Lampião (lanterna)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lanterna iraniana antiga

Lanterna, candeeiro-de-petróleo ou ainda lampião (português brasileiro), é um objeto destinado à iluminação, constituindo-se geralmente de uma armação de metal (embora pudesse ser de outro material, como cerâmica) com um anteparo transparente (geralmente de vidro) para proteger a fonte de luz, que pode ser uma vela, uma chama abastecida por combustível (querosene ou gás, por exemplo) ou mesmo vaga-lumes, como era costume na antiga China. As lanternas costumam ter alças (ou pegas) para que possam ser carregadas.

Lanterna a querosene

Usos das lanternas[editar | editar código-fonte]

Antes do surgimento das lâmpadas elétricas, as lanternas eram usadas para iluminação noturna, sendo carregadas em carruagens,[1] . O lampião a gás foi inventado em 1792, e foi uma das circunstâncias que possibilitaram o aumento da jornada de trabalho nas fábricas, principalmente da Inglaterra. O lampião ainda é usado em diversas culturas, como objeto de iluminação ou de decoração para atividades noturnas.

Algumas lanternas a querosene eram usadas para sinalização náutica e ferroviária até meados do século passado. Foram as lanternas de sinalização manual do metrô de Nova Iorque que inspiraram o desenhista de quadrinhos Martin Nodell a criar o personagem Lanterna Verde (o primeiro, Alan Scott), junto com o roteirista Bill Finger, em 1940.[2] Com o progresso da tecnologia, porém, os sistemas eletrônicos automáticos substituíram a sinalização manual por lanternas.

Seu uso atual se dá em residências para casos de falta de energia elétrica (ou onde não há fornecimento desta), acampamentos ou minas. O lampião é um tipo de lanterna.

Combustíveis[editar | editar código-fonte]

Estes são inflamáveis. Além disso, há o risco potencial de intoxicação por monóxido de carbono em ambientes fechados, pequenos e com pouca circulação de ar.

Além de querosene, outros combustíveis são ou foram utilizados em lanternas. Entre eles estão gasolina, diesel, biodiesel e gases como propano, butano e nafta.

Referências

  1. A evolução dos faróis nos automóveis (em português). Página visitada em 3 de Setembro de 2009.
  2. Biografia de Martin Nodell (em inglês). Página visitada em 3 de Setembro de 2009.