Lagoa Nova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Lagoa Nova
Bandeira de Lagoa Nova
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 2 de janeiro
Fundação 1964
Gentílico lagoanovense
Prefeito(a) Erivan de Souza Costa (PSB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Lagoa Nova
Localização de Lagoa Nova no Rio Grande do Norte
Lagoa Nova está localizado em: Brasil
Lagoa Nova
Localização de Lagoa Nova no Brasil
06° 09' 64" S 36° 46' 93" O06° 09' 64" S 36° 46' 93" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Central Potiguar IBGE/2008[1]
Microrregião Serra de Santana IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Currais Novos (ao Sul), Bodó (ao Norte), Cerro Corá (ao Leste), São Vicente (a Oeste) e Santana do Matos (a Noroeste)
Distância até a capital 156 km
Características geográficas
Área 176,299 km² [2]
População 14 274 hab. (RN: º) –  IBGE/2012[3]
Densidade 80,96 hab./km²
Altitude 733 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,585 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 46 472,447 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 423,64 IBGE/2008[5]
Página oficial

Lagoa Nova é um município serrano, localizado na microrregião da Serra de Santana, mesorregião Central Potiguar, estado do Rio Grande do Norte. Situa-se a 156 km de Natal seguindo pela RN-203, passando por Cerro Corá e 198 km seguindo pela BR-226, passando por Currais Novos. Limita-se ao norte com o município de Bodó, ao leste com Cerro Corá, ao sul com Currais Novos, ao oeste com São Vicente e ao noroeste com Santana do Matos. A população é de 13.990 habitantes, dos quais, aproximadamente, metade vive na zona rural, de acordo com o Censo 2010.

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento do município verificou-se em meados do século XVIII, quando o coronel Cipriano Lopes Galvão em 1755 veio de Igaraçu, Pernambuco, para a região do Seridó, comprando datas de terra na localidade de Totoró, onde manteve uma fazenda de gado fixando residência até sua morte em 1764.

Em 1777, ano castigado por grandes estiagens no sertão, os rebanhos desta região foram quase todos dizimados. D. Adriana de Holanda e Vasconcelos, viúva de Cel. Cipriano, era grande pecuarista. Com a seca faltava alimentos para o gado que se distanciava do Totoró a procura de pasto, subindo a Serra Azul, atual Serra de Sant'Ana. Era preciso campear o gado, o que era feito pelos escravos, sob as ordens de D. Adriana. Seguindo as veredas deixadas pelo gado, os escravos chegaram à beira de uma lagoa, onde encontraram muito gado pastando ao seu redor.

No dia seguinte, descobriram pelo arredores mas uma lagoa onde pastavam muitas raízes. Dai a denominação de "Lagoa Nova". Ciente da descoberta, D. Adriana mandou erguer um curral perto da lagoa, para que o gado permanecesse por lá, verificando que aquelas terras estavam de voltas. Viajou a Natal e requereu a sesmaria de Lagoa Nova, datando em 1793 o registro, conforme o processo de aquisição do 1º Cartório de Currais Novos.

No século XVIII, chegaram os primeiros povoadores, dentre eles José Peixoto, que vivia do cultivo de cana de açúcar, feijão, milho e arroz. Por motivo de grande seca, abandonou suas terras migrando para outra região. De 1904 a 1925, outras famílias se fixaram na localidade, como as de Martins Francisco dos Santos, José Pereira de Lima, Joaquim Félix Pequeno, Ezequiel Serafim, entre outras.


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012 (PDF) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (30 de agosto de 2011). Página visitada em 31 de agosto de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 04 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.