de 1866 .

Blindagem: placas de ferro com 110 a 120 mm de espessura.

Referências

  1. Le vaisseau cuirassé de la marine française La Gloire, 1859 (em francês) Passerelle pour l'histoire militaire canadienne. Página visitada em 15 de maio de 2012.
  2. Léon Renard. L'art naval (3e édition) (em francês). Página visitada em 15 de maio de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre La Gloire
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.