Lagertha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lagertha, litografia de Morris Meredith Williams (1913)].

Lagertha foi, de acordo com as lendas locais, uma skjaldmö ("donzela do escudo") víquingue dinamarquesa que viveu no território da atual Noruega, esposa do célebre guerreiro viking Ragnar Lodbrok. Sua história, tal como registrada pelo cronista Saxão Gramático, no livro Gesta Danorum, século XII, pode refletir diversos contos sobre Þorgerðr Hölgabrúðr, uma divindade nórdica.

Seu nome, registrado por Saxão no latim como Lathgertha, provavelmente é uma latinização do nórdico antigo Hlaðgerðr (Hladgerd).[1] Costuma ser mencionada com frequência nas fontes de língua inglesa como Lagertha, embora também tenham sido registradas as formas Ladgertha e Ladgerda, entre outras.

A lenda[editar | editar código-fonte]

Segundo Gesta Danorum, de Saxo Grammaticus, era uma guerreira e reconhecida valquíria, esposa de Ragnar Lodbrok. A sua carreira bélica teve inicio quando Frø, um caudilho tribal dos suíones, invadiu Noruega e matou um jarl por volta do ano 840. Frø anunciou que as mulheres da família de jarl deviam fazer parte de um bordel. Quando Ragnar Lodbrok combate contra Frø com o seu exército para vingar a morte do seu avô Siward, numerosas mulheres vítimas de abuso vestiram-se de homens e fugiram para o acampamento de Ragnar para que evitassem a humilhação, algunas das quais se juntaram aos homens em batalha.[1]

Ragnar Lodbrok[editar | editar código-fonte]

Lagertha uniu-se às forças de Ragnar para combater, deixando com isso uma notável impressão no seu caudilho víquingue:

Ladgerda, uma surpreendente e bem preparada skjaldmö que, como mulher, teve a coragem de um homem, lutando na frente entre os mais corajosos, com o seu comprido cabelo sobre os ombros. Todos se surpreendiam com as suas proezas insuperáveis, a sua espada sobre a cabeça denunciava a sua condição de mulher.[2]

Impressionado com a sua destreza, Ragnar cortejou-a. Lagertha mostrou interesse, mas quando Ragnar pediu a sua mão, deparou-se com um urso e um grande cão protegendo a sua residência. Ragnar matou o urso com a sua lança e deixou o cão ferido até que murresse, e deste modo conquistou a mão de Lagertha.[3] Segundo Saxo Grammaticus, Ragnar teve um filho com Lagertha, Fridleif, e duas filhas das quais os seus nomes não são conhecidos.[4]

Referências

  1. a b Chadwick, Nora K.. In: Fox, Cyril e Dickins, Bruce. The Early Cultures of North-West Europe. [S.l.]: Cambridge University Press, 1950. Capítulo: Þorgerðr Hölgabrúðr and the trolla þing: a note on sources. , p. 414. ISBN 9781107686557
  2. Gesta Danorum (Livro 9)
  3. The viking Age (2010), ed. A.A. Sommerville / R.A. McDonald, University of Toronto Press, ISBN 978-1-44260-148-2 p. 136.
  4. Saxo Grammaticus. The Danish History, Book IX. (Latin original)